Uma bela misturas de culturas resultou em uma bela mulher, consciente do seu papel no Planeta e de sua interação com o meio ambiente. Estamos falando a atriz Danni Suzuki que é uma prova de como essa mistura de culturas torna algo, ou alguém, ainda mais original. Inquieta, Danni surfa, faz yoga, ballet… Versátil também na sua profissão, vai do cinema à TV, de atriz à apresentadora. “…mistura para mim representa soma. É colocar um pouco de cada e aguardar qual vai ser a surpresa (risos)”, comentou a bela que finalmente veio parar na nossa capa. 

Danni ser descendente de japoneses, alemães, italianos e indígenas. O que essa mistura deixou de bom? Ah, mistura para mim representa soma. É colocar um pouco de cada e aguardar qual vai ser a surpresa (risos). Então pode ter vindo de tudo um pouco. O bom disso tudo é que essa misturada te torna original.

O que pesa mais na sua vida dessas cinco culturas (incluindo a brasileira)? Procura passar algo dessas culturas para seu filho? Bom, de forma aqui generalizando a cultura de cada lugar, eu diria: o respeito, honestidade e persistência japonesa; o calor e a flexibilidade brasileira; não gostamos de comemorar aniversário antes da data como os alemães; falamos alto e gesticulamos bastante com as mãos para falar como os italianos; e somos conectados de forma especial com a natureza e os bichos, como os índios.

Falando em filho, já se imaginava mãe ou quando surgiu a gravidez foi uma surpresa? Como se vê no papel de mãe? Foi uma grande surpresa, pois estava noiva há um mês e namorando há dois. Mas uma boa surpresa, já que eu estava estabilizada profissionalmente, já havia viajado grande parte do mundo, estava muito apaixonada… E pronta para ser mãe. Meu maior projeto de vida é educar meu filho. Então, me dedico muito a esta função. Considero um presente de Deus que me faz crescer como ser humano todos dias.

O que é mais difícil em manter um casamento? O que não pode faltar? Acredito que respeitar as diferenças, aceitar os defeitos, entender que você não muda a pessoa ao seu lado e que ela vai mudar ao longo dos anos, assim como você. E será preciso reciclar os seus sentimentos por ela e amadurecer a relação. Acho que a cumplicidade e parceria são o que por fim sustentam o casamento. E a paixão, a felicidade e o sexo vão se reciclando.

Você parece ter um estilo de vida bem natural e saudável. É isso mesmo? Como se dá tudo isso de maneira prática? Sim. Cultivo o amor e respeito pelo instrumento que uso para viver aqui. Cuidar do meu corpo e da minha mente é a base do que define até onde posso ir nas minhas buscas. Então estar saudável é o mínimo que posso fazer por mim em agradecimento à vida.

Você é adepta de alguma dieta ou modo de alimentação mais consciente e saudável? Sou vegetariana e amante dos chás. Já fui vegana, mas hoje ainda não me sinto preparada para retornar a uma alimentação mais radical. Bebo muita água e me alimento de legumes e frutas orgânicas.

Muito se fala hoje em dia sobre consumo consciente. Como você enxerga isso e coloca em prática? Entendo que é ter conhecimento do que você está consumindo, por quê e de onde vem. É ter equilíbrio para não cometer excessos e saber o impacto que seu consumo causa no ambiente.

Você sempre foi muito ligada a praia e mar. O que representa e te traz? O mar recarrega minhas energias, é onde consigo ficar com a mente limpa de tudo que preciso fazer, é onde me desligo do mundo. A cada saída da água tenho a sensação de que estou recomeçando.

Ao mesmo tempo que mantém uma vida ligada a natureza você é ligada em tecnologia, redes sociais e vida digital? De que forma? Acompanhando porque sinto que preciso estar conectada com o mundo e em equilíbrio com a evolução tecnológica. Mas busco estar sempre no limite da conexão e entender até onde isso me faz mal. Até onde essa era me ajuda e até onde me distrai.

Sua última participação na TV foi em 2014 em “Malhação”. Chegaram a divulgar que você faria “Sol Nascente” em 2016 mas não rolou. Faz falta fazer TV? Eu continuo fazendo TV. Mas, no momento, estou me dedicando a séries. Entendo como uma opção de trabalho, uma nova escolha na forma de trabalhar e atuar. As séries estão mais conectadas com o formato de cinema, que é o universo que mais me interessa no momento.

Hoje em dia com os canais de streaming bombando, abre-se um leque de possibilidades e formatos. Como você enxerga isso? Acho que é a nova TV, uma nova era da evolução tecnológica, em que as pessoas têm a liberdade de escolher o que querem ver e na hora que querem ver. É muito interessante e livre. A diversidade é maior e nos conecta com o mundo todo.

A internet é um campo fértil para novos projetos. Pensa ou já está trabalhando algo para esse formato? Sim. Estou muito ligada nela em diversos projetos! Eu entendo a internet como uma ferramenta que estimula nossa criatividade nos obrigando a inovar a cada dia. Estou abrindo meu canal no YouTube, fazendo podcasts, entrando em novas plataformas de relações diretas com as pessoas e entendendo novas formas de relações sociais.

E nos momentos livres, o que faz sua cabeça? Viajar? Surfar, yoga, ballet, amigos…

Chegar aos 40 te tocou de que forma? Ficou mais atenta ao corpo? Como lida com vaidade? Amo meus 40, me sinto mais segura, com mais clareza do que quero, com o corpo mais definido e independente suficiente para satisfazer todos os meus sonhos e vontades. Nada como a maturidade para nos tirar a ansiedade e você ter uma boa base de conhecimento para fazer suas escolhas.

Existe cantada perfeita pra você? Aquela original que cai perfeita no momento.

Pra te conquistar basta… Ser verdadeiro, saber o que quer, ser independente, leve, parceiro e feliz.

Foto Caesar Lima (@caephoto)
Styling Jessica Boal (@jessicaboal)
Beleza Sophia Bawany (@sophiabawany)

Danni Suzuki veste: Look bancada: Vestido Jessica Angel, Joias August & June, Sapatos AFFFAIR; Look sofá: Vestido Steven Khalil, Brincos e anel August & June, Sapato Enrico Cuini