No último mês de Setembro de 2018, aconteceu em Veneza, na sede da Fundação Giorgio Cini, localizada na linda ilha de San Giorgio, a primeira  grande exposição dedicada a maestria artesanal de toda a Europa: a Homo Faber, uma iniciativa da Michelangelo Foundation for Creativity and Craftsmanship, organização internacional com sede em Genebra fundada da Johann Rupert e Franco Cologni. Um evento cultural de relevância mundial com o intuito de valorizar os trabalhos de arte contemporânea e tradicional e as suas ligações com o universo do Design.

A revista MENSCH foi conferir de perto o evento e fizemos uma verdadeira viagem na descoberta do savoir-faire de excelência europeia, onde pudemos encontrar artesões, e mergulhar na visão criativa deles com demostração ao vivo e as mais avançadas tecnologias de realidade virtual.

Dentre as várias maisons presentes no evento, uma em especial chamou a nossa atenção, aquela da caneta tinteiro mais famosa do mundo a Montblanc. Que na Homo Faber apresentou a rara arte do artesanato em pena de ouro. E, independentemente de muitas inovações que a marca foi pioneira ao longo dos anos, desde o seu lançamento em 1906, em Hamburg na Alemanha, a pena, referida como a alma de todos os instrumentos de escrita Montblanc, continua a exigir a maior paciência e habilidade para colocar lado a lado ferramentas de alta  precisão e trabalho manual, processo que leva anos para se dominar.

Na Homo Faber os artesões da Montblanc compartilharam a paixão duradoura e e o conhecimento que sustentam o status da marca como a grande pioneira na cultura da escrita. Ali, os artesões refizeram as habilidades que foram aperfeiçoadas na sua manufatura em Hamburgo, por mais de 110 anos e que continuam à serem transmitidas aos novas gerações de artesões na grande tradição do artesanato europeu. E sempre na Homo Faber, a Montblanc, em estreia mundial,  apresentou pela primeira vez a Expression Nib. A mais recente pena concebida pela marca (definida para ser lançada oficialmente no verão de 2019); essa inovadora pena de ouro permite uma caligrafia mais elaborada, com recursos especiais de pena flexível, que permitem uma variedade de estilos de escrita e proporcionam uma sensação de escrita excepcional.

UMA JOIA EM TRÊS PARTES

Ali também aprendemos que as penas Montblanc são esculpidas a mão em ouro maciço, por mestres artesões, que supervisionam 35 etapas elaboradas. Cada pena é o resultado de uma perícia absoluta, acabamento perfeito, assim como  intuição e bastante paciência para executar essas etapas fundamentais. É durante o processo de esmerilamento que a pena é imbuída de uma alma, moldando o ouro em um dos muitos tamanhos diferentes oferecidos aos clientes de Montblanc.

A monatagem, das três partes, a caixa do alimentador de tinta, o alimentador de tinta e a pena de ouro, é uma exercício de exatidão para garantir que todas as peças estejam perfeitamente posicionadas e não se movam à medida que são cuidadosamente reunidas. A definição da pena também é um passo exigente e deve ser executada com grande precisão e destreza, para garantir a qualidade da escrita e o fluxo de tinta correto através da pena. Antes que qualquer instrumento de escrita tenha permissão para deixar a manufatura, ele deve ser testado manualmente, usando diferentes ângulos de escrita, pressões e velocidades, para garantir que ela atenda aos padrões de perfeição definidos pela Maison. Um bom ouvido desempenha um papel crucial: o especialista em escrita com caneta-tinteiro escuta atentamente o som que cada pena faz enquanto desliza sobre o papel. Somente as penas que não riscam ou falham e, assim, geram um som contínuo, passam pela inspeção de qualidade especial.

Já com a Bespoke Nib, a experiência de escrita sob medida, a Montblanc aproveita da tecnologia atual para aprimorar ainda mais o ato ancestral de colocar a caneta no papel. O software captura cada caligrafia da escrita de um indivíduo, analisando com extrema precinção a pressão da escrita, o ângulo de inclinação, bem como o ângulo do giro e a rotação do instrumento de escrita. Os dados são interpretados por um especialista da Montblanc, que recomenda a pena que corresponde exatamente às necessidades do cliente, entre as oito penas diferentes da Montblanc (escrita extrafina à oblíqua dupla e até mesmo oblíqua tripla) ou ainda fazem uma pena totalmente personalizada, para obter uma caligrafia especialmente grossa ou fina.

O PEQUENO PRÍNCIPE

E para terminar o nosso tour no universo da famosa caneta tinteiro nos encantamos com a primeira séria da edição Montblanc Meisterstück Le Petit Prince Special Edition (lançada em abril de 2018), que apresenta os personagens inspiradores e cheios de ternura do jovem príncipe e da raposa que o ilumina sobre a importância de ter laços estreitos e relacionamentos humanos, revelando a sabedoria básica aprendida com as experiências de sua própria vida. As edições subsequentes irão destacar outros personagens de “O Pequeno Príncipe” e as poderosas mensagens que eles carregam, incluindo o aviador e o planeta. A Montblanc Meisterstück, ícone de cultura e escrita, é um dos presentes favoritos entre os produtos Montblanc – um precioso tesouro transmitido de uma geração para a outra.

E para terminar, vos deixo com algumas curiosidades da caneta pena mais famosa do mundo: a Montblanc até a década dos anos 80 fazia canetas com valores econômicos e só partir do final dessa década, depois de ter retirado todos os modelos econômicos do mercado,  ela começou a fabricar canetas refinadas com um custo mais elevado. No ano de 2006 para celebrar o centenário da marca foi lançada um modelo com o símbolo da Montblanc feito de diamante com um corte e design patenteado (sendo a primeira maison no mundo a possuir o seu patenteado corte de diamante derivado do seu emblema). Na pena (ponta da caneta) de cada Monblanc, vem gravado o número 4810, correspondente a altura do Mont Blanc em metros.