Poucas coisas na vida são mais energizantes e gostosas do que curtir uma boa praia. Pena que, às vezes, esse momento vire uma chateação, pelo comportamento errado de algumas pessoas, que esquecem o bom senso em casa e se comportam como se fossem donas do mundo. Então, nada melhor do que lembrar algumas regas básicas de comportamento na praia, que vão melhorar a convivência em lugares públicos e dar um toque de charme à vida! Para começar, vamos lembrar que a praia é um local público, ou seja, não é seu, é de todos. E a regra básica da etiqueta na praia é a mesma regra de qualquer outro lugar: o respeito ao direito dos outros. Lembra daquela velha frase que diz que “o seu espaço termina onde começa o do outro”? Pois é! Na praia também é assim. Aqui ou em qualquer praia pelo mundo.

1- Cuide do seu próprio lixo e, se puder, ainda recolha alguma sujeira que encontrar perto de você. Nada é mais sem educação e ecologicamente errado do que deixar embalagens de protetores, latinhas, restos de comida, sacos plásticos ou qualquer tipo de detrito sólido jogado na praia. Leve um saco plástico de casa, vá juntando tudo e depois coloque numa lixeira. Isso se chama civilidade.

2 – Sabe aquela pessoa que volta de um mergulho ou de uma ducha e vai jogando água nos outros quando passa, balançando os cabelos como se fosse um cachorro molhado e respingando em todo mundo? Pois é, evite ser essa pessoa e não incomode os outros. Antes de voltar para o seu lugar, espere secar um pouquinho ou leve uma toalha para se enxugar.

3 – Por falar em cachorro, evite levar animais para a praia em dias de muito movimento. Há crianças que têm pavor a bichos, especialmente cachorros de grande porte. Se for mesmo inevitável levá-los, nunca esqueça de colocar focinheira, levar sacos higiênicos para juntar as sujeiras e de manter seu “pet” longe das pessoas. Quem quiser brincar com ele vai até vocês.

4 – Não leve som para a praia. Nem mesmo aqueles portáteis, que, aliás, estão tornando as praias e piscinas de condomínios uma verdadeira torre de babel – no final ninguém escuta nada e nem se entende. E nem pense em parar o carro, abrir as portas e ligar o som. Isto é uma das atitudes mais bregas que alguém pode ter. Ninguém deve ser forçado a compartilhar o seu gosto musical, por melhor que ele seja. Já imaginou você obrigado a ficar ouvindo um tipo de música que, embora a pessoa adore, você detesta? Lembre-se: direitos iguais. Se quiser ouvir música na praia, use “headphones”. Ou compre uma ilha deserta, onde você e seus convidados escutarão a música que você quiser impor a eles.

5 – Esportes ou jogos somente em áreas destinadas à prática de atividades esportivas. É muito chato levar uma bolada ou uma raquetada quando não se está praticando aquele esporte. Isso sem falar nos riscos de machucar uma criança ou idoso que tem o mesmo direito que você de estar naquela praia. Se quiser praticar esporte na praia, já saia de casa para um local onde existem espaços destinados às atividades esportivas que lhe agradam.

6 –  Também tome cuidado ao caminhar com chinelos entre as pessoas ou levantar a toalha ou a canga. Você pode encher de areia quem está por perto ou mesmo acertar nos olhos de alguém. Vamos combinar que é super desagradável estar curtindo a praia, tomando um drink e ser surpreendido por uma rajada de areia de alguém “sem noção” que passou correndo ou sacudindo a toalha… Ninguém merece!

7 – Na praia ou piscina, evite usar acessórios em excesso. Relógios com pulseira de metal também não são a melhor opção e os com pulseira de couro ficam com mal cheiro quando molhadas. Dê preferência aos relógios com pulseira de borracha. Aliás, existem vários modelos lindos e muito chiques em todas as grandes marcas. Meu sonho de consumo é o Aquanautic, da Patek Philippe. A exceção é se você estiver indo para um luau super descolado, ou para uma festa à beira mar onde todos estarão produzidos. Enfim, a regra é a seguinte: relógio de metal na praia só depois das 5 da tarde.

Evite cenas de namoro explícitas ou mais “calientes”. Isso pode constranger pessoas pelas reações físicas que um amasso mais forte naturalmente causa. Seja discreto e segure a onda. Se rolar o clima e for realmente inevitável, saia e vá “armar sua barraca” num lugar mais deserto, ou, no mínimo, dentro do mar.

9 – Não é proibido levar comida ou bebida para a praia. Até pode. Desde que você não vá usufruir da infraestrutura de alguma “barraca” ou “beach club”. Em lugares onde alguém investiu uma boa grana, é educado consumir alguma coisa, viu? Só não esqueça de olhar o cardápio antes de fazer o pedido, pra depois não ficar reclamando porque achou a conta cara. Piquenique são para espaços ao ar livre, não no negócio montado por alguém.

10 – Mesmo estando na praia, homens bem educados nunca sentam para comer sem vestir uma camisa ou camiseta. Principalmente quem têm pelos no peito, que podem voar para dentro do prato de alguém. Os óculos grandes, que estão na moda, além de protegerem muito bem o rosto, ainda dão um toque de charme. A Cartier tem os modelos mais exclusivos e sofisticados. Quanto ao uso de sunga, calção ou bermuda, as três opções são corretas, apenas uma questão de estilo pessoal. Para fazer bonito, observe os hábitos das pessoas mais bacanas que frequentam o local. No Brasil, a sunga sempre é uma opção interessante e deixa uma marquinha que depois faz sucesso. Na Europa, o calção é quase sempre o mais indicado e nos Estados Unidos a bermuda estilo surfista.