Foi entre mergulhos no mar no quadro “As Garotas do Fantástico”, que o grande público conheceu a bela modelo Gisele Fraga. Depois disso Gisele virou musa de uma geração e estrela de várias capas de revistas. Atiçando a libido masculina e a inveja feminina. Com muita classe, Gisele passou pelos anos e hoje a garota dos anos 80 cedeu espaço para uma mulher madura que ainda conserva sua beleza, seu bom humor e sua elegância que lhe eram peculiares. A modelo cedeu espaço para a atriz e hoje Gisele figura entre estúdios americanos onde recentemente participou do filme The River Murders, ao lado de astros como Ray Liotta e Christian Slater. Quando recebemos o convite para entrevistar Gisele, não pensamos duas vezes em aproveitar essa oportunidade de conhecer um pouco mais dessa mulher que se tornou uma referência de beleza e simpatia. E de quebra, ainda temos esse belo ensaio com nossa querida musa.

Gisele, você foi musa dos anos 80 quando surgiu no concurso Garotas do Fantástico, foi capas de várias revistas e virou sex symbol de uma geração. Como foi pra você viver esse momento? Arrepende-se de algo dessa época? Comecei a trabalhar muito jovem, uma criança. Eu ainda não tinha a menor idéia do que poderia ser virar uma sex symbol de uma geração. Eu queria trabalhar, ganhar o meu dinheiro e ter a minha independência financeira. Quando apareci no “Garota do Fantástico”, fui descoberta e trabalhei muito. Fiz inúmeras campanhas publicitárias, comerciais, catálogos, encartes, revistas e muita presença com desfile. Devido a ser uma das Garotas do Fantástico, era tudo muito normal.

Trabalhávamos todos os dias, éramos meninas responsáveis com hora para dormir, acordar e trabalhar. Não existia este assédio da imprensa como hoje em dia e eu não tinha um empresário focado em mim. As escolhas dos trabalhos eram feitas por mim mesma e pela minha agência de modelo. Eu vivia fazendo testes e mais testes. Acredito que arrependimento seria não ter tido um empresário para ter tomado conta da minha carreira e das decisões por trabalhos e ter dado um direcionamento maior e mais focado na minha carreira de atriz, enquanto eu ainda era uma menina. Hoje em dia, isso existe e naquela época, eu era muito nova e não pensava tanto no meu futuro. Queria viver o momento.

O que a juventude te deu fácil que a maturidade te cobra com mais fervor? Ficar com o meu corpo em forma. Antes, eu malhava uma semana, fazia uma dieta simples e perdia facilmente cinco quilos. Hoje em dia, ufa, é muito mais complicado! Sou preguiçosa!

Que qualidades você admira mais em um homem? Gosto de homens com caráter e personalidade fortes, honestos e com princípios arraigados. Tenho uma família grande de vários irmãos. Admiro todos eles em suas essências, principalmente quando sinto que o homem cuida de mim! Isso é natural quando o homem tem uma irmã!

Você que já viajou o mundo quase todo como turista, ano passado foi aos EUA participar de seu primeiro filme internacional ao lado de Ray Liotta e Christian Slater, The River Murders. Como foi essa experiência? Foi bem tratada pelos atores lá? Viajar é uma das coisas que mais amo fazer! Conhecer outros povos e outras culturas é fundamental para o crescimento humano. Você aumenta o seu ponto de vista sobre tudo. Fazer o filme foi fantástico! Contracenar com eles foi uma experiência muito enriquecedora em minha vida. Fui super bem tratada e muito feliz durante todo o processo.

Cavalheirismo ainda está em moda? Que atitudes um homem deve ter ao sair pela primeira vez com uma mulher para jantar e a primeira vez numa noite de amor? Claro, cavalheirismo sempre estará em moda, pelo menos, para mim. Sou uma mulher super romântica. Ser calmo, suave e tratar a mulher muito bem e com respeito já são, com certeza, muito importante em um primeiro encontro. Hoje em dia, as pessoas estão esquecendo os valores principais e éticos de ser Homem e também de ser a Mulher. Os valores estão invertidos e as mulheres muito audaciosas, fazendo tudo muito rápido. Homens com medo de se aprofundar em uma relação ou de já ser mal entendidos ou mal interpretados. Às vezes, não resta nem uma amizade, caso o encontro não tenha evoluído. O mundo está louco demais, rápido demais, tudo é para ontem. Sou mais tranquila, gosto de conhecer de verdade com quem estou saindo e se já é uma primeira vez que estamos saindo, é porque quando nos conhecemos rolou algo especial. Eu não sou uma mulher fácil! No meu caso, se já chegou a uma primeira noite de amor, com certeza é porque já tem tudo para dar certo, se não, nem chega lá. E mesmo no que diz respeito ao sexo, o homem tem que ser educado, calmo, suave e me querer e me desejar muito, se não, não rola.

Por falar nisso, etiqueta sexual… quais os pecados que os homens devem se ligar para nunca cometer na cama? E que atitudes devem ter para impressionar a mulher? Quem sou eu para falar sobre isso? Esta resposta deixo para uma educadora sexual. (Risos) O que faz a diferença para mim, já esta na resposta acima. Quando você deseja de coração e de verdade, aí tudo flui!

Qual o estilo que mais te agrada num homem? Mais social, mais despojado ou mais fashion? Acho que existem varias ocasiões e dá para sair bem vestido em todos os estilos. Eu sou uma mulher que gosto de vestir o meu parceiro e dar palpites nas roupas. Adoro ver o meu homem vestindo um terno preto, camisa branca e gravata prata. Gosto do mais social, mas é muito bacana sair para dar uma volta no sábado de sol com ele de bermuda cargo marinho e uma camisa pólo bacana e de chinelos havaiana. Acho charmoso e chique ao mesmo tempo.

Existe cantada perfeita? Alguma já te deixou balançada? Sei lá… Cantada perfeita? Não me lembro de nenhuma agora para falar. Acho que uma primeira aproximação. Se não tem com haver uma apresentação, penso que a educação continua sendo a moeda de maior valor para se conquistar a atenção de alguém.

Onde é mais fácil te encontrar, numa balada, num restaurante ou num barzinho com amigos? Ou tudo isso junto? No teatro, nas livrarias, amo livros, na academia, em uma festa de amigos… Eu saio pouco na balada. Só quando estou muito a fim de dançar.

Fotos: Wagner Carvalho
Agradecimento: Mônica Hing – GMP Assessoria de Imprensa
Agradecimento especial a Gisele Fraga