Com calma e seu jeitinho mineirinho, Samia Abreu foi se familiarizando com a dança, depois seguiu para o teatro e foi que ai veio a chance que ela esperava para estrear na TV. Depois de voltar de uma temporada estudando em Nova York, Samia começou a fazer testes até que no segundo conseguiu o papel para Chiquititas, daí em diante foi só o início do sonho se concretizando. De lá pra cá Samia não parou mais. Seu trabalho mais recente foi em Gênesis, onde interpretou Marianat, uma rainha do Egito. Disposta e aberta a novos desafios, Samia já prepara novos voos, mas antes do descanso merecido, passou pela MENSCH e o resultado ficou incrível.

Samia como foi migrar de trabalhos focados no público infantojuvenil como Chiquititas e hoje trabalhar para um público mais adulto? Foi maravilhoso! São dramaturgias de linguagens bem diferentes e acredito que foi tudo no tempo certo. Chiquititas foi meu primeiro trabalho na TV e de lá pra cá, eu vejo uma evolução enorme do meu trabalho. Está sendo maravilhoso fazer uma vilã novamente, só que dessa vez para o público adulto. A densidade é outra, a história é bem intensa e o ritmo das gravações também. Espero que esse novo público também goste do meu trabalho. 🙂 

E como e quando se descobriu atriz? Como isso chegou até você? Desde que me entendo por gente tenho o sonho de ser atriz e depois, aos poucos, esse sonho foi se transformando em objetivo de vida. Eu sempre fui muito viciada em filmes, já passei finais de semana inteiros assistindo a um filme atrás do outro e já fui ao cinema até mesmo sozinha quando queria assistir mais de um filme no mesmo dia. A paixão pela atuação começou muito cedo e mesmo assim eu sempre tive muita maturidade pra lidar com a carreira. Eu era uma criança que queria ser atriz e sabia que precisaria me dedicar e estudar muito pra isso. Pedi aos meus pais para fazer teatro, mas eles não deixavam, tinham medo por eu ser muito nova, e na minha cidade, Belo Horizonte, também não tinham muitas escolas de teatro boas para crianças. Então, aos 12 anos comecei a fazer aulas de canto, gostava muito de cantar e sabia que aprender poderia me ajudar como atriz lá na frente. Depois, entrei nas aulas de dança também com esse mesmo objetivo e por ser apaixonada por música. Sempre assistia muito a musicais, séries da Disney que me mostravam atores que cantavam e dançavam e eu achava incrível, queria ser igual a eles!

Mas mesmo tendo esse sonho eu nunca quis atropelar as coisas, não me via ainda como criança já trabalhando em novelas ou filmes, queria mesmo aprender pra depois me arriscar na carreira. E como almejava aquilo pra minha vida toda, nunca tive pressa, queria aproveitar minha infância também e estudar o máximo até me sentir mais preparada. Só entrei para o teatro mesmo aos 18 anos, na PUC Minas. Foi quando comecei a atuar de fato e aí que eu me apaixonei ainda mais. Depois, fui para Los Angeles estudar atuação pra cinema na New York Film Academy e quando voltei já montei meu currículo, site, procurei agências e comecei a ir atrás de testes para as novelas. No meu segundo teste, eu peguei o papel para Chiquititas e foi só o início do sonho se concretizando. Minha família, graças a Deus, nunca deixou de me apoiar na busca por esse sonho, agradeço muito a eles por nunca deixarem de acreditar em mim.

Você é formada em teatro pela PUC Minas, teve como base o teatro para só depois se aventurar pela TV. Que base o teatro te deu que serviu para sua carreira na TV ou cinema? Algo em especial? O teatro me ajudou não só na carreira, mas também na vida. Quando comecei a me interessar pela atuação, logo vi que o teatro era a base de tudo, onde tudo começou. Então, acho que todo ator precisa passar pelo teatro, mesmo que não siga nesse ramo depois. Com certeza tudo que aprendi no teatro vou levar pro resto da minha vida, ao longo da minha carreira. No teatro você aprende a se expressar melhor, não só em cena, mas também na vida. A gente trabalha bastante nossa expressão vocal e corporal e aprende a investigar e a trabalhar nossas emoções, nossas questões internas, a observar, a ouvir o outro isso… e acaba interferindo diretamente em nossa vida de uma maneira positiva. 

Da TV para as redes sociais. Como se liga nisso e como isso te consome? A TV acabou me dando uma visibilidade bem legal nas redes sociais e eu venho tentando cada vez mais usar isso de uma maneira positiva e que agregue também na vida das pessoas. Tento separar cada vez mais meu trabalho com as redes sociais da minha vida pessoal, o que é muitas vezes bem difícil porque exponho ali meu lifestyle. Então, preciso me organizar bem para que isso não acabe me consumindo porque as vezes até um momento de lazer, vira trabalho. Durante a pandemia as redes sociais foram minha única fonte de renda, foi o que me segurou nesse momento difícil. Então, sou muito grata por cada seguidor e cada like que eu ganho. Mas esse meio de trabalho ainda é novo pra mim, aos poucos estou descobrindo a melhor forma de trabalhar com isso. 

Qual o seu limite nesse mundo digital? Com certeza não ofender ninguém, e respeitar a opinião do outro. A Internet pode parecer terra sem lei, mas tudo que fazemos tem consequências e pode afetar muito a vida de alguém. Assim, tento sempre usar o digital com muita consciência.

E o que do mundo real você não leva para o digital? Ah, muita coisa! Não sou de expor tudo na Internet não, e nem se a gente quisesse daria pra expor tudo que vivemos nas redes sociais. Lá, vai ser sempre um fragmento, um momento da realidade, são apenas segundos que a gente consegue mostrar ali e eu tento sempre manter também a minha privacidade e não expor tudo. Gosto de mostrar o que acho relevante e leve, e sempre de uma maneira positiva pra inspirar meus seguidores e dar dicas também. 

Falando nisso, seu trabalho mais recente na TV é a rainha do Egito Marianat em Gênesis. Que desafios esse trabalho te trouxe e como foi para você? Foi maravilhoso fazer parte dessa novela! Foi extremamente desafiador gravar nessas condições em que estamos vivendo hoje, o ritmo foi bem intenso e interpretar a rainha do Egito também foi um desafio e tanto! Só para me preparar levava todo dia por volta de duas horas para a caracterização da personagem, maquiagem, cabelo e figurino. É bem desafiador fazer um personagem tão distante de nossa realidade de hoje. Busquei muitas referências de rainhas e estudei bastante para dar vida a Merianat. Não se tem muitas referências de filmes de rainhas do Egito, tirando Cleopatra com a maravilhosa Elisabeth Taylor, que foi uma das minhas maiores inspirações, as outras foram rainhas mais contemporâneas, inglesas. Mas foi incrível, até hoje foi um dos trabalhos que eu mais gostei de fazer. Os cenários eram todos bem grandes, tive cenas de ação que nunca tinha feito na vida, não posso contar muito pra não dar spoiler, mas vocês vão ver quando for ao ar (risos).

Você já participou de algumas novelas de época e religiosas. Que desafios esse tipo de trabalho traz? É com certeza um desafio enorme e muito prazeroso também, eu amo fazer, porque além de me transportar para um outro universo, me conecta mais ainda com a minha fé. As histórias bíblicas me comovem bastante, são muito lindas e sempre passam uma mensagem forte de inspiração. Nessa novela especificamente eu não participo diretamente do núcleo bíblico, mas a história de José é linda e inspiradora.

Atualmente está namorando, casada, de paquera…? O que te atrai para justificar o status de solteira? Namorando, morando junto e já pensamos em casar em breve! Eu amo a vida a dois, especialmente por ter encontrado uma pessoa tão parceira e que me apoia em tudo. Começamos a morar juntos na pandemia e isso nos fortaleceu muito, já faz um ano, mas parece que moramos juntos há 10 (risos). Foi muito bom pra nos conhecermos melhor e aprendermos a viver em sintonia. Como eu já morava sozinha no Rio (dividia o apartamento com amigas) não tinha porque a gente não se juntar. Antes as pessoas casavam para morar junto e hoje em dia está cada vez mais comum morar junto para depois casar e eu prefiro assim, e depois vem os filhos, é claro. 🙂 

Na hora de relaxar, o que curte? Amo muito fazer alguma atividade na natureza, que seja fazer uma trilha, ir a uma cachoeira, dar um mergulho no mar, surfar de vez em quando, fazer yoga na praia. E à noite, adoro ficar na companhia do meu amor e das minhas filhas pet em casa assistindo um filme ou série. Outro programa que eu amo é ir ao restaurante plant based Pura Rio, do meu namorado. Lá tem uma comida sensacional, e com certeza comer é um dos meus programas favoritos também (risos).

Os dias em casa são perfeitos para o que? Perfeitos para organizar a casa e a vida (risos). Adoro deixar tudo em ordem nos dias que fico mais tempo em casa e ficar na cama vendo uma série ou filme com a família e ler um bom livro. 

Quais os planos para este ano ainda? Agora que acabaram as gravações vou aproveitar para descansar e viajar um pouco. Depois, se Deus quiser, já quero pegar logo uma outra novela ou quem sabe uma série, um dos meus maiores sonhos hoje em dia. Mas procuro viver um dia de cada vez e sempre muito grata com o que vier pela frente.

Fotos Priscila Nicheli

Styling Samantha Szczerb

Beleza Titto Vidal

Samia usou Lybethras, Glossy, By Segheto, Cecconello, Eduardo Guinle

Agradecimento especial: Rio Othon Hotel (@rioothonpalace)