Na contramão daqueles que ainda pensam que os cuidados estéticos pertencem somente ao universo feminino, muitos homens vêm utilizando cada vez mais os benefícios dos tratamentos de beleza à seu favor. E não só por autoestima. É que eles já descobriram que a boa aparência pode abrir portas também na vida social e profissional.

É o caso de Plínio Marcos, gerente de vendas, de 45 anos. Mesmo com uma agenda intensa de compromissos, ele não abre mão de uma rotina de cuidados diários, com proteção solar e antioxidantes. “Trabalhando no segmento de beleza, logo entendi a importância de usar os produtos certos para combater o envelhecimento precoce. Por outro lado, coordeno pessoas. Percebo que a minha equipe fica mais motivada se tenho uma boa apresentação”, afirma. Plínio vai à dermatologista duas vezes ao ano, uma delas, especificamente no inverno, quando ele prioriza procedimentos mais potentes, que podem deixar a pele sensibilizada.

Com pele mista e uma tendência à queda capilar, durante a estação mais fria do ano, Plínio se submete a sessões mensais de peeling de ácido retinoico e luz pulsada, além da terapia de luz LED (azul e vermelha) associada ao microagulhamento no couro cabeludo. “O tratamento facial reduzir a oleosidade, suavizar linhas e rugas, dando à pele mais homogeneidade. Já a terapia capilar estimula o crescimento de novos fios e aumenta o calibre dos mesmos”, explica a Dra. Sara Bragança, médica, membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

O cirurgião plástico Marcelo Moreira, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, lembra que, embora exista uma grande parcela de homens vaidosos, o público masculino possui características peculiares. “Em geral, os pacientes não gostam de procedimentos muito longos, preferem os tratamentos menos invasivos e desejam resultados rápidos e efetivos”, afirma.

Para retardar a necessidade de uma intervenção cirúrgica em peles maduras, como a de Plínio, o médico indica uma sessão anual do laser de CO2 Fracionado, que promove o rejuvenescimento de dentro para fora. “O tratamento provoca micro lesões na pele, que fazem com que o organismo responda estimulando a cicatrização e a remodelação do colágeno, com contração das fibras e diminuição da flacidez”, explica.