O nome dele não é Johnny, mas bem que poderia. Felipe Fabrizzi. Ou quem sabe, Felipe Depp, assim, profundo, olhar penetrante como Depp, Johnny. Os dois se misturam nesse ensaio magnânimo onde Felipe encarna, de corpo e alma, o ator hollywoodiano controverso, por muitas vezes polêmico, por outras um sobrevivente, mas sobretudo talentoso, capaz de ir do pirata ao Frankstein moderno, ou passando pelo criador do Peter Pan.

O que traz tanta semelhança entre eles?
Sem dúvida o talento de Felipe, pois só estética não traria tanta verossimilhança ao ensaio, depois, a mesma capacidade camaleônica de se transformar no que o personagem precisar. Com raízes indígenas (avó índia) e vivência nova iorquina, Felipe é um cara de 20 anos que se transforma em um gigante diante das lentes, com o mesmo charme, carisma e olhar sedutor de Johnny Depp.
Felipe Fabrizzi é ainda o que se pode chamar de “menino que veio com o chip da arte implantado no corpo”, já que desde muito cedo começou a se expressar por essa área não demorando muito para se destacar como um formador de opinião de sua geração. Sua primeira oportunidade nas passarelas internacionais foi em um desfile de Alexandre Camper durante o New York Fashion Week quando foi atração principal ao lado da top model austríaca Lahja Pittner, posou para como GQ, Details, e a bíblia da moda, W magazine. Além de ter desfilado para marcas como Keneth Cole e Lacoste, sem falar dos desafios que teve de enfrentar concorrendo com centenas de modelos de toda parte do mundo.
Hoje Felipe vive entre Brasil e Nova York, descobrindo e amadurecendo a arte de atuar. Para ele desafio maior do que ser modelo é fazer de conta que se é um outro alguém, e mais, não só fazer de conta, mas fazer com que todos enxerguem este alguém através dele. Este ensaio foi um desafio e tanto, mas nós gostamos de viver a arte e agora é você, caro leitor, quem vai nos dizer se Felipe convence que quem posa para este ensaio é Johnny Depp.
Nos bastidores do ensaio
“Busquei os principais símbolos que representam a identidade de Johnny Depp para a caracterização, a barba fio a fio é um dos exemplos. O interessante de realizar uma caracterização é a possibilidade de conhecer muito sobre o artista. Johnny é um ator de muitas emoções, cada acessório que ele usa tem um significado, como uma pulseira feita pelo filho. Tentamos trazer toda essa vivência para os acessórios e roupas customizadas exclusivamente para o ensaio. Para ser fidedigno a sua personalidade busquei não só referências de ensaios feitos por ele como também fotos de seu cotidiano e usei peças de roupa que com certeza o próprio Johnny Depp usaria.”
Guilherme Camilo, Caracterização, Make up e estilo
“Ter sido convidado para fazer este trabalho foi uma honra, sou admirador do Johnny Depp e fiquei impressionado com a semelhança de Felipe com ele após devidamente caracterizado. Após uma minuciosa pesquisa sobre as tatuagens do ator, procurei reproduzir em Felipe somente as tatuagens verdadeiras de Depp, pois ele tem muitas “fakes”. Adorei o resultado!”Body Art: Eduardo Frazão (reprodução das várias tatuagens do astro no corpo de Felipe)
“Assim que recebi o convite fiz uma pesquisa baseada na filmografia do ator e percebi semelhanças que se aproximavam do modelo. Com uma equipe eficiente que apostou nas minhas propostas pude dar mais realidade ao personagem. Depois de toda infra-estrutura montada Felipe Fabrizzi deu asas à minha imaginação”
Alan Chaves, fotógrafo
Carlos Rodrigues, Making of
Acompanhe a MENSCH
também pelo Twitter: @RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App
Store.