Quando diagnosticado pela primeira vez com câncer de mama, muitos homens ficam em choque. Afinal, essa é uma doença das mulheres, certo? Errado. Embora raro, o câncer de mama pode acontecer, pois os homens também tem tecidos mamários. A proporção geral de câncer de mama em mulheres para homens nos EUA é de 100 para 1. Embora pareça um número pequeno, isto significa que aproximadamente 1.910 homens serão diagnosticados com esse câncer em um ano.

Os sintomas mais comuns do câncer de mama masculino são:

– Algum caroço na área do tórax;

– Retração da pele;

– Alterações no mamilo.

O fato do câncer de mama ser mais comum em mulheres, muitos homens nem percebem que podem desenvolver a doença e isso poderá retardar o diagnóstico precoce. Como resultado, alguns cânceres não são percebidos até que estes tenham progredido a um estágio tardio. No entanto, quando o câncer é diagnosticado no mesmo estágio entre homens e mulheres, as taxas de sobrevida são semelhantes.

Devido ao fato da mama masculina ser bem menor do que a mama feminina, é mais provável que a doença se espalhe até a parede torácica, apresentando assim, um comportamento invasor. Antes de invadir o tórax pode apresentar feridas nas mamas ou retração do mamilo. Por este motivo, é importante diagnosticar o câncer precocemente para um tratamento bem sucedido. Sendo assim, consulte seu médico imediatamente se você apresentar quaisquer caroços ou alterações em sua área torácica.

FATORES CONHECIDOS QUE AUMENTAM UM RISCO DE CÂNCER DE MAMA:

– Condição genética tal como síndrome de Klinefelter’s (o homem que possui dois cromossomos femininos e um masculino xxy), que é associada com níveis elevados de estrogênio;

– Familiares (homens ou mulheres) com câncer de mama, especialmente com uma mutação – BRCA2 (comportamento familiar da doença);

– Distúrbios hepáticos crônicos como o alcoolismo e obesidade;

– Envelhecimento.

Alguns passos utilizados para se diagnosticar o câncer de mama em homens são o histórico médico completo, exames clínicos da mama, mamografia e biopsia.

Os tipos de câncer de mama em homens são os mesmos diagnosticados em mulheres, assim como os estágios e padrões de como a doença se espalha. Consequentemente os tratamentos serão os mesmos.

Geralmente envolve alguma combinação de cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou terapia de hormônio. O tratamento principal para o câncer de mama masculino é a mastectomia.

A mastectomia é um procedimento cirúrgico para remover a mama com o tumor cancerígeno. As mastectomias parciais ou segmentares (também conhecidas como cirurgia de conservação da mama) é raramente utilizada devido ao tamanho pequeno da mama masculina. Alguns homens podem fazer radioterapia após a cirurgia, principalmente se houver comprometimento dos gânglios da axila no momento do diagnostico ou do tratamento.

Visto que a maioria dos cânceres de mama masculinos são positivos para receptores hormonais, tamoxifeno (bloqueia o receptor de estrogênio da mama) normalmente é a primeira terapia de medicamento hormonal utilizada. Dependendo do estágio da doença, a quimioterapia poderá ser feita antes do início da terapia hormonal.

IMPORTANTE DIFERENCIAR GINECOMASTIA (AUMENTO DA MAMA MASCULINA)

Essa é uma doença benigna, normalmente dolorosa e bilateral, diferente do câncer de mama que normalmente se apresenta por nódulo indolor e raramente seria bilateral. A ginecomastia não caracteriza fator de risco para o câncer masculino.

A principal forma de prevenção da doença são hábitos saudáveis de vida, boa alimentação e atividade física, mantendo atenção aos fatores de riscos familiares.

O diagnóstico precoce tanto em homens como mulheres é a principal prevenção, pois permite o tratamento nas fases iniciais, visto que a maior gravidade ou mortalidade do câncer de mama em homens não está relacionada a agressividade do tumor e sim a maior invasão da doença pelo escasso tecido mamário.