Começa este fim de semana a 62ª temporada do campeonato mundial de Fórmula 1, a categoria mais importante e do automobilismo mundial. Com as equipes prontas e os pilotos sedentos por velocidade, as corridas prometem ser eletrizantes e disputadas até a última curva, como foi em 2010.

Para este ano, poucas mudanças nos cockpits das equipes. Ferrari, McLaren, Red Bull e Mercedes mantiveram sua dupla de pilotos. A Renault teve que substituir o material champion (jargão para provável campeão) Robert Kubica, acidentado em um prova de rali na Itália em fevereiro, por Nick Heidfeld, mas sua intenção era também dar continuidade à dupla da última temporada. Toro Rosso e Lotus também optaram por manter os pilotos de 2010. Por outro lado, temos quatro novatos na categoria.

O venezuelano Pastor Maldonado vai fazer dupla na Williams com Rubens Barrichello, que vai para sua 19º temporada, recorde absoluto. A Inglaterra ganha outro piloto para torcer; Paul di Resta faz sua estréia na Force India, ao lado de Adrian Sutil. Na Sauber, quem dividirá as atenções da equipe com o japonês Kamui Kobayashi é o mexicano Sergio Perez. E o belga Jeróme D’Ambrosio assume o lugar de Lucas di Grassi, na agora Marussia Virgin, ao lado de Timo Glock. A Hispânia, última a definir sua dupla, vai com os veteranos Vitantonio Liuzzi e Narain Karthikeyan.

A disputa pelo título, como sempre, começa em casa. Cada piloto fará de tudo para ter a maior atenção da equipe e, claro, privilégios para brigar pela ponta da tabela. Como as ordens de equipe foram liberadas este ano, a promessa é de muita polêmica. Os testes de inverno não mostraram nenhuma equipe muito à frente da outra, mas a atual campeã Red Bull, com Sebastian Vettel e Mark Webber, a Ferrari, com Fernando Alonso e Felipe Massa, e MacLaren com Lewis Hamilton e Jeson Button sempre prometem bons pegas.

Além disso, dos seis, são quatro campeões do mundo por trás do volante, o que deve ser levando em consideração. A Renault, com Nick Heidfeld e Vitaly Pertrov, talvez tenha mostrado a evolução mais consistente, mas a ausência de Robert Kubica na liderança dos pilotos certamente vai ser sentida. E não se pode descartar a Mercedes, sob o comando do gênio Ross Brawn, que tem Michael Shcumacher no volante e seu algoz na temporada passada Nico Rosberg. Esses dez pilotos prometem se revezar no pódio durante a temporada. As outras equipes correm por fora por eventuais oportunidades de pódio e brigando por terminar entre os dez primeiros e pontuar a cada etapa.

Dos cockpits para as pitas, a novidade de 2011 é a inclusão de mais uma corrida no calendário, o Grande Prêmio da Índia, totalizando, por enquanto, dezenove provas. O GP do Bahrein, que abriria a temporada, mas que foi adiado por conta de problemas políticos no emirado, ainda está a confirmar. A temporada começa neste fim de semana na Austrália e termina no dia 27 de novembro, em Interlagos, no Grande Prêmio do Brasil.
Costumeiramente, a primeira parte do campeonato, disputada na Ásia e Oceania (Bahrein, Austrália, Malásia, China e Turquia), revela o que vai ser o campeonato, com os primeiros destaques aparecendo, além das dificuldades. Quando o tempo esquenta na Europa, a F1 se muda para o velho continente e inaugura os famosos pacotes técnicos nos carros, atualizações para corrigir as falhas do começo da temporada. São oito corridas no velho continente (Espanha, Mônaco, Europa, Inglaterra, Alemanha, Hungria, Bélgica e Itália), com um pequeno pulo no Canadá, que decidem os pilotos que estarão no páreo para disputar o título na reta final da temporada.

De volta à Ásia, são mais cinco corridas (Cingapura, Japão, Coréia do Sul, Índia e Abu Dhabi). Na verdade, cinco decisões, já que ficará bem claro quais os pilotos que realmente estarão lutando pelo título. Por fim, a Fórmula 1 aterrissa no Brasil, para a última prova do calendário, esperando que o grande campeão seja conhecido ao cruzar a linha de chegada em Interlagos, como em 2005, 2006, 2007, 2008 e 2009. Para saber, é só acompanhar, torcer e esperar.

Para acompanhar a Fórmula 1:Treinos Livres: SporTV e SporTV 2 (Sky, Embratel e NET)  Quintas, sextas e sábados ao vivo.
Classificação: Globo  Sábado, ao vivo
Corrida: Globo  Domingos, ao vivo
Estatísticas e informações: www.f1.com (Live Time), F1TM 2011 Timming App (para iPod, iPad e iPhone)  Quinta, sexta, sábado e Domingo ao vivo

Texto: Sérgio Mendonça
Fotos: Divulgação
Fonte: www.f1.com. Corrida Fórmula 1, G1