Algumas escolhas na vida nos fazem encarar grandes desafios. Cresci praticando esportes, mas corrida veio como uma atividade complementar. Tudo mudou quando em 2013 me escrevi numa corrida oficial de 10K, sem nunca ter feito essa distância antes. Foi minha primeira conquista nesse esporte. Com os treinos cada vez mais constantes, busquei novos desafios com provas de 10K, 15K e 21K, até almejar correr uma Maratona – um dos maiores desafios de um corredor de rua. Em 2016 decidi encarar uma das mais importantes e difíceis maratonas do mundo: a TCS New York City Marathon! Foram 42.195m em 3:54h de muita superação.

“A corrida já não era apenas um esporte, era um estilo de vida”.

No dia 16 de setembro de 2018, comemorei meus 45 anos com a minha 2º maratona internacional, encarando a 45ª BMW Berlin Marathon, que faz farte da “World Marathon Majors”, série composta por seis das maiores e mais famosas maratonas do mundo. As corridas acontecem em Tokio, Boston, London, Berlin, Chicago e New York.

Foram doze semanas de preparação árdua num período bem tumultuado da minha vida, administrando situações pessoais e um novo desafio profissional. O apoio da família e amigos, principalmente da minha esposa Rafaela Carrilho, sempre presente fazendo a cobertura fotográfica das provas e do amigo que a corrida me deu, Sérgio Rodrigues, parceiro de treinos e provas e que estreou sua primeira maratona internacional em Berlin comigo, foram fundamentais. Apesar de plana, a maratona de Berlin é desafiadora e fascinante, exigindo uma boa preparação física e mental. Em dois momentos da prova essa preparação foi testada: já no km14, meu relógio apagou e fiquei sem informações de ritmo e distância. Obviamente que houve um certo impacto no meu emocional, pois meus treinos foram baseados no controle do “pace”, mas lembrei de que quem comandava a minha mente era eu e controlei, aos poucos, o desespero; Depois, faltando 5km para o fim da prova, tive contratura muscular nas duas coxas e, mesmo com muita dor, tentei manter meu ritmo… Naquele momento, toda a preparação veio como um filme na minha cabeça. Eu não podia desistir! A dor era momentânea, mas a conquista seria para sempre. Ao ver o Portão de Brandemburgo se aproximando e as pessoas gritando “vai Brasil”, senti a energia que faltava para cruzar a linha de chegada carregando a nossa bandeira verde e amarela no momento mais emocionante. Completei a prova em 3:49h – 5 minutos abaixo do tempo da minha primeira maratona (New York). Um bom resultado pessoal!

O ESPORTE QUE PREPARA PARA VIDA!

Correr uma maratona é um desafio possível a qualquer pessoa, porém não é algo que realizamos do dia para noite. A preparação é árdua e exige planejamento, objetivos claros e bem definidos. Entenda os motivos que te levaram a escolher esse desafio! Eles irão te dar forças para continuar nos momentos mais difíceis. Defina a estratégia de treinos! São, no mínimo, 12 semanas de preparação intensa que devem ser acompanhadas por alguns profissionais, como um preparador de corrida, um nutricionista, um fisioterapeuta e um cardiologista. Tenha muita disciplina! a rotina de treinos é cansativa e muitas vezes solitária. Tenha foco! Isso exige uma boa gestão do seu tempo. Cuide de você, da sua alimentação e do seu sono! Esses são fatores decisivos para realizar uma boa prova. Planeje o orçamento! Gastos com alimentação e suplementação, acompanhamento profissional e, dependendo da escolha da maratona, com a própria corrida devem estar no seu planejamento. Acredite em você! Concluir uma maratona desenvolve um conjunto de habilidades que fará de você mais que um bom atleta, irão desenvolver seu âmbito pessoal e profissional, com mais foco e resiliência.

“QUANTO MAIS DIFÍCIL OS TREINOS, MAIS FÁCIL SERÁ A PROVA”

Agradecimento especial aos profissionais Daniel Filgueira (Personal Running), Carolina Fisner (Nutricionista Esportiva) e Deborah Angeiras (Fisioterapeuta), fundamentais no processo de preparação.

A IMPORTÂNCIA DA FISIOTERAPIA ESPORTIVA NA PREPARAÇÃO DO ATLETA.

