A Netflix mostra mais uma vez que 2021 será um ano de muitos lançamentos de peso. Para esse mês a surpresa é a estreia de “Relatos do Mundo” (“News of the World”, título em inglês), com o astro Tom Hanks em atuação digna de Oscar. Apostando no potencial do longa, gigante do streaming mostrou estratégia ao comprar os direitos de distribuição internacional pela Universal Pictures, aproveitando-se da falta de segurança para o lançamento de filmes ao redor do mundo durante a pandemia nos cinemas. Sendo assim, comprou os direitos do filme e lança hoje em sua plataforma. Com quase duas horas de duração, o longa tem 87% de aprovação pela crítica no Rotten Tomatoes, e destaca a atuação da jovem atriz Helena Zengel que interpreta Johanna, uma garota alemã de 10 anos que andava perdida após sua família ser brutalmente assassinada.

Em “Relatos do Mundo”, baseado no livro homônimo de Paulette Jiles, Hanks vive Jefferson Kyle Kidd, ex-capitão do exército dos Confederados que lutou na guerra civil norte-americana (1861-1864). Após o conflito, ele deixou a vida de militar e passou a ganhar dinheiro viajando de cidade em cidade e lendo as principais notícias do país para cidadãos sem tempo para se informar. Em uma de suas viagens, o capitão encontra a jovem Johanna (Helena Zengel). Sem o amparo social das autoridades, Jefferson assume a responsabilidade de levar a jovem ao encontro de seus parentes que restaram.

O ex-combatente de guerra, Jefferson guarda seus traumas e leva com ele a lembrança de sua mulher em sua jornada como nômade, em busca de uma paz espiritual que parece nunca encontrar. Johanna, apesar da descendência alemã, viveu desde os seis anos com indígenas da tribo Kiowa e não consegue falar. Fato que ao longo da trajetória da dupla vai se tornando um detalhe diante dos percalços que enfrentarão. A experiência lado a lado durante os 640 quilômetros que os separam de seu de destino faz nascer um laço maior do que eles esperavam. Duplamente órfã, Johanna é uma criança selvagem sem qualquer vestígio de consciência social. Mas é com o afeto de Jefferson que ela aprende a se reconectar com o mundo, o que por outro lado faz ele mudar a forma de ver o mundo que o cerca.

CORRIDA AO OSCAR

O filme do diretor do Paul Greengrass (da franquia Jason Bourne) deixa de lado a imagem já gasta do herói americano e foca em um discurso mais atual. Em sua atuação, Tom Hanks evita parecer o clássico caubói machão dos velhos filmes de western, e demonstra ser um corajoso sobrevivente em tempos difíceis. Trazendo para os dias de hoje. O discurso de “Relatos do Mundo” é mais político do que fantasioso. Deixando de lado a luta do bem contra o mal, a trama ganha força nas políticas sociais. Em uma época em que os Estados Unidos encontravam-se divididos, ouvir palavras de conforto e de incentivo do capitão é, de certa forma, necessário, principalmente nos tempos atuais recém saídos de um 2020 recheado de conflitos. Sem dúvida a grande parceira de Hanks nessa trajetória é Helena Zengel, que chama atenção por sua força atuando apesar da pouca idade (12 anos), a atriz mirim iguala sua atuação a do astro. O resultado disso foi que ela já recebeu indicações ao Globo de Ouro, SAG Awards e Critics Choice Awards, e tudo indica que irá se destacar como indicada ao Oscar deste ano. Pode até ser que Tom Hanks não receba sua sétima indicação por sua atuação em “Relatos do Mundo”, mas essa possibilidade não tira o brilho seu trabalho em sua estreia na Netflix. Resta esperar pela decisão dos votantes do Oscar.

Veja trailer: