Para quem está conhecendo o trabalho de André Dias agora com seu personagem Groa na novela “Segundo Sol”, na Globo, não imagina o currículo desse talentoso ator. Aos 43 anos, André está longe de ser um novato na profissão, já fez mais de 30 peças de teatro ao longo dos 27 anos de carreira, tendo destaque como “Avenida Q”, “Ricardo III”, “Era No Tempo do Rei” (que lhe rendeu um Prêmio APTR), “Equus” e o sucesso ao interpretar Olavo Bilac em “Bilac Vê Estrelas”. Em 1993 André entrou para a UniRio, onde se formou em Artes Cênicas e Teoria e Percepção Musical no ano de 1997 e de lá pra cá não parou mais. Em sua 2ª novela na TV, a primeira foi “Novo Mundo” ano passado, André pelo jeito tomou gosto e não quer parar mais. Sorte a nossa!

Com formação em percepção musical e artes cênicas, como a música e o teatro entraram em sua vida? No início da adolescência fiz teatro para perder a timidez. Não funcionou, (risos)… continuo bem tímido, mas descobri ali minha verdadeira vocação. Conforme fui trabalhando comecei a estudar voz e fui encorajado a estudar canto lírico. Sempre adorei música, e resolvi seguir estudando.

Com 27 anos de carreira e mais de 30 peças no currículo, por incrível que pareça essa é sua 2ª novela. Pegou o gosto por fazer TV agora? Muito! Eu amo o cotidiano de estúdio de televisão!

E como tem sido essa parceria com Giovanna Antonelli em “Segundo Sol”? Parece que a sintonia é ótima entre vocês. Química imediata. Giovanna é uma luz que invade a vida de todos que a cercam. Uma pessoa agregadora que me recebeu de braços abertos…costumo dizer que ela é o primeiro Sol.

Que desafios como ator você descobriu na TV que não tinha percebido no teatro? São veículos completamente diferentes, mas que se complementam. Televisão é o momento. Você não ensaia, não prepara, você vive aquele momento! A obra é aberta, você não sabe o que vai acontecer com o personagem, é gravado fora de ordem e depois editado. O resultado não está nas mãos do ator. É um salto no escuro.

Para você qual a real função do ator e como você se sente realizado? Falar para o homem do seu tempo, incomodar, instigar o pensamento crítico e transformar o cotidiano e forma de pensar das pessoas. O exercício do meu ofício é o que, de fato, me realiza. A possibilidade de transformar a vida de alguém.

Como é você no dia a dia? Por trás de tantos personagens quem é André Dias? Simplesmente um ator. Sou muitos dentro de um só! Sou um pouco de cada um dos meus personagens, carrego uma parte de cada um deles dentro de mim… me transformo com o que aprendo com eles.

O que te tira do sério? E o que te coloca no rumo? Falta de Respeito, Grosseria, Injustiça, quer que continue… (risos). Trabalhar é o que me coloca no rumo.

Hoje que você está em destaque na TV percebe que é algo necessário ou viveria sem? Sempre vivi! Existe diferença entre Fama e Sucesso! Não que eu seja famoso, mas estou ficando mais conhecido porque estou numa novela das 21h da Rede Globo. Sempre me considerei um ator de sucesso no Teatro, consegui construir uma carreira e viver do meu trabalho como artista. Pra mim isso é Sucesso! Cheguei na televisão depois de quase 30 anos dedicados ao Teatro e sou grato por uma carreira vitoriosa. Quero mais oportunidades em TV e Cinema para seguir me aprimorando e quem sabe, um dia, ser um ator famoso.

O quanto as redes sociais são importantes para você? Como lida com isso? Entendo a importância das redes sociais hoje em dia, mas não entendo nada disso, (risos)! Tive que contratar o Renan Cavichioli pra gerenciar as minhas redes sociais e compilar meu material num site profissional. Terceirizei, (risos)

Um traço marcante em sua trajetória é sua capacidade de mudar fisicamente para cada papel O quanto isso ajuda na composição? Sempre me dediquei a compor personagens diferentes. Groa começou a surgir a partir dos figurinos de Helena Gastal e da caracterização de Fernando Torquatto. O trabalho deles inspirou a composição. Gosto de mudar o visual: Cabelo, barba, bigode, cavanhaque. Eu brinco que o próximo tem que ser um pirata com a careca tatuada que nem Leopoldo Pacheco em “Novo Mundo”. Não quero que ninguém me reconheça.

E já adaptado com esse cabelo todo do personagem Groa? Refazer a cada três meses é que é duro! (muitos risos)

Agora com esse cabelão do Groa você teve que ficar um cara mais vaidoso? Como cuida da aparência? Não, (risos)! Eu sou um cara básico, quem me conhece sabe que eu ando de jeans e camiseta branca. Mas confesso que depois do Groa meu estilo mudou um pouco… nunca usei nada muito estampado nunca usei acessórios e agora tô curtindo…

E como cuida do corpo e da mente? Yoga, Natação, musculação. Atividade física é fundamental para eu manter a minha sanidade mental, (risos).

Que qualidades suas tem orgulho e que defeitos procura combater? Procuro combater a impaciência e a preguiça. Assim como Groa sou um bom ouvido, sou uma pessoa de paz, bastante compreensivo e tolerante.

Lá na frente, quando já tiver anos de carreira, como quer ser reconhecido pelo público? Pelo meu nome: André Dias, é a única coisa que um ator tem!

 

Fotos Lúcio Luna

Produção executiva Márcia Dornelles

Beleza Aline Albuquerque

André veste:

LOOK 1: Casaco e calça Lamafia, acessórios Mário Brito

LOOK 2: Camisa e calça jeans M Pollo, jaqueta Bhuphallos

LOOK 3: Cardigan Von Der Volke, botas Tutu Sapatilhas