Uma maratona submete o atleta a um grande desgaste muscular, articular e de ligamentos, além do desgaste nutricional, emocional e psicológico. É necessário atuar de forma unificada, considerando que todos esses fatores estão interligados, interferindo entre si.

A preparação consiste numa extensa avaliação do atleta, que servirá de base para definição do prognóstico e protocolo de tratamento que visa a melhor evolução da performance. No trabalho com um maratona, são feitas avaliação postural e teste de mobilidade global, visando identificar possíveis disfunções e limitações de movimento. Com técnicas osteopáticas, é feita avaliação visceral para correção de disfunções articulares, envolvendo coluna cervical, quadril e lombar, assim como técnicas de liberação visceral e cicatricial. Para alívio da dor muscular e articular devido ao excesso de treinos, a utilização de ventosas, ultrassom com corrente de alta voltagem e liberação miofascial, são bem eficientes. São utilizados também, bandagem neuromuscular para estabilização articular e relaxamento muscular.

A avaliação do tipo de pisada para escolha do tênis adequado, assim como as orientações de exercícios cardiorrespiratório e aquecimento articular e muscular, são etapas importantes antes da prova. Considerando a eficiência do tratamento preventivo e boas condições do atleta, as dores e desconfortos serão mínimas, considerando a longa distância da corrida. Na recuperação pós prova, são utilizadas técnicas de massagem para liberação do acúmulo de ácido lático e redução da fadiga muscular. A fisioterapia esportiva atua na prevenção, orientação e tratamento do atleta, sendo assim sua grande aliada.

Por Deborah Angeiras | Fisioterapeuta e Osteopata (CREFITO CRN 204421-F) 

NUTRIÇÃO ESPORTIVA COMO ALIADA DO ATLETA

Atividades de intensidade elevada e exaustão como uma Maratona, levam o atleta a um quadro de estresse oxidativo – produção de radicais livres, devido ao aumento do consumo de oxigênio para conversão de nutrientes em energia. Para potencializar a produção de antioxidantes deve ser realizada uma alimentação rica em verduras, legumes e frutas. Durante a preparação é preciso considerar que haverá agravante no quadro de inflamação muscular devido a microrruptura tecidual, normal em quadros de hipertrofia e longa duração dos treinos que ocasiona um quadro de fadiga prolongado pós estimulo. Para melhorar o rendimento e performance é recomendado que aproximadamente 90 dias antes da competição evite alimentos inflamatórios como os laticínios de origem animal, substituindo inclusive a suplementação por de origem vegetal. Essa adequação irá proporcionar menor fadiga durante os treinos, melhor performance durante a prova e menor tempo de recuperação. É através do suor que perdemos minerais essenciais como sódio, cálcio e potássio, importante garantir a hidratação com isotônicos para a reposição de eletrólitos durante a prova. A correta orientação da alimentação e suplementação na preparação do atleta por um nutricionista é o diferencial para obter uma boa performance.

Por Carolina Fisner |Nutricionista Esportiva (CRN 8502)

CONSTRUINDO UM RESULTADO

A preparação para uma maratona necessita da combinação de treinos de fortalecimento muscular e de corrida. O preparador físico tem papel fundamental como treinador de um atleta profissional ou amador. Cabe a ele direcionar os treinamentos físicos, assim como, as avaliações corporais e de desempenho. É responsável pelo controle dos recursos utilizados em cada treino, medir os valores fisiológicos do atleta e avaliar os resultados que mudam a cada modalidade.

Já é familiar o conceito de preparação física específica como sendo um componente do treinamento, cujo objetivo principal é o desenvolvimento e melhoria das capacidades motoras que influenciam diretamente a performance do atleta durante a prova. Esse processo é de grande complexidade e, normalmente, envolvem os aspectos, técnico-tático, físico e psicológico. Todos requerem preparação específica de grande importância para o desenvolvimento global do atleta. Quando um desses aspectos é falho, o atleta estará comprometendo o seu grau ótimo de rendimento que poderia alcançar. Durante a preparação, além do trabalho de fortalecimento, são desenvolvidos exercícios educativos e coordenativos com ênfase no ganho de consciência corporal e aprimoramento das técnicas de corrida. A participação do professor nos treinos junto ao atleta é o grande diferencial, permite observar a postura, frequência de passada, ritmo e respiração e fazer as correções necessárias para o desenvolvimento do atleta.

Por Daniel Filgueira | Preparador Físico