Valter Silva, nascido em Viana do Castelo, Portugal, já viajou pelo Mundo visitando ao todo 47 países. Já morou em Buenos Aires, Londres e atualmente vive em Lisboa. Ou seja, para quem tem apenas 27 anos, Valtinho já está bem rodado (no bom sentido, (risos). Formado em Engenharia e Gestão, já trabalhou como consultor estratégico e diretor de projetos em grandes empresas. Valter também tem muita familiaridade com o universo da moda, onde já participou de campanhas e desfiles para diversas grifes. Tanta bagagem terminou o levando a ser uma referência nas redes sociais, num universo onde os perfis femininos dominam, Valtinho (@valtinhodelcampo) tem se destacado como influencer e hoje já soma mais de 60 mil seguidores no instagram. Essa trajetória e esse perfil de influencer nos chamou atenção e terminou virando capa da MENSCH com um ensaio feito ao longo de vários dias via facetime (por iPhone) pelo fotógrafo Marcelo Auge. A ideia era acompanhar um pouco da rotina de Valtinho em fotos. O resultado você confere aqui.

Valter, quando percebeu que seu estilo de vida daria um bom conteúdo para passar para as pessoas? Desde muito novo que sempre me interessei por muitas áreas e sempre tentei conjugá-las da melhor forma. Desde viajar pelo mundo de mochila nas costas, praticar esportes (como natação, futebol, surf), música (cantar e tocar guitarra) e tudo que envolva aventura. Por outro lado a Moda, a Engenharia/Gestão e a minha veia de empreendedorismo sempre estiveram muito presentes na minha vida. Desta forma eu sempre tentei ser o máximo equilibrado possível entre trabalho, aventura e lazer, e de certa forma eu acredito que tenha sido toda esta junção que fez inspirar as pessoas. De certa forma eu acredito que tenho conseguido provar às pessoas que com equilíbrio, forte mindset e postura positiva na vida é possível fazer um pouco de tudo e acima de tudo, ser feliz.

O quanto o mundo digital e likes influenciam no que você procura trazer nas suas redes sociais? Efetivamente eu tento não me influenciar pelo tipo de conteúdo que possa viralizar mais. Tento ser o máximo coerente com a pessoa que sou e com o conteúdo que eu quero partilhar. Acredito que devemos sempre ser verdadeiros e transparentes para a nossa audiência, mostrando quem realmente somos.

Por um lado eu prefiro ser uma pessoa integra, demorar mais no meu crescimento mas ser sempre eu próprio. Não sou apologista de tentar encontrar atalhos (ou tentar agradar os outros) para crescer mais rápido. Quando tentamos encontrar esses caminhos, acabamos por nos desvirtuar e perder a nossa “identidade”. É tão melhor sermos nós mesmos do que encarnarmos uma personagem… A longo prazo a nossa identidade, carisma e essência são o que realmente perduram.

Parte da sua vida você trabalhou (ou trabalha) como modelo. Como começou e o que te trouxe de influência sobre o universo da moda? A minha ligação à Moda surgiu há muitos anos quando a booker de uma agência em Portugal me encontrou no Facebook e decidiu contactar-me para me conhecer e ir tirar umas fotos à agência. E assim foi. Diria que já passaram cerca de 10 anos desde então e embora já não esteja nessa agência, continuo a dar-me muito bem com essa booker (que hoje em dia também a considero minha amiga).

Por outro lado nada disto estava planeado e nunca pensei que parte da minha vida passaria pela moda, apesar de sempre ter achado piada a esta área. Para finalizar, eu tenho de admitir que a moda me abriu muitas portas para tudo que eu sou hoje, por tudo que alcancei e continuo a alcançar, e sobretudo pelas vivências e experiências que até hoje me proporcionaram.

Como definiria seu estilo ao vestir-se? Sinto que o meu estilo depende muito de dois fatores: estado de espirito e plano do dia. Sempre que trabalho em áreas de business ou eventos formais, eu utilizo sempre fatos e assumo um estilo mais clássico. Por outro lado sempre que estou em trabalhos de moda, eventos menos formais, jantares e brunches com amigos, eu tento estar sempre o mais relaxado, oversized e informal possível.

Em casa estou quase sempre de fato de treino. Para concluir, eu confesso que sou um grande fã de roupas simples e cores neutras. Grande parte dos meus outfits apenas são compostos por cores neutras (branco, preto ou cinza). No que toca a marcas, eu sempre me preocupo em apenas usar uma marca por outfit e não misturar marcas que não se complementem. Por exemplo: quando visto Levi’s, todo o meu outfit é Levi’s (ou Levi’s e Converse All star, uma vez que são marcas que se conjugam). Mas quando visto Adidas, para mim não faz sentido usar Nike, compreendem?

O que é ter estilo para você? Para mim ter estilo é acima de tudo conseguir transmitir atitude e boas energias através da forma como nos vestimos, expressamos e cuidamos.

Com formação em Engenharia e experiência em consultoria estratégica. Como essas profissões te completam? Como engenheiro, eu sempre trabalhei na análise e optimização dos fluxos de operações das empresas com as quais trabalhei. Portanto na verdade foi um percurso lógico até começar a prestar serviços de consultoria estratégica. Na prática eu apenas tive de transportar os meus conhecimentos de diferentes áreas como Gestão de Produção e de Operações, aliado a mecanismos de estratégia de crescimento de negócio/pensamento Kaizen, para começar a melhorar a eficiência das empresas e definir as estratégias a 2,5 e 10 anos para obter o máximo de sucesso e profit.

Moda, engenharia, influencer… Como você se definiria? Pergunta difícil. Eu considero que não preciso de ser rotulado apenas por algo que eu faça, mas sim pelas mais variadas áreas às quais me dedico. Sei que no mundo social e digital, eu sou conhecido como Modelo e Influencer. As várias campanhas de algumas marcas internacionais que fiz no passado ajudaram nesse sentido. Contudo também sei que no Mundo empresarial me conhecem como Gestor, Investidor e Engenheiro. Da minha parte eu considero-me acima de tudo um empreendedor, sempre com um pensamento criativo na criação de novos projetos, aliado a um pensamento mais racional no que toca execução de tudo que idealizo.

O que faz você dar um like em algo ou cancelar alguém? Normalmente o que me faz dar um like é simplesmente quando o conteúdo em questão (seja foto ou vídeo) me provoca algum tipo de emoção/sentimento. Por outro lado, a razão principal para eu cancelar alguém prende-se com o facto de já não me identificar com a pessoa ou com o conteúdo que ela coloca na sua página.

Sabemos que você adora viajar e chegou a conhecer 47 países. Como essa paixão surgiu? O que te encanta nisso? As viagens são a minha principal paixão no Mundo. Desde sempre que os meus pais me incutiram este gosto por viagens. A minha mãe sempre me falou que viajar era a melhor forma de despender o nosso dinheiro e que é através das viagens que crescemos como pessoa, adquirimos conhecimento e muitos outros soft skills, mudamos a nossa forma de pensar e tornamo-nos mais fortes e interessantes.

Ainda hoje acho que ela tem toda a razão nessa ideia que sempre me transmitiu. Sempre tive o fascínio de conhecer todo o mundo, observar o que de melhor se faz em cada país, compreender as culturas e criar experiências memoráveis junto de pessoas que gosto e que vou conhecendo ao longo dessas aventuras.

As viagens que eu fiz até hoje fazem de mim uma pessoa forte mentalmente e com uma visão diferente sobre tudo que me rodeia. São as viagens que me equilibram como pessoa e foram sobretudo estas vivências que me fazem pensar que em parte a minha missão na vida está feita. Todos os dias agradeço por ser uma pessoa genuinamente feliz e sei que as viagens são um dos principais fatores que me fazem sentir tão realizado como sou hoje.

Que lugar marcou mais e qual não foi tudo aquilo que você esperava? O lugar que mais me marcou até hoje foi Los Angeles. Há uma magia inexplicável por lá. Todos os dias me sentia num filme de Hollywood e fui muito feliz por lá. O lugar que mais me marcou negativamente foi San Francisco. Cidade excessivamente cara para a qualidade de vida que oferece. Muita sujidade e muitos sem abrigos para uma das cidades mais valorizadas do Mundo, devido ao fenómeno do Tech.

Ter morado Buenos Aires e em Londres te trouxe visões bem diferentes de países igualmente diferentes. Que lembranças guarda desses dois períodos e lugares? Curiosamente são duas cidades bem diferentes e localizadas a quase 10.000 km uma da outra. Contudo tenho de admitir que estes foram os dois pontos mais altos da minha vida. Buenos Aires foi talvez o mais alto. Havia uma harmonia inexplicável entre as pessoas que me rodeavam e tanto eu como os meus amigos portugueses e internacionais estávamos numa fase de vida em que queríamos aproveitar a cidade de Buenos Aires e América do Sul ao máximo. Poderia estar horas a contar histórias de Buenos Aires e muitas delas dariam bons livros de aventura. Podem acreditar. 

No que toca a Londres, é uma cidade muito especial para mim. Viver em Londres ou turistar em Londres são experiências muito diferentes. Uma vez que começamos a entrar na sociedade Londrina e a perceber como funciona a dinâmica e a rede de contatos da cidade, Londres pode-nos abrir portas para realidades estratosféricas. Desde oportunidades internacionais de trabalho, bons amigos multiculturais para a vida, eventos e festas de outra galáxia. Londres pode funcionar quase como uma loja de gomas para um adulto… Foi em Londres também que se abriram muitas oportunidades em moda para mim e continua a ser das cidades do Mundo que eu regularmente visito, seja por trabalho como por lazer.

Qual país ou cidade ainda não visitou e você sempre sonhou em estar lá? Eu diria que talvez sejam as Maldivas! Mas estou a guardar essa viagem para um momento muito especial na minha vida, acompanhado também por alguém muito especial.

Sobre o Brasil, alguma ligação, referência ou lembrança inesquecível? Brasil é um dos países mais mágicos do Mundo e tenho muita pena de ainda não ter tido a oportunidade de o conhecer muito bem. Estou desejoso por começar a passar mais tempo por aí e gravar memórias para a vida.

Tenho lembranças sensacionais do Rio de Janeiro e do vosso Carnaval. Fui muito feliz por aí e as pessoas são sensacionais. Amo a vossa simpatia e calor humano, é algo inexplicável. Vocês têm muita sorte no país que têm e quero muito voltar aí! Quem sabe se não farei aí alguma temporada em moda? Seria um sonho se surgisse essa oportunidade no futuro, confesso….

Quando quer recarregar as baterias para onde vai? Sempre que preciso de recarregar baterias vou caminhar pela praia. É lá que eu consigo pensar nos meus problemas e encontrar as minhas respostas.

Pratica esporte? Se sim qual? Como cuida do físico? Neste momento apenas pratico Calistenia e faço treinos de musculação regularmente (pelo menos 3 vezes por semana). Contudo pontualmente faço outro tipo de esportes (como padel, tênis ou esportes de aventura). Faço ainda surf sempre que tenho tempo para o fazer (pelo menos 1 vez por semana). Basicamente é desta forma que equilibro a minha vida e me mantenho em forma. Através do desporto consigo ser uma pessoa mais ativa, eficiente e até interessante como pessoa. O esporte funciona como um pilar na minha vida porque é através dele que eu durmo melhor, consequentemente penso melhor, executo as minhas tarefas melhor, mantenho os meus níveis de positivismo e confiança, tanto para os meus trabalhos na área empresarial como em moda.

Uma mania da qual você não abre mão? Preciso de tempo para mim e aprecio muito o meu espaço. Todos os dias necessito de estar algumas horas sem ninguém (cerca de 3h), de forma a pensar na minha vida, fazer as minhas coisas pessoais e manter os meus entregáveis trabalho em volumes aceitáveis.

Consegue ter algum plano para este ano? Qual? Apesar dos tempos atuais relacionados com a pandemia que estamos a atravessar, eu tenho-me tentado manter positivo e tenho tentado preparar o futuro. Este é o momento de reflexão e preparação, e temos de entrar fortes assim que o mercado reabrir.

– No que toca a componentes mais empresariais, eu estou inserido num projeto muito bonito em conjunto com um amigo Brasileiro e o sucesso desse nosso projeto é o meu maior desejo para este ano. Tenho muita confiança em toda a estrutura deste projeto e se tudo correr bem, coisas boas irão acontecer e toda a gente irá ouvir falar.

– No que toca a Moda eu estou a sentir que as coisas boas estão a voltar e destaco alguns dos trabalhos que irei realizar como modelo nas próximas semanas, tanto em Espanha como no México. Será por lá que eu estarei preparando algumas das campanhas de verão para este ano. Espero que essa tendência de trabalhos internacionais se mantenha, pois assim consigo aliar viagens e trabalho, o melhor dos dois mundos.

Para conquistar Valter basta… Ser verdadeiro e equilibrado, ter valores, sentido de humor e carisma.