Como o Brasil pegou gosto por assistir os torneios de UFC, nada mais comum que a procura pela prática das artes marciais também tenha aumentado. Logo, nada mais oportuno que entender um pouco do que se passa nos tatames aqui na MENSCH.


Kimono a postos vamos começar fazendo uma reverencia ao Jiu Jitsu, uma técnica antiga que chega a ser uma filosofia de vida. Conforme nos conta alguns historiadores, o Jiu-Jitsu ou “arte suave”, nasceu na Índia e era praticado por monges budistas preocupados com a autodefesa. Os monges desenvolveram uma técnica baseada nos princípios do equilíbrio e sistema de articulação do corpo evitando o uso da força e de armas. Com a expansão da doutrina budista, o Jiu-Jitsu percorreu o sudeste asiático, a China e, finalmente, chegou ao Japão, onde se desenvolveu e se tornou popular.
MADE IN JAPAN
 
A partir do final do século XIX, alguns mestres de Jiu-Jitsu migraram do Japão para outros continentes, tendo como seu ofício ensinar arte marcial. Dentre eles, destaca-se, Esai Maeda Koma, conhecido como Conde Koma, que depois de viajar com sua equipe lutando em vários países da Europa e das Américas, chegou ao Brasil em 1915 e se fixou em Belém do Pará.
A família Gracie, seguindo o legado do patriarca Gastão Gracie, também se destaca no país onde logo adquiriram fama e notoriedade. Quanto aos japoneses, que vieram para o Brasil atraídos pelo novo mercado que se abriu em torno do Jiu-Jitsu, nenhum deles formou uma escola tão sólida quanto a da Academia Gracie, pois a luta praticada pelos japoneses privilegiava as quedas, já os Gracie, o aprimoramento da luta no chão e os golpes de finalização. Anos depois, a arte marcial japonesa passou a ser denominada de Jiu-Jitsu brasileiro, sendo exportada para o mundo todo, inclusive para o Japão.
 
O esporte é muito interessante, pois transmite aos praticantes uma filosofia de vida e conceitos de alimentação natural, capaz de tornar o ser humano mais tolerante, respeitoso e autoconfiante. Tradicionalmente não se utilizam golpes traumáticos já que os mesmos não eram muito eficazes no contexto em que a luta foi desenvolvida: samurais utilizando armaduras.
 
Já falando tecnicamente, o Jiu-jitsu é uma arte marcial que utiliza alavancas e pressões para derrubar, dominar e submeter o oponente. Na luta, utiliza-se a própria força e também a força do adversário contra ele mesmo nas técnicas de alavanca. Isso possibilita que o lutador, mesmo sendo fisicamente inferior ao seu oponente, consiga vencer. 
No chão, com as técnicas de estrangulamento e com as técnicas de pressão sobre articulações, é possível submeter o adversário, fazendo-o desistir da luta (competições), ou, no caso da luta real, desmaiando-o ou rompendo-lhe uma articulação. O interessante no jiu-jitsu é a imprevisibilidade da luta imprevisível, nunca se sabe como uma luta vai acabar quando dois adversários estão se confrontando. Entre os praticantes costuma-se dizer que o Jiu-jitsu não é violência nem covardia, é, sobretudo, eficiência, equilíbrio e tranqüilidade.

BENEFÍCIOS
– Equilíbrio entre corpo e mente;
– Trabalho de flexibilidade e condicionamento físico;
– Excelente para perca de peso, tonificação e definição muscular. São perdidas até 1000 calorias em uma aula de 1 hora e meia;
– Aprendizado de diversas artes marciais (Jiu-Jitsu, Muay Thay, Boxe, etc.)
– Disciplina, respeito e companheirismo;
– Defesa pessoal;
– Combate o stress e proporciona bem-estar após a prática.
– Defesa pessoal tanto para homens quanto para mulheres
– Acelera o metabolismo
– Melhora a capacidade cardiovascular e respiratória 

Por conta de seus preceitos o Jiu-jitsu costuma auxiliar na formação do cidadão, por isso pode e deve ser praticado desde criança, já a partir dos cinco anos de idade. É também indicado para pessoas que tenham como objetivo aumentar a capacidade cardiovascular, evitando riscos futuros de problemas cardíacos ou respiratórios, uma vez que exige bastante condição física do praticante.

Para quem pretende perder peso este esporte é também uma boa opção já que proporciona uma perda de em média 750 Kcal/H, podendo se aumentar a queima calórica através dos exercícios aeróbicos e anaeróbicos. Em aula mais avançada de jiu-jitsu pode-se perder até 1.500 Kcal/aula.
 
No período de 4 a 6 meses o  praticante já começa a sentir diferença no corpo e nas condições de luta caso tenha uma freqüência mínima de três vezes por semana. Os resultados podem ser otimizados quando a prática esportiva é associada a uma boa alimentação, o respeito ao prazo de recuperação do corpo (músculos) e principalmente determinação. Para quem busca a prática esportiva de maneira profissional, a dedicação e frequência de treinos podem render resultados rápidos e eficazes permitindo ao praticante alcanças níveis de graduação em pouco tempo.
 
REFERÊNCIA –
ROGER GRACIE
Em 2004, Roger protagonizou uma luta memorável na final da categoria absoluto do Campeonato Mundial de Jiu-Jitsu.  No ano seguinte, foi campeão na categoria (até 98 kg) e no absoluto do prestigiado Abu-Dhabi Combat Contest. Em 2010, consagrou-se o primeiro tri-campeão mundial de jiu-jistu na categoria absoluto. Estreou no MMA em 2006 e venceu suas quatro primeiras lutas por finalização, na categoria meio-pesado (até 93 kg). Em 2011 enfrentou o ex-campeão meio-pesado do Strikeforce, Muhammed Lawal, perdendo pela primeira vez na categoria por nocaute, o que levou Roger a repensar sua estratégia de luta, abaixando o peso da categoria, vendendo recentemente o americano Keith Jardine.

FONTES:www.graciebarra.com/ (brasileiro que levou o jiu jitsu pro mundo inteiro)www.sonhodagua.com.br/servicos (academia de jiu jitsu em João Pessoa/PB)http://cavacabjj.com.br/jiu-jitsu/ (a história do jiu jitsu)www.jajiujitsu.com.br/noticias.php?cod_noticia=52 (benefícios do jiu jitsu)www.checkmatbjj.com/ptbr/index.php
Acompanhe a
MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face:
RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb