Com 35 anos de carreira, Renata Castro Barbosa é uma das estrelas do humorístico “Zorra”, na Globo. Mas antes de enveredar para o humor Renata fez sua estreia na TV há 30 anos na novela “Vale tudo”, em um papel sério. Depois a atriz ganhou destaque ao viver a doce Letícia em “Tieta”. Depois disso, sua veia humorística se revelou de vez com a bigoduda rival de Marinete, na série “A Diarista”, onde passou mais dois anos como a divertida personagem Gislene. Entre personagens mais dramáticas ou bem humoradas, Renata passou por novelas como “O profeta”, “Sete pecados”, “Caras e bocas” e “Amor à vida”. Enveredou para o cinema, onde atuou em dez filmes, tais como “Ninguém entra, ninguém sai”, e para o teatro, por onde passou por dezenas de peças, tais como os sucessos “Os Famosos Quem” e “Toalete”. Renata é leve, talentos e muito versátil. Prova disso é esse ensaio feito para a MENSCH onde a atriz aparece mais sexy do que nunca!

Você está festejando 35 anos de carreira. Como avalia sua trajetória? Tenho muito orgulho de poder viver da minha profissão! Quem escolhe viver de arte, em um país que não dá tanto valor a ela, é guerreiro! (risos) Acho que fiz boas escolhas e tive muita sorte também. Nesses 35 anos tive oportunidade de trabalhar com pessoas incríveis, que me ensinaram muito e ainda ensinam! Tive momentos bem complicados também, claro. Pensei em desistir algumas vezes… Mas agradeço de ser cabeça dura e ter ido em frente!! Que eu tenha fôlego para mais 35!!!

O “Zorra”, programa do qual você participa, foi remodelado e chegou a ser indicado ao Emmy. Como é fazer parte deste projeto? Um sonho! Não só pelo Emmy, mas a turma que faz parte disso (e não somos poucos!!), é para deixar qualquer um orgulhoso! Nossa “coxia” é uma delícia! E poder falar de assuntos em tempo quase real, fazer críticas ao que tá aí de mais absurdo, com essa galera é simplesmente maravilhoso!! Temos uma equipe de roteiristas, diretores, figurino, arte, cenografia, que vou te falar… Êta povo bom!!!!

Há alguns anos você tem feito muitos trabalhos de humor. Como descobriu essa sua vertente cômica? Você se acha engraçada no dia a dia? Nem sei dizer como descobri… Comecei fazendo novela, personagens dramáticos… Mas no teatro sempre acabava indo para o humor, mesmo sem ser uma escolha… Com o tempo, acho que começaram a me ver mais assim na TV também e foi uma coisa natural, “migrar “para o humor. Acho que sou divertida no dia a dia e tento ver a vida com mais leveza, mas quando estou de mau humor. Nossa, sou muito chata!!! (risos) Pergunte ao meu marido e ao meu filho… (risos)

Aliás, o que te faz rir? Já foi mais fácil rir, né?! Mas adoro rir de mim mesma! Coisas bobas me fazem gargalhar. Tenho riso frouxo e meus amigos sabem disso, então já viu… (risos) Tenho várias crises de riso com minha mãe e meu filho, por exemplo… Qualquer bobagem liga nosso “gargalhômetro”!

E o que te tira do sério? Grosseria e abuso de poder me tiram do sério. Alguém usar “de seu cargo maior” para destratar um subalterno, por exemplo… Falta de generosidade… E passividade que tomou conta de nós, com essa roubalheira e privilégios que estão aí, me tira do sério!

Sonha um fazer um drama? Não sei se um drama… Mas ADORARIA fazer uma mega vilã. Alguém bem nojenta, esnobe… Quero muito chorar escorregando pela parede, com aquela música triste ao fundo… (risos) Agora, sério. Adoraria que algum autor ou diretor “comprasse essa briga”, de me chamar para fazer alguma coisa que nem eu tenha imaginado fazer! Adoro desafio!

Com 43 anos, há um preocupação e cuidados com a beleza/ estética? Nunca fui uma pessoa ligada em estética, ginástica, corpo…Fiz esporte na adolescência e sempre gostei mais de dança, de coisas que fossem mais do que só um exercício. Mas agora estou gostando de me cuidar mais. Acho que estou mais segura comigo mesma e tendo prazer em me exercitar, em cuidar mais da alimentação… Mas não sou cliente assídua de dermatologista, nem clinica estética, não. Sou mais pela saúde mesmo. A única coisa que não fico sem fazer é depilação e unha!

Você está casada há anos com o músico Pedro Mamede. Quantos anos juntos? E qual o segredo para manter um casamento por tanto tempo? São 9 anos juntos. O segredo? Ele viajar muito! (risos) Brincadeira! Acho que a admiração que temos um pelo outro, o respeito e o amor, claro. Mas que fazemos questão de “regar” sempre! A gente sonha junto e temos a mesma visão de mundo. Estamos sempre “atentos” um ao outro. Acho que é isso…

Você se acha sexy? Sexy?? Por incrível que pareça sou muito tímida. Essa com certeza, não seria uma palavra que eu usaria para me definir. Mas depois dessas fotos até comecei a acreditar que posso ser! (risos) Quando recebi as fotos, fiquei olhando horas… Sou bem crítica comigo e fiquei chocada, porque eu gostei do que ví!! Talvez até invista mais nessa onda! (risos)

E o que é um homem sexy pra você? Homem sexy para mim, é o cara que sabe o que quer, que acredita nele, que gosta de te ver brilhar (seja no que você quiser brilhar!). É um cara sem machismos e que não goste mais dele do que dos outros! Um cara que respeite a mulher. E quando digo respeito, é no sentido mais profundo da palavra.

O que te atrai num homem? Ixii… Depende tanto… Não sou uma admiradora dos corpos sarados, por exemplo… Um sorriso, o jeito de contar alguma coisa… Um olhar, a voz… Um homem me atrai muito mais pelo que ele pensa do que pelo corpo, com certeza!!!

Vimos uma entrevista em que você fala que ensina seu filho, João de 13 anos, a lidar e respeitar as mulheres desde cedo. Nos conta um pouco sobre isso. Na verdade, tento criar o João com que acredito ser a única maneira de termos um mundo mais bacana. Que é olhando para o outro. Independente de ser mulher ou homem. Ensino o João a olhar o ser humano, de forma igual e ao mesmo tempo entendendo suas diferenças. Porque somos todos diferentes uns dos outros e é isso que acho mais rico na vida. Quero que o João possa ser ele. E não o que for imposto a ele. E que respeite as escolhas dos outros, mesmo que seja contrário as suas.

O que mais me agonia, hoje em dia, é a quantidade de gente olhando para o próprio umbigo. Não quero criar um filho assim. Quero criar um homem que olhe para as mulheres com admiração e não como objeto. E acho que estou me saindo bem. Ele é um carinha muito especial e suas opiniões e sua maneira de ver a vida tem me enchido de orgulho. É bom deixar claro, que não faço isso sozinha. Tenho um marido (Pedro), que é esse tipo de homem e que o ensina a ser assim e que o João tem um pai (Bruno Mazzeo) que segue nessa mesma linha! Somos uma equipe, nos esforçando para dar exemplos melhores. Porque realmente acredito que o que somos como seres humanos no dia a dia, ensina muito mais ao João do que “lições de moral”.

Foto Rodrigo Lopes

Beauty Caty Pires

Styling Marcelo Martins