Desde quando apareceu na TV pela primeira vez na novela Mulheres Apaixonadas, da TV Globo, como o Expedito, Rafael Calomeni deu uma quinada na sua trajetória profissional passando de modelo (formado em construção civíl) à ator em horário nobre. De lá para cá não parou e cada vez mais se dedicou à sua carreira de ator encarnando personagens diversos fazendo o público poder acompanhar sua carreira. Carreira essa marcada que lhe proporcionou ser de cowboy à robô, de jogador de futebol à detetive. Porém no final de 2010 veio seu maior (e melhor desafio) ao encarar seu real papel de pai. E foi a partir daí que uma nova história se desenrolou e Rafael como sempre encarou, como todo o prazer, esse novo desafio.

Você é formado em Construção Civil e Fisioterapia. Como foi trocar a fisioterapia e a construção civil pela vida de ator? As coisas foram acontecendo naturalmente, mas o interesse em trabalhar nesse meio foi ficando mais evidente ao longo dos anos. Como qualquer criança, já participava de teatros no colégio. Além disso, fui tomando gosto por leituras e aos dezesseis anos, acompanhando minha prima em um concurso para a marca Ellus, tive a oportunidade de conhecer o caça-talentos Sergio Mattos que me convidou para trabalhar como modelo. Depois disso, em um desfile em Búzios, fui convidado para um concurso da Elite Models e acabei ganhando o municipal e estadual, sendo logo convidado para trabalhar na agência. Em paralelo, sempre continuei com meus estudos de teatro, focando cada vez mais na interpretação, o que me proporcionou um convite para a minha primeira estréia em novelas – Campeão de Jayme Camargo – em 1996.
Depois de algumas novelas e programas especiais interpretando personagens bem diferentes. Dá pra eleger algum em especial? Essa é uma pergunta bastante difícil (risos). Já tive oportunidade de interpretar, entre outros, um detetive, cowboy, jogador de futebol, instrutor de esportes radicais, o “bom moço” e até um robô. Ou seja, me sinto muito feliz por poder mostrar meu trabalho de diversas formas, o que me faz crescer cada vez mais como profissional. É claro que cada personagem tem sua particularidade e essência, por isso todos me agradaram.
É mais difícil estrear na TV ou se manter nela? Uma vez o Mario Lucio Vaz me disse que seria se manter nela. Eu concordo!
Sua última novela foi Ribeirão do Tempo onde você interpretava o personagem Newton, como foi interpretá-lo? O Newton foi um presente muito bom que recebi do autor Marcílio Moraes. interpretá-lo tem sido um grande desafio, já que se trata de um personagem bem diferente do que eu já havia feito, complexo e cheio de particularidades que eu adoro. A preparação para compor o personagem foi intensa, mas tem sido maravilhoso interpretar um homem que gosta da vida, da natureza, de esportes radicais e acima de tudo, um pai, mesmo que separado, algo muito presente hoje em dia na sociedade moderna.
O que a carreira de modelo e ator te trouxe de melhor? Sem dúvidas ambas carreiras me transformaram no que eu sou hoje. Sou apaixonado pelo que eu faço e acredito que pela minha história, se eu não tivesse iniciado como modelo, talvez não tivesse almejado a carreira de ator. Uma carreira foi complemento da outra e, embora, o caminho não seja fácil, estou muito feliz de continuar colhendo os frutos dessa minha dedicação.
Você se sentiu mais cobrado por ser um estreante no horário nobre ou por ter que mostrar que também tinha talento e não ser apenas um cara boa pinta? Posso te jurar que no primeiro momento eu não pensava nisso. Só passei a pensar quando vi que tudo era bem diferente do que eu imaginava.
Você se tornou pai ano passado. O que mudou em sua cabeça com a chegada da paternidade? Você poderia me perguntar isso daqui um ano? Acho que ainda estou extasiado; cada momento é uma surpresa nova e apaixonante. Só te digo que tem sido o melhor presente que Flávia e eu poderíamos ter recebido. Como eu acompanhei o parto, tive uma explosão de adrenalina muito grande. Tinha muita vontade de enxergar cada parte dele, cortei o cordão umbilical e fiquei ao lado dele e da Flávia o tempo todo. O melhor e maior amor da vida… FILHO!
O que você viveu na sua infância que gostaria que seu filho vivesse também? As amizades do dia a dia que se faz nas brincadeiras de rua. Essas são pra sempre!
Agora que está casado, a instituição “casamento” continua tendo o mesmo significado pra você? Qual a melhor e pior parte de se está casado? Eu não saberia responder muito bem. Sei que como tudo na vida o casamento não e perfeito. Perfeição e utopia. A verdade e que existe uma escolha e ai você procura fazer o seu melhor!
Em entrevistas você comentou que é a favor de liberdade num relacionamento. Quanto e como é saudável? Ora, e simples. Tudo que pode dar errado em um relacionamento passa pela mentira. Então e melhor deixar as coisas claras e bem ditas. Lembrando sempre que outro também tem um posicionamento e uma escolha.
Como você lida com a sua vaidade? Quanto ela pesa pra você? Como se cuida? A minha vaidade esta ligada à minha saúde. Dessa forma, procuro me alimentar bem, beber muito água, usar protetor solar e sempre que posso, manter uma regularidade com meus esportes, seja surfe, boxe, futebol e running.
O bom de ser homem é poder… Ser mais racional (risos)
Quando não está gravando o que curte fazer pra relaxar? Viajar, dormir, ler, jantar, ir a restaurantes e estar ao lado da minha família.
O que espera para 2012? Quais seus projetos para esse ano? Vários, mas pra frente eu conto.
Fotos: Alan Chaves
Direção de Produção: Márcia Dornelles – MD PRODUÇÔES www.mdproducoes.com

Styling: Rodrigo Coelho
Make-up: G. Junior
Video maker: Carlos Rodrigues

Rafael veste:Look I: Bermuda e T-shirt branca – Toulon
Camisa estampada – Colcci
Look II: Bermuda, T- shirt e cardigan – Toulon

Veja o vídeo com o making of do ensaio: