Em meio a um cenário musical das grandes divas que começou com Amy Winehouse e tem em Adele a grande estrela atual, foram surgindo músicas e notinhas sobre uma “nova Adele”. Cheia de estilo próprio, como as demais citadas, Lana Del Rey foi aparecendo cada vez mais nas redes sociais e parte do próprio álbum “vazado” na íntegra logo antes do lançamento oficial, contribuindo para sua chegada ao topo. Porém o mais interessante é como Lana é símbolo da nostalgia que toma conta dos EUA. Músicas como “Videogames” e “Blue Jeans” evocam uma América do passado, cheia de glamour.

A bela cantora de ar nostálgico nasceu em 21 de junho de 1986 e seu nome artístico é uma combinação do nome da atriz Lana Turner com o carro Ford Del Rey. Foi em 2012 que Lana lançou seu primeiro trabalho profissional, um EP chamado Kill Kill, produzido por ela, e lançado sob o nome Lizzy Grant por uma gravadora independente, a 5 Points Records. O EP foi posto à venda no iTunes por um curto período e depois foi retirado de circulação.
As músicas do EP foram gravadas em 2008 para um álbum, que demorou dois anos a ser lançado pela gravadora. Devido a uma série de divergências artísticas com a 5 Points, Lana contratou advogados para comprar de volta os direitos autorais das músicas que produziu para o álbum. A gravadora, então, decidiu lançar o álbum digitalmente, mas esse só ficou à venda durante dois meses em 2010, até que um acordo fosse feito. Lana decidiu retirar o material lançado como Lizzy Grant do mercado para não confundir futuros consumidores e fãs do trabalho lançado como Lana Del Rey, mas diz ter planos de lançar as músicas futuramente.
BORN TO DIE
Foi no final de outubro de 2011 que Lana Del Rey assinou contrato com a Interscope Records e lançou seu single de estreia, “Video Games”. Em entrevista à revista americana The Observer, Lana revelou: “Eu coloquei a música online há alguns meses porque era a minha preferida. Para ser honesta, ela não seria um single, mas as pessoas gostaram mesmo dela. Fico muito triste quando toco essa música. Ainda choro algumas vezes quando a canto.” Lana também promoveu seu álbum com uma série de performances ao vivo em uma mini turnê pela Europa, além de aparecer em diversos programas de TV europeus. Matthew Perpetua, da Rolling Stone, comentou que, apesar de Lana estar nervosa e aparentemente ansiosa durante a performance das músicas, ela “cantou com confiança considerável”. Ela mesma criou os próprios vídeos musicais para as músicas “Blue Jeans”, “Off to the Races”, entre outras.
Assista o vídeo de Born to Die:
No final do ano passado, durante uma entrevista ao programa francês Taratata, Lana revelou que teria o nome de Born to Die, com data de lançamento mundial prevista para o dia 31 de janeiro. E assim, em janeiro desse ano seu primeiro álbum chegou às lojas e já chegou como um dos lançamentos mais esperados do ano. Porém, e talvez até por causa disso, a recepção foi tépida. Vítima da própria imagem criada em torno de si mesma, principalmente em cima de um único sucesso, “Video games”, a expectativa para “Born to die” era quase impossível de ser recompensada. Mesmo antes de poder ser avaliada, Lana já estava “apanhando” da crítica. Vítima do seu próprio sucesso por antecipação, Lana Del Rey foi cruelmente descartada como uma artista menos séria. Mas para muitos, Lana Del Rey ainda é uma aposta promissora dentro do cenário musical.