A 22ª edição do Cine PE – Festival do Audiovisual começa nesta quinta-feira (31), no tradicional Cinema São Luiz. Uma das maiores vitrines da produção audiovisual brasileira, neste ano, o evento chega ao público repleto de novidades. Para Sandra Bertini, diretora do festival, o Cine PE é uma ferramenta de compartilhamento, debate e polarização. “São mais de duas décadas investindo e respirando o mercado cinematográfico brasileiro. O Cine PE tem uma memória afetiva de suma importância para a produção audiovisual em Pernambuco. Aqui nós estreamos “Central do Brasil” com Fernanda Montenegro presente na plateia. Chegamos a mais um ano com a certeza de que trabalhamos em cima de uma programação plural, que dá espaço para filmes e curtas de todo o Brasil, mas que também abre as portas para o que está sendo produzido aqui, que muitas vezes o país sequer tem a oportunidade de conhecer”, exaltou Sandra.

Homenagens

A atriz Cássia Kis, que recebeu a honraria máxima do evento, o Troféu Calunga de Ouro. Kis ficou emocionada ao descobrir que receberia o prêmio das mãos do ator Gabriel Leone.

Neste ano, o Cine PE homenageia o ator Rodrigo Santoro, a atriz Cássia Kis, a cineasta pernambucana Kátia Mesel e a emissora de TV Box Brasil. Na noite de abertura do festival, os holofotes estarão sobre a diretora Kátia Mesel. Com 50 anos de carreira, Kátia é referência quando o assunto é registrar a cultura pernambucana em Super-8. Cássia Kis sobe ao palco na sexta (1º). Além de uma extensa carreira na televisão, Cássia já atuou em mais de 15 filmes, entre eles “Bicho de Sete Cabeças” (2001), de Laís Bodanzky, que lhe rendeu a Calunga de Melhor Atriz Coadjuvante no Cine PE. Santoro, premiado ator nacional que atualmente colhe os louros de sua carreira em Hollywood, é o homenageado do sábado (2). O astro atualmente interpreta Hector Escaton na conceituada série “Westworld”, da HBO. Já a Box Brasil será homenageada no domingo (3)

Mostra de cinema Kátia Mesel

Como parte das homenagens à cineasta Kátia Mesel, o Cine PE promove, no dia 3 de junho, a partir das 14h, a Mostra Kátia Mesel: 50 anos de Audiovisual. Com entrada gratuita, a mostra traz para o público oito dos curtas-metragens mais conhecidos da diretora: “Oh de Casa” (10’), “Sulanca” (11’), “Recife de Dentro pra Fora” (15’), “Fora do Eixo (8’)”, “Trailer Rochedo” (4’), “A Gira” (16’), “O Mago das Artes” (23’) e “Casa Comigo?” (6’).

Ingressos gratuitos

Fato inédito nos 22 anos de festival, nesta edição a entrada para todas as sessões será gratuita. Em comum acordo com a FUNDARPE, gestora do Cinema São Luiz, a diretora do Cine PE Sandra Bertini optou pela gratuidade, por exprimir “uma sintonia com o momento de adversidade vivenciado por todos”. Durante o festival, a bilheteria do cinema estará aberta para retirada dos ingressos, diariamente, das 16h às 20h. A distribuição das entradas estará sujeita à lotação da sala. Todos os dias serão distribuídos 700 ingressos.

Aplicativo de votação 

Neste ano, pela primeira vez, o público poderá votar nos seus filmes favoritos e escolher os premiados pelo Júri Popular por meio de um aplicativo oficial do festival. Disponível desde o dia 15 de maio no Google Play e na AppStore, para as plataformas Android e iOS, o app gratuito também traz sinopses dos filmes, fichas técnicas, a programação completa do evento e todas as notícias sobre a edição 2018. A ferramenta de votação funciona até as 23h59 de cada noite do festival e apenas nas imediações do Cinema São Luiz. O público pode escolher seu filme favorito nas Mostras Competitivas de Longas-Metragens, Curtas-Metragens Pernambucanos e Curtas-Metragens Nacionais.

Legendas para surdos e ensurdecidos

Pelo terceiro ano consecutivo, o CINE PE contará com legendagem eletrônica para atender ao público com deficiência auditiva.

Abertura

Na noite de abertura do festival, será exibido o longa-metragem Mulheres Alteradas, do diretor estreante Luis Pinheiro. A produção, que só entra em circuito comercial em 21 de junho, traz no elenco os nomes de Deborah Secco, Alessandra Negrini, Maria Casadevall e Monica Iozzi. Na mesma ocasião, será exibido o curta de animação Desculpe, Me Afoguei, dirigido por Hussein Nakhal e David Hachby. A película é fruto de uma colaboração entre a organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) e o estúdio libanês Kawakeb.

Mais informação acesse: http://www.festivalcinepe.com.br/