Por Márcia Dornelles

A simpatia de Gabriel Santana, 19 anos, se encaixou perfeitamente com a do seu personagem Cleber na atual temporada de “Malhação”. Mas sua jornada começou um pouco antes disso, Gabriel emplacou sucessos como “Chiquititas” e “Z4”, no SBT, antes de chegar até a Globo, onde teve que se mudar para morar só no Rio de Janeiro. “Chiquititas”, que foi um sonho para mim, que até então nunca tinha feito teatro, nem dança, nem canto, e ali eu tive que ir aprendendo na prática, foi uma ótima escolha, onde aprendi com as crianças, aprendi com toda equipe, e ai eu já estava com 13 anos de idade”, comentou ele durante entrevista para a MENSCH. Conheça um pouco mais desse jovem, e batalhador, ator que tem muito o que trilhar pela frente.

 

Gabriel você começou sua carreira artística ainda criança, conte como aconteceu? Adoro contar esta história, tudo começou porque minha irmã queria ser modelo, eu tinha 11 anos e ela 15, então fomos juntos a uma agencia de modelo, eu ainda era muito tímido, com o tempo fui me soltando, mas comecei a fazer comerciais, testes, figuração, papéis coadjuvante em comerciais. Aconteceu que minha irmã viu que não era isto que ela queria, eu pelo contrário, percebi que era isto que eu queria para minha vida!

E a primeira oportunidade na TV, como surgiu? Fui tendo muitas oportunidades, fui gostando cada vez mais da carreira artística até que surgiu a oportunidade para a novela “Chiquititas”, que foi um sonho para mim, que até então nunca tinha feito teatro, nem dança, nem canto, e ali eu tive que ir aprendendo na prática, foi uma ótima escolha, onde aprendi com as crianças, aprendi com toda equipe, e ai eu já estava com 13 anos de idade. “Chiquititas” foi uma escolha magnifica.

E daí você descobriu que queria mesmo ser ator e foi para o teatro? Sim, eu tinha certeza que eu queria ser ator mas não tinha experiência, não tinha estudado artes cênicas, mas tomei a decisão: Se é isto que eu quero para minha vida, então vou me preparar, e fui fazer teatro, encontrei um anjo chamado Fatima Duvale, estudei na escola dela por um ano e meio, fiz algumas peças profissionais e depois disto eu não parei mais de fazer teatro. Dos 15 aos 17 fui fazendo várias peças de teatro. Depois fui cursar uma faculdade de artes cênicas, fiz 4 períodos e surgiu a oportunidade para testes em “Malhação”, e aqui estou! Mas vou terminar minha formação em breve. Teatro é minha vida! Amo Muito!

Gabriel, o Cleber está sendo um dos personagens mais queridos desta temporada de “Malhação”, por que você acha que está acontecendo isto? O Cleber tem um carisma muito grande, mesmo quando ele toma alguma atitude precipitada ou moralmente errada ele não tem medo de pedir desculpas e reconhecer o erro. O Cleber está sempre disposto a ajudar quem precisa, mesmo que já tenham feito algo que acabou prejudicando a vida dele. O Cleber é da paz e representa a alegria do brasileiro, que apesar de toda dificuldade que passa no dia a dia sempre tenta manter a alegria e a felicidade. Acho que por isso as pessoas têm empatia por ele, pelo que ele representa e pelas ações dele.

O que você tem aprendido com seu personagem, o Cleber? O que mais aprendo com ele é justamente a alegria que ele tem independente do que aconteça no seu dia dia, de encarar tudo que acontece de uma maneira positiva, acho que assim a vida fica mais leve.

O namoro dele com Anjinha teve muita torcida e empatia com o público. A que você atribui este sucesso? Acho que por conta de ser um casal diferente do comum. Um casal em desconstrução, onde feminilidade e masculinidade são postas em questão de um jeito divertido e carismático.

A Anjinha vivida pela atriz Caroline Dallarosa, parece ser muito mandona, com o Cleber, mesmo assim o Cleber se acerta com ela, e você acha que conseguiria lidar com uma namorada mandona como ela? Acho que as pessoas têm se amar e se aceitar da forma que elas são. Tendo isso o relacionamento é equilibrado.

Que tipo de garota te chama sua atenção? Eu não tenho uma preferência, já gostei de mulheres com estilos e personalidades completamente diferentes, mas acho que pra um relacionamento dar certo tem que ter muita confiança, sinceridade e conversa.

Como está sendo a parceria com a atriz Caroