A jovem atriz Giullia Buscacio, apenas 22 anos, emocionou muita gente em 2016 quando interpretou a romântica Olivia, filha do protagonista Santo dos Anjos (Domingos Montagner), em “Velho Chico”. “Tivemos uma relação de pai e filha em cena e nos bastidores, e é essa imagem que levo comigo com muito carinho e respeito por sua história”, comentou Giullia em entrevista à MENSCH. Uma verdadeira prova de fogo para o que vinha pela frente, a índia Jacira em “Novo Mundo” e atualmente a Elisa em “O Sétimo Guardião”. Aos poucos ela vai formando sua bela galeria de personagens marcantes que em breve terá mais uma para contar história. Enquanto Giullia não encerra um trabalho e começa outro, fomos conversar com ela para entender melhor seu momento e o que esperamos do seu futuro. Aliás, futuro essa garota tem viu!?

Giullia, desde de nosso último papo em 2015 quando você fazia “I Love Paraisópolis” até hoje muita coisa aconteceu. Se surpreendeu com o rumo da sua carreira? O que mais marcou até aqui? Muita coisa mudou, acredito que “Velho Chico” foi um divisor de águas em minha vida e contribuiu pra minha formação profissional e pessoal

Verdade que você descobriu que queria ser atriz ainda criança? Como foi esse despertar para a profissão? Devido ao trabalho do meu pai, morei 4 anos na Coreia do Sul e era uma época em que assistia muitas novelas coreanas, o que despertou o desejo da profissão em mim.

Que lembranças ou influencia guarda desse período da sua vida na Coréia do Sul? Esse período foi muito importante para que eu aprendesse a lidar com as diferenças de uma maneira encantadora, aprendi a falar outra língua, a me adaptar, entender e respeitar as diferenças.

Logo após “I Love Paraisópolis” você foi para “Velho chico” que foi uma novela marcante. Seu papel em especial foi bem importante e tinha uma relação muito próxima com o personagem principal (interpretado por Domingos Montagner). Como foi participar desse trabalho e como foi finalizar diante da tragédia com Domingos? O que ficou de lembrança? Essa pergunta me faz suspirar de amor por lembrar de tantas coisas boas que vivi nesse trabalho. Domingos foi e continua sendo um exemplo pra mim de um ator generoso, humano e admirável. Tivemos uma relação de pai e filha em cena e nos bastidores, e é essa imagem que levo comigo com muito carinho e respeito por sua história.

Na sequência veio a índia Jacira em “Novo Mundo”. Como foi brincar de índio? Uma responsabilidade enorme representar um povo que infelizmente não tem o respeito devido, que continua lutando bravamente por coisas que são de direito. As pessoas têm uma imagem muito antiga daquilo que os índios são, assim como todos nós, eles evoluíram em alguns aspectos e nem por isso deixaram de ser quem são.

Agora como Elisa em “O Sétimo Guardião” nessa reta final, o que fica dela em você e o que emprestou de seu para ela? Sempre aprendemos com nossos personagens e contribuímos com um pouco de nós pra eles. Da Elisa levo mais um pouco dessa sede de viver.

Após o término de “O Sétimo Guardião” e antes do próximo trabalho (Éramos Seis) o que pretende fazer para relaxar? Pretendo tirar curtas férias, gosto de viajar e aprender com diferentes culturas. É o que pretendo fazer nesse curto intervalo, me alimentar de novos lugares.

Você está namorando? o que te atrai em um homem e o que ele precisa ter para atrair sua atenção? Não estou namorando. Acredito em energia, muito mais que em aparência.

Nesse ensaio para a MENSCH você está bem sensual. Como se ver na hora de posar de sensual? Acho que a sensualidade vem de estar confortável com aquilo que você é. Uma pessoa feliz é uma pessoa sensual.

Tem gente que aponta você como a Camila Pitanga da nova geração… O que acha disso? Uma honra, sou fã da Camila Pitanga e tive o prazer de trabalhar ao seu lado, uma atriz dedicada, talentosa e humana. É um elogio e tanto.

Você parece ser bem descontraída e moleca no dia-a-dia. É isso? Como se avalia? Concordo! (risos) Adoro meu lado menina e acho que isso me traz brilho nos olhos.

Para conquistar Giullia basta… Ter um bom coração.

Fotos Sergio Baia

Make up Walter Lobato

Styling Herik Dumont

Locação Mansão Santa Teresa