A Galeria Marcelo Auge, localizada no bairro Moema, em São Paulo, é fruto do amadurecimento profissional e ousadia de seus sócios. Estudante de cinema, rádio e televisão nos Estados Unidos e Europa, Marcelo Auge desenvolveu na última década uma carreira de fotógrafo (clicou grandes artistas nacionais e internacionais, como Demi Lovato, Dulce Maria, Marília Gabriela e Reynaldo Gianechini, além de ser responsável por grandes campanhas publicitárias). Ao seu desejo de criar uma galeria mais democrática e arejada, fora do eixo jardins-pinheiros, em São Paulo, vieram juntar-se Celso Ieiri, Fernando Abbud e Thalmo Shihomatsu somando trajetórias e expertises diversas: da moda às finanças, do marketing à gestão cultural. Experimentando formatos, a galeria se estabelece com o propósito de apresentar novos artistas, ampliar ao acesso à arte e promover uma programação intensiva de eventos, workshops e encontros. “Apostamos na diversidade. De artistas novos a nomes já consolidados. De obras mais baratas, com maior tiragem e tamanhos menores, até materiais maiores/mais exclusivos”, explica Celso Ieiri. “A ideia é quebrar barreiras, atingir um público interessado em artes visuais que nem sempre se sente à vontade nas galerias convencionais”. Nascido em Birigui, interior de São Paulo, Celso cursou administração de empresas, mas foi no segmento da moda onde criou uma trajetória de sucesso. Moncler, Le Lis Blanc e Daslu fazem parte do extenso currículo do atual empresário. No styling fez campanhas publicitarias e editoriais de moda no brasil e no exterior.

Marcelo, você como fotógrafo o que procura criar ou trazer mais para uma galeria de arte? É um momento de aprendizado, de sair da zona de conforto! a ideia é unir a fotografia com outros formatos e formas de expressão! sempre gostei de trabalhos colaborativos e já na primeira mostra, consegui unir a fotografia tradicional com intervenção da arte em carvão do artista Marco Rey. A composição que envolve duas obras, se chama conexões e se tornou um grande símbolo daquilo que quero construir como arte.

Celso, você como editor de estilo o que pretende trazer para a galeria com sua experiência em moda? A moda me ofereceu experiência e olhar estético. Após quase 30 anos neste segmento, acredito ter adquirido sensibilidade em perceber a beleza e encantamento comum. Penso em fazer curadoria de obras de arte que agradem, atendam e satisfaçam nossos consumidores.

Qual o grande diferencial da galeria em relação às demais? Qual o “DNA” dela? Democratização. Esse é nosso diferencial. Queremos aproximar ainda mais a arte a todos que se interessam. Dar possibilidades a novos e consagrados artistas. Ter o bairro de Moema como localização é uma grande aposta, por não estar no eixo tradicional da arte em São Paulo, como Jardins e Vila Madalena. Outro ponto importante é a possibilidade de moldar a arte para cada um que visita o espaço. São diferentes formatos que se moldam de acordo com o próprio público! Nosso ”DNA” é definitivamente vasto com uma curadoria cautelosa.

O que vocês sentiam falta em outras galerias que pretendem trazer para a de vocês? A possibilidade de adequar a arte pra o espaço e as necessidades das pessoas é justamente o que queríamos. Na Galeria a arte pode ser vivida de diferentes formas além da tradicional. Além disso, apresentar e abrir caminhos para novos artistas tão talentosos se tornou um grande ideal.

Como se dá a curadoria do que vem de exposição para a galeria? A curadoria é feita por todo o time da galeria. Alguns de nossos artistas já admirávamos e logo os convidamos. Outros, pesquisamos e analisamos o perfil das obras. Curiosamente, conhecemos em visitas em nosso espaço, alguns que nos apresentaram seus trabalhos e nos apaixonamos. São inúmeros os artistas que se apresentam diariamente na galeria em busca de espaço.

Por falar em exposição, falem um pouco o que podemos encontrar na atual exposição? A exposição coletiva “Habitat” é a primeira edição do projeto ”EntreMostras”, uma proposta artística inserida no calendário fixo da galeria que apresenta obras do próprio acervo. Com pluralidade de artistas, inspirações e estilos (fotografias, esculturas, desenhos e pinturas), a edição n°1 reúne diversos talentos como Aécio Sarti, Angela Bassichetti, Katia Matias, Marco Rey, Richard Klhabeu, Rodrigo Kupfer e o próprio Marcelo Auge.

O que é arte para vocês? Como expressão? Arte é a expressão da atividade humana e ela se dá de diversas formas! nosso espaço quer apresentar as diferentes formas de arte que nosso mundo permite. Sem julgamentos, na essência, intuitiva e natural, de uma forma pura! nos tempos atuais isso pode estar presente de maneiras inimagináveis e é nisso que estamos atentos!

Qual perfil de público e artista que pretendem atingir? A galeria é para todos! Para os que amam criar e experimentar! desejamos atender a um público consumidor de arte e também aos interessados em decoração com olhar e interesse pela beleza estética. Quanto aos artistas, procuramos aqueles que convergem com nosso perfil de arte. Alguns já participaram de grandes exposições no Brasil, Europa e Estados Unidos e outros estão expondo pela primeira vez.

O que é imprescindível para uma galeria de arte? Estaremos atentos aos movimentos artísticos pelo mundo! Precisamos nos movimentar nessa mesma velocidade e apresentar trabalhos que além de despertar emoções, despertem também a necessidade de amadurecimento como ser humano.  Nosso atual momento pede reflexão em diversos aspectos, sejam eles políticos, sociais, econômicos. Acreditamos também que uma cautelosa curadoria seja fundamental e, em paralelo, entender o desejo e perfil do público.

Como vocês pretendem conquistar o público para irem até a galeria? Tornando o espaço para todos. Com diversidade de temas e valores. Exposições, atividades acadêmicas, eventos artísticos e um grande trabalho colaborativo devem tornar o espaço em um centro de encontro para artistas e admiradores de arte. Em pouco tempo criamos uma rede forte, que só tende a se fortalecer. Atualmente, com 24 artistas e mais de 90 obras produzidas podemos atender aos mais variados interessados, oferecendo também a possibilidade de produzir obras personalizadas.

SERVIÇO: 

Galeria Marcelo Auge: Rua Canário, 1014 – Moema, São Paulo.

PROGRAMAÇÃO:

EROTES (exposição acadêmica de fotografia): de 26/09 a 06/10/2019

CAMPO VERDE 579 (Exposição fotográfica de Ana Moock): de 10/10 a 26/10/2019

HORÁRIOS:

Terças às sextas das 10h às 19h

Sábados das 12h às 16h