Imagine um carro tão exclusivo que para comprá-lo é necessário encarar uma fila de espera de pelo menos dois anos. Assim, é o superesportivo Huayra da montadora italiana Pagani, famosa pelo seu extravagante design e alto desempenho esculpidos em pura fibra de carbono, material que é inclusive, também utilizado pela Lamborghini. O bólido possui uma carroceria construída com fibra de carbono e titânio, matéria prima que permite um esqueleto forte e leve deixando o carro com apenas 1.350 kg.

O modelo Huayra foi concebido para entrar no lugar do já incrível Zonda, o primogênito das indústrias Pagani, que por cerda de 12 anos de reinado, teve tão somente 120 unidades fabricadas. Já o Huayra, podemos dizer, que chegou, chegando; com 85 modelos prontinhos para venda pela bagatela de quase 1,6 milhões de dólares (já pensou em converter este valor e acrescentar os impostos?), pois bem, além de corajosamente fazer esses cálculos, por favor, encarar uma fila de espera, para quem sabe 2014 ou 2015. 

E no contexto atual, o compromisso dos grandes fabricantes de superesportivos têm contribuído bastante para a criação de carros extraordinários como o Bugatti Veyron, Porsche GT, Enzo Ferrari, McLaren Mercedes SLR. Assim, a Pagani, estudou o futuro do Zonda e concluiu que poderia conceber um novo carro, pois desde que o projeto original do Zonda, nos  remonta ao início dos anos 90, decidiu-se, então, imaginar o Huayra completamente novo em forma, dinâmica, tamanho e tecnologia. 

“Todo o carro foi concebido como uma asa: era, portanto necessário cavar-se a frente do fundo para alargar o caminho do ar. Fazendo isto reduziu a diferença de velocidade do ar entre a parte superior e inferior, permitindo assim limitar a tendência para subir em alta velocidade” (Horácio Pagani, presidente, fundador e designer chefe da Pagani)

ARTE E CIÊNCIA CAMINHANDO JUNTAS NO PAGANI HUAYRA

O novo brinquedinho italiano usa motores da Mercedes-Benz AMG, V12 de 6.0 litros biturbo, potência de 700 cavalos e 100 kgfm de torque máximo, que é acoplado a uma transmissão automatizada de dupla embreagem e sete velocidades.  Em recentes testes, pela BBC Top Gear, o Huayra foi eleito o carro em estrada mais veloz do mundo, algo como de 0 a 100 km em 3 segundos, chegando a 378 km/h de velocidade máxima. 

Sem dúvida, a eternidade do elemento ar em suas várias formas tornou-se fundamental para a definição deste carro, algo imutável, que segue a filosofia do Renascimento do Leonardo da Vinci, que vê a arte e a ciência caminhando juntas, neste caso, acelerando, voando juntas.

Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis:http://goo.gl/Ta1Qb