A história dos refugiados ao redor do mundo parecia uma realidade distante de nós brasileiros até conhecermos o sírio Kaysar Dadour, 30 anos, que chegou no Brasil em 2018 e viu sua vida mudar da água pro vinho. A trajetória dele virou um belo exemplo de superação e sucesso quando ele recebeu ano passado o título de cidadão brasileiro. Sua chegada por aqui foi acompanhada pelas lentes do BBB 18 onde terminou em 2º lugar. Depois disso veio filme, novela e a vitória no quadro “Dança dos Famosos”, no Faustão. Resumindo, Kaysar caiu no gosto do público e não saiu mais dos holofotes. Resultado de carisma, talento e perseverança de quem queria realmente mudar o ruma da vida e conquistar sua paz para criar vínculos onde pudesse viver feliz. A história de Kaysar poderia muito bem ser enredo de filme ou de novela. Simpático, alto astral e mais brasileiro que nunca, conversamos com esse sírio que tem muito o que mostrar e não abre mão de ser feliz ao lado da família e dos novos amigos. 

Recapitulando, você surgiu para o grande público no BBB 18 e ficou em 2o lugar. Você esperava chegar tão longe? O que ficou de bom da experiência?  Não esperava chegar tão longe no BBB, mas eu entrei com um objetivo, que era de ganhar o prêmio e trazer a minha família para o Brasil. Graças a Deus consegui chegar até a final, ficando em 2° lugar, não ganhei o prêmio, mas consegui trazer a minha família. Foi uma experiência maravilhosa, inesquecível, sou muito grato ao BBB.

Em seguida veio a novela “Órfãos da Terra”, que contava a história de muita gente que lembrava sua vida real. Isso teve um peso especial para você de que forma? A novela foi muito importante pra mim, por que a palavra chave da novela era “empatia”. Foi maravilhoso contar a história dos refugiados para o Brasil.

Ano passado você se naturalizou brasileiro. O que isso significou para você? O que mudou? Agora eu sou um sírio-brasileiro com muito orgulho e prometo honrar minha nova cidadania. Agora eu sou brasileiro de coração e de documento.

O clima, as mulheres, a comida, a música… O que mais te encanta aqui no Brasil? O que te faz se sentir em casa, bem acolhido? Tudo me encanta no Brasil. O funk principalmente, por que adoro rebolar até o chão e fazer muita bagunça! (risos)

Que boas lembranças guarda da Síria? Tenho muita saudade do cheiro da Síria, o sorriso dos meus amigos, o cheiro da minha escola e muita coisa, me dói o coração só de lembrar.

A sua terceira participação da TV já foi ganhando o Dança dos Famosos. Como foi isso cara? Sabia que podia dançar tão bem assim? Eu achava que dançar fosse muito fácil, mas não é fácil não. Aprendi a respeitar mais os bailarinos e bailarinas por que o trabalho deles é maravilhoso. Me apaixonei pelo tango, estou fazendo aulas. No começo fui muito ruim, não imaginei que fosse chegar onde cheguei.

Também no ano passado veio o filme “Carceriros”. Como foi essa estreia no cinema? O “Carcereiros”, foi o primeiro filme que fiz, tive muito apoio do Rodrigo Lombardi, do Jackson, do diretor Belmonte e de toda a equipe que me acolheu super bem, abrindo várias portas.

Ser ator era algo que você sempre buscou? Como surgiu? Quando criança sonhava em ser ator, mas com a guerra onde eu morava, esse sonho sumiu por um tempo. Sinto quer era uma semente na terra, e após muita chuva o fruto brotou. Agora estou estudando muito e me preparando muito também.

Para relaxar, o que faz sua cabeça? Gosto de escrever poemas. Estou quase terminando o livro que vou lançar, por que escrevo em árabe e eles traduzem para português, então essa tradução que está demorando. Eu escrevo muito na praia ou no mato.

Você já mudou muito de visual. É um cara muito vaidoso? Como? Eu Gosto muito de mudar meu visual, se pudesse mudaria toda semana. Mas como o cabelo cresce aos poucos, não posso mudar toda semana, (risos) Agora estou de bigode e já já vou mudar de novo.

Falando de Brasil, o que você já conheceu desse seu novo país? Por onde já andou? Eu conheço o Nordeste, Pernambuco, Manaus, Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo. Esse ano pretendo viajar mais. Quero muito conhecer a Floresta Amazônica.

E o que vem para esse ano que já pode nos adiantar? Vem muitas novidades que não posso falar ainda, aguardem!

Fotos Dêssa Pires

Styling Samantha Szczerb

Beleza Yago Maia

Agradecimentos Amil Confecções, King & Joe, Érica Rosa Atelier, J’Adore Luxe