Há 10 anos nascia em Pernambuco o sonho de Maria, José, João, Roberta, Francisca e tantos pacientes que o Doutor Fábio Casanova nem sabia, mas já estava predestinado a realizar. Em contrapartida, a felicidade de tanta gente contagia e é o oxigênio para ele sonhar e realizar ainda mais. Sem dinheiro e com muita vontade, Casanova planejou durante três anos o que viria a ser um centro de referência em cirurgia refrativa e de catarata no Brasil. Entre cirurgias, palestras, congressos e emoções, recebeu a revista MENSCH e conta como foi chegar até aqui e o que espera do futuro.

No Brasil, cerca de 500 mil pessoas são atingidas por catarata de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), transformando a doença na principal causa de cegueira curável do mundo. A correção só pode ser feita através de cirurgia e, atualmente, a mais moderna delas conta com a ajuda de um laser, este que faz do Memorial Oftalmo, pioneiro na realização do procedimento. O local onde tudo acontece fica no sétimo andar do edifício garagem do Hospital Memorial São José, em Recife. Seus 500 m² de área, onde funciona todos os processos que vai desde exame, cirurgia a pós-operatório, é chefiada pelo Doutor Fábio Casanova que, comemora os 10 anos da clínica com seus 34 funcionários, lembrando que na inauguração tinha apenas 4. “No início foi tudo muito difícil, a estrutura que temos aqui hoje é praticamente a mesma da inauguração, mas sem clientes. Teve ocasião de atender apenas 6 o mês inteiro”, lembra Casanova que já alcançou a marca de 1 ano de fila de espera para atendimento.

Ainda muito jovem pra tanta experiência, aos 44 anos, Fábio Casanova é membro vitalício do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, e das sociedades American Academy of Ophthalmology (AAO), American Society of Cataract and Refractive Surgery (ASCRS), International Society of Refractive Surgery (ISRS), Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa (SBCR), Sociedade Brasileira de Catarata e Implantes Intraoculares (SBCII). Foi presidente da Sociedade Brasileira de Laser e Cirurgia em Oftalmologia, de 2004 a 2007, e está com um projeto audacioso em andamento para lançamento em 2019.

Com foco em querer sempre ser a melhor e não a maior, a clínica já alcançou várias marcas, como por exemplo, ser eleita a maior em números absolutos de cirurgia refrativa no Brasil. Fábio acredita que focar na super especialização é um dos segredos do sucesso. “Existem muitas clínicas em São Paulo com 20, 30, 40 médicos que não alcançam a nossa marca de atendimento em quantidade,” salientou. Mas com certeza não é só isso. Esta e outras marcas são frutos de muito trabalho e dedicação. Algumas vezes é necessário estender o horário na clínica até a madrugada e todos ali continuam com o atendimento padrão, sempre elogiado por quem passa por ali. “Ele é uma pessoa que a gente admira muito, porque está sempre assim, feliz. Sai daqui muitas vezes altas horas e já chega pela manhã inteiro e sorridente” afirma Paulo Maporunga, Gestor Administrativo, sobre Casanova.

Com um grande exemplo a seguir, os colaboradores não podiam ser diferentes. De acordo com Fábio, todos realmente vestem a camisa da empresa, acompanham o doutor em seus horários estendidos e não medem esforços para que ocorra tudo bem. “Sempre ouço perguntas do tipo: quem é seu RH? Qual treinamento do seu pessoal? Mas isto é só sinal de um trabalho formiguinha, a empresa é nossa família, basta saber cobrar todo dia, prestar atenção nos detalhes”, explica o doutor. A supervisora de atendimento, Elisângela Lins, conta que apesar do dia a dia muito corrido, todos estão o tempo todo preocupados com a qualidade no atendimento e acolhimento. Ela aposta que esse é o grande diferencial do local onde trabalha há quase uma década. “O Doutor Fábio é um espelho. Na hora de cobrar, ele sabe cobrar, mas ele deixa a gente muito à vontade para aplicar o que temos de melhor. Sempre preocupado como está o atendimento, o agendamento, a fila de espera, só sai da clínica quando o último paciente é atendido”, conta Elizângela. Temos este lugar como se fosse nosso também, vimos crescer, e hoje já tá aí, um pré-adolescente (brinca). Eu sempre lembro à equipe que, nós fazíamos as nossas reuniões aqui mesmo na sala de espera, eram reuniões e projetos futuros que hoje estão acontecendo. Isso é muito gratificante. Conclui com lágrima nos olhos.

Mas ela não é a única a se emocionar. Em meio a novos projetos com lançamento marcado para 2019, quando questionado sobre onde quer chegar, Casanova salienta que ficaria muito satisfeito em manter esse reconhecimento e qualidade entre os pacientes. Ele acredita que o maior retorno acontece quando vê as pessoas felizes por voltarem a enxergar com resultado de um pós-operatório imediato. Um segundo e meio apenas é necessário para corrigir cada grau do paciente na cirurgia refrativa. Quem sofre com miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia, também conhecida como vista cansada, pode resolver o problema de forma mais rápida e segura. “A melhor coisa que posso ver na minha vida é ver a emoção de alguém que consegue voltar a enxergar. Eu choro toda semana, aqui, junto com os pacientes”, comenta. Para concluir ele prepara o coração e dispara: “Se um dia eu parar de me emocionar com o que eu faço diariamente, eu paro de atender eu paro de operar”, e todos nós saímos do Memorial Oftalmo com a certeza que precisamos de mais pessoas inspiradoras e dedicadas como Casanova e sua equipe no mundo.