Conhecida nas redes sociais por ser uma mulher que busca a valorização e motivação das mulheres, a digital influencer Natali Matos tem uma trajetória de sucesso e muita luta. Natali, que antes da fama trabalhava com venda e divulgação de moda com isso viu um motivo para inspirar mais mulheres com suas dicas de moda e beleza. Em 2020, recebeu o convite para escrever sobre moda e beleza para a revista Divas e assim, se estabeleceu como colunista e no mesmo ano aceitou o convite para ser apresentadora de um programa de TV, dividindo com o público seus conhecimentos e dicas importantes que motivam e elevam a autoestima da mulher. Com um conteúdo voltado para o universo feminino, tendo mais de 300 mil seguidores em suas redes sociais, a bela usa e se expressa através da fotografia, criando milhões de possibilidades para seu público feminino e assim, se consolidando e criando uma identidade própria e única no mercado de moda e beleza.

Natali Matos, foi capa de revista, e notícia em vários veículos de comunicação no Brasil e no exterior a exemplo, está sendo matéria do jornal Brazilian Times em Nova Iorque. A carreira como apresentadora e influencer está abrindo portas para o mercado publicitário, onde Natali Matos está lançando seus produtos de cosméticos. Uma mulher forte e de estilo único, que imprime seu DNA nos acessórios que lhe permitem ser várias mulheres, em tempos modernos. Isso mesmo! Natali Matos é conhecida por suas belas lances (perucas), e assim como ela, várias beldades como Lady Gaga, Ludmila, Rihanna e outras tantas famosas que imprimem seu estilo e charme pelo mundo.

Natali Matos, você tem dupla nacionalidade devido aos seus pais, mas o que te fez se estabelecer no Brasil? Na verdade, sou brasileira, nascida em Mato Grosso. Porém sou filha de pai chileno e mãe Brasileira, e vivi no Brasil até meus 10 anos de idade, logo após fui morar na província de Santiago no Chile, mas sempre fui de viajar por diversos países, entretanto, meu coração se apaixonou pelo Brasil e aqui trabalhei em diversas áreas e constitui família. E assim decidi me dedicar como influenciadora digital e viajar pelo mundo todo, em busca de experiências e dicas para meu público.

Você fala de se estabelecer e constituir família, você é casada ou tem filhos? Não. Não sou casada, porém tenho uma filha linda, que é meu maior tesouro e minha família aqui no Brasil. Acredito que todos temos que constituir uma base sólida de família, e cuidar da família que temos, uma vez que, família é a base de tudo na vida de uma pessoa.

Antes da fama de influencer você trabalhava de alguma forma no meio artístico? Sim. Durante um bom tempo, fui dançarina e viajava, me apresentava com shows. Sempre amei a dança e me destacava na mesma. Em certa ocasião, me arrisquei após ser convidada a fazer teste na TV Globo, para fazer parte do balé do Faustão. Larguei tudo e fui tentar uma vaga, porém era algo bem concorrido e confesso que algumas propostas não eram de pleno agrado. Foi quando percebi que tinha uma forte tendência para me comunicar, influenciar e ajudar pessoas com minhas experiências e dicas.      

Natali Matos, qual sua formação acadêmica? Como sempre fui de família humilde e sem grandes recursos, cedo não tive a oportunidade de me formar em publicidade ou na área de moda, a qual gosto muito, porém me formei em Administração e Marketing. E esse conhecimento me ajudou muito para o meu crescimento profissional e no meio digital. Trabalhei por anos na área financeira de um banco. Desde então sabia que não era algo que gostaria de seguir para meu futuro, mas foi o que naquele momento tinha para manter minhas finanças, mas sempre fui à luta em busca de realizar meu sonho e expressar minhas habilidades.

Como foi para você administrar este trabalho e migrar para a dança e influenciadora? No começo foi muito difícil, porém não tinha outras opções e não iria desistir de meu sonho e de meu talento. Além do mais, tinha uma filha pequena para criar. Mas consegui administrar o meu trabalho, meu talento e minha família. Foi nesse momento que percebi minha vocação e o gosto pela moda, trabalhando em lojas de roupas, já em são Paulo, como modelo de prova e consequentemente, trabalhava como modelo. E assim, fui estudando, trabalhando e conquistando o mundo. Quando percebi, já estava influenciando mais pessoas, com dicas de moda e comportamento. E assim, nasceu a influenciadora Natali Matos.

Sua experiência como modelo, foi o que te abriu portas para conhecer outras culturas e adquirir conhecimentos para serem compartilhados para seu público? Posso dizer que não a experiencia como modelo, mas sim a moda em si abriram oportunidades para que eu tivesse conhecimentos a oferecer ao meu público. Pois, trabalhando muito nesse meio, tive algumas oportunidades de estrelar em um clipe de cantores e trabalhando com moda recebi convites para trabalhar e conhecer outros países. Fui para os Estados Unidos, onde fiquei mais de um ano. Aprendi mais sobre as grandes grifes, comecei a receber convites para frequentar as semanas de modas de New York, Londres e até voltar ao Brasil e estar na semana de moda desse país que amo tanto. Nada foi tão fácil, mas eu saí de uma situação humilde e com muita luta e determinação e consegui trabalhar com aquilo que amo. Uso muita roupa de grife, porém o que mais uso são as dicas que aprendi pelo mundo, de que não é necessário gastar muito ou usar grife para esta bem-vestida e se vestir bem. O mais importante na moda, é você se sentir bem e gostar de você mesma.   

Quais os projetos e próximos passos de Natali Matos? Para mim o céu é o limite. Recebi o convite de apresentar um programa de TV e aproveitando este momento difícil que o mundo passa por conta dessa pandemia, também porque tenho uma filha que amo demais, acabei ficando mais no Brasil para acompanhar o crescimento dela e aprender com esse novo desafio que é apresentar um programa de TV em que vou dar dicas de moda e falar diretamente com meu público. O que posso falar é que, em breve, teremos mais de Natali Matos nas redes sociais e TV.

Qual momento mais difícil que passou, e se você pensou em desistir de seus sonhos em algum momento? Houve muitos momentos difíceis, porém a doença de meu pai foi algo que exigiu muito de mim, pois ele havia ficado doente teve sua perna foi amputada. Minha mãe, em seguida, doeceu também, veio a falecer. E uma semana depois meu pai também nos deixou. Isso mexeu comigo e me senti perdida por alguns momentos. Porém não poderia me permitir desistir e desanimar de tudo aquilo que estava para conquistar. Vivi o meu luto, ergui a cabeça e sabia que tinha que buscar mais forças para vencer e superar estas perdas.

Como foi sua ida para São Paulo, após essas grandes perdas e ainda com uma filha? Foi uma decisão certeira, e graças a Deus minha filha tem um pai maravilhoso, que apoiou minha decisão e me deixou tranquila para ir, pois sabia que minha filha ficaria bem e sempre estaria voltando para estar com ela. Com esta decisão, precisaria formar uma equipe de profissionais de alta qualidade, que pudessem me dar o suporte para que conseguisse me dedicar à carreira de influencer. E nesse momento, tudo que aprendi em minhas viagens e todo o meu esforço e trabalho me foi válido naquele momento em que precisava investir em meu trabalho para que pudesse ser mais presente com meus fãs e público que já me seguiam e admiravam.                                       

Hoje você tem seu estilo próprio de vida, sabendo disso, qual mensagem você passa para seus seguidores? Tento usar o que aprendi e tenho buscado conhecimentos para passar e tentar melhorar, de alguma forma, o dia a dia de minhas seguidoras e meus seguidores. São mensagens e experiências simples como “Não precisamos gastar muito para ser estar bem, é questão de autoestima e se autovalorizar. Pois o mais importante é você estar bem consigo e com o mundo ao seu redor

É difícil separar o que é vida real do que se vê nas redes sociais? Como não ficar preso apenas ao mundo digital? Não só é possível como necessário você ter tempo para seu trabalho, sua família e você mesma. Temos que imprimir nossa personalidade, sem perder nossa essência. As redes sociais, às vezes podem ser cruel e nem tudo que se vê nelas é perfeito ou certo. Temos que nos valorizar e entender que somos únicos e especiais. Então, eu não tenho dificuldade nessa questão.

O que é mais incrível e mais terrível, digamos assim, nessa vida digital? O mais incrível para mim, é saber que posso me comunicar com tantas pessoas e que, de alguma forma, posso ajudar essas pessoas com minhas experiências e conteúdo que podem salvar e até mudar vidas. O terrível é que as redes sociais quando querem, podem ser cruel com você com crítica e opinião maldosas que podem matar e destruir pessoas. Isso não sou eu quem diz, os noticiários que assistimos mostram isso!   

Como podemos dosar a relação com as redes sociais? Temos como e é possível dosar. Basta cada pessoa se entender e entender quem elas são e o que isso pode ser para cada uma delas. Devemos usar as redes com cuidados, não encontramos todas as respostas para nossos questionamentos nas redes. E vejo meu trabalho de influencer como até uma ferramenta de autoajuda para essas pessoas.     

Essa política do cancelamento chega a ser muito cruel. Já passou por isso? Como lidou com a situação? Olha acredito que todas as pessoas públicas já tiveram alguma experiência negativa na Internet – nem sempre agradamos a todos que ali estão, e sim, o cancelamento é algo que em algum momento passamos. Comentários maldosos já tive, mas eu ignoro essas coisas, bloqueio a pessoa e a vida segue. Sei quem sou e o que posso representar e não serão algumas pessoas maldosas que irão ofuscar meu brilho. Quando é uma crítica construtiva, aceito e respondo, pois, prezo muito por esse contato com meu público. Um exemplo é sobre meu estilo e os cabelos que uso – eu entendo que não é algo cultural as mulheres usarem lance no Brasil, mas lá fora, isso é comum – mostrar a feminilidade e personalidade de uma mulher que pode ser várias com um único acessório.     

Muitos jovens acham que o que está ali nas redes sociais é o mundo real e ideal. Você mesma já sofreu com essa ideia de que “nem tudo que reluz é ouro” nas redes sociais? As pessoas têm que ter em mente de que aquilo que se vê nas redes sociais não é 100% uma receita que serve para resolver seus problemas. Cada um tem seu estilo, lugar e condição financeira. E que não se poder ser igual a ninguém, e sim, usar as redes para se divulgar e achar ferramentas que ajudem a cada uma vivenciar e absorver novas informações.  

Com um número cada vez maior de influencers, como se destacar? Como se reinventar no meio de tudo isso? Se você tem uma personalidade diferenciada e pode, de alguma forma, compartilhar suas experiências e isso mudar algo ao seu redor, você é uma influencer diferenciada. Não importa a quantidade de influencers e sim, o conteúdo que poucos têm a oferecer a esse meio que se faz hoje como uma profissão. E você tem que sempre procurar se atualizar nesse meio da Internet, que está em constante mudança. 

Você é muito ligada em moda, o que procura ser o ideal para você e para seus seguidores? Seria a mesma coisa? Sou amante da moda sim, porém, dentro de minhas condições eu consumo a moda. Entendo que nem todos os meus seguidores vivem a mesma condição, por isso, procuro sempre adaptar o que sei à realidade de cada um, oferecendo aos meus seguidores dicas simples e baratas que surtem o mesmo efeito, ao final.    

Você é mãe de uma menina, se pudesse escolher, deixaria ela ser influencer também? Que ensinamentos passaria para ela? Como mãe eu não gostaria, pois sei da luta e obstáculos pelos quais passei para me manter até aqui. Entretanto, não vou privar minha filha de tomar suas decisões, ela já tem uma personalidade forte e sabe o que quer. Posso educá-la e incentivá-la nos estudos –  que ela escolha e seja feliz em sua profissão futura.  

Qual seu pecado “favorito”? A que não resiste? Bom, uma das coisas que poderia considerar um pecado e o fato de não resistir a deliciosos doces e bolos e é claro, sou um pouco consumista e esse pecado é algo difícil de evitar! (risos)

Para encerrar… e na hora de relaxar, o que faz sua cabeça? Gosto muito de viajar, buscar novos desafios e experiências. Meu trabalho de influencer me relaxa muito e a dança, que é algo que sempre vai estar presente e me relaxar muito. 

Produção Geral Christina Gall @christinagall
Fotografia Márcio Farias @marciofariasfoto
Vídeo Vegals Films @vegalsfilms
Stylist Aline Ciafrino @atelieralineciafrino
Beleza Christina Gall @christinagall com produtos @kryolanbrasil
Assistente de beleza Marcos Lucena @marcosllucena
Locomoção @idastur