A modelo Bruna Zanardo, natural de Laranjal Paulista, largou tudo aos 15 anos para ser jogadora de vôlei, atuando profissionalmente em Piracicaba e Minas, no Praia Clube. Mas seu maior salto estava por vir quando Bruna foi descoberta por um olheiro, aos 19 anos decidiu dar um novo rumo na sua carreira profissional e começou a participar de concursos de belezas. Chegou a integrar o casting da agência Joy Models, que na época era comandada por Jonh Casablancas, e começou a participar de concursos de belezas. Em 2014, representando a cidade de Piracicaba, levou o título de “Miss São Paulo 2015”, onde foi uma das finalistas no top 10. Em seguida, em 2016, ficou no top 3 do “Miss Terra Brasil” e conquistou a Coroa de “Miss EARTH FIRE”, nas Filipinas, onde concorreu com 96 países. Depois de diversos títulos de beleza, se tornou a 2° brasileira a conquistar dois títulos de Miss Brasil, em versões diferentes. Atualmente está focada em fazer a diferença veiculando conteúdos, onde compartilha sua experiência na moda, como digital influencer. 

Bruna como foi largar as quadras pelo mundo da moda com seu trabalho de modelo? Confesso que foi difícil, porque nasci dentro do esporte e sempre fui motivada a permanecer, pela minha família. Mas, foi uma paixão arrebatadora pelo mundo da moda! E no final, lá estava eu me arriscando em novos caminhos.

Você chegou a ganhar o título de Miss EARTH FIRE nas Filipinas. Como foi essa experiência? Como foi ganhar esse título tão longe de casa? Esse título tem uma história longa por trás do resultado final. Foram longos anos de muita dedicação, resultando na realização de um sonho. Que acabou por se tornar ainda maior, pelo fato de estar representar o meu país tão longe de casa, e ver que todos ali presentes, estavam torcendo por mim. Com certeza foi um dos momentos mais emocionantes e marcantes da minha vida.

Trabalhar com mundo fashion te influenciou em que em matéria de moda e beleza? Trabalhar no mundo incrível da moda, me fez ampliar meus conhecimentos, melhorei como profissional e ser humano. O mundo fashion é fascinante, cada dia aprendemos algo novo.

O que foi mais difícil no início da carreira de modelo que você tiraria de letra hoje em dia? Acredito que no início de toda profissão role aquela ansiedade, na intenção de que as coisas se concretizem de forma imediata. Mas, com o tempo, a gente percebe que tudo tem seu momento, basta apenas ter paciência e ser perseverante.

Dos países que você visitou, qual moraria e qual não voltaria? Por que? Essa é bem fácil, já que tenho uma paixão declarada pela Itália! Além da minha descendência, tenho profunda admiração por toda história do país, sem contar que amo a culinária italiana.

O que é mais difícil quando se está em um outro país para trabalhar como modelo? Acredito que como modelo, a minha maior dificuldade sempre foi a alimentação, já que temos sempre que manter as medidas e em alguns lugares a culinária é bem diversificada e nem sempre atende o seu paladar, ou o contrário, agrada demais e você precisa se controlar (risos).

Já foi muito julgada pela aparência? Existe um preconceito velado em relação às Misses hoje em dia? Já sentiu algo? Sim, já fui julgada pela aparência e também questionada sobre a minha inteligência. Mas, se trata apenas de pessoas que não sabem o que falam, pois para ser modelo e/ou miss, você precisa de muita dedicação e estudos sim. Não devemos desmerecer nenhuma profissão – todas tem o seu valor.

É muito vaidosa? Do que não abre mão? Sim, sou muito vaidosa. E sem dúvida alguma, eu não abro mão de um cabelo que esteja sempre bem arrumado.

O que te coloca um sorriso no rosto? E o que te tira do sério? Sempre me pego sorrindo enquanto interajo com os meus cachorrinhos, tenho dezenas e eles são a paixão da minha vida. E o que me tira do sério é ter que lidar ou presenciar qualquer tipo de preconceito.

O que curte ler, ver e ouvir? Eu amo ler livros sobre medicina, acredito que sempre tive essa curiosidade em tentar entender mais sobre o nosso corpo. Sou fascinada por obras de artes – Pablo Picasso, Salvador Dalí – e em questão das músicas, minhas favoritas são as clássicas – Vivaldi, Mozart, Chopin.

Não resiste a um… Doce!

O que te diverte? Um bom filme! 

Como seria um final de semana perfeito? Amo natureza, então o final de semana perfeito seria desfrutar de um belo campo, em um piquenique a céu aberto.

Para dormir prefere… O máximo de conforto.

Para conquistar Bruna basta…  Olhar nos olhos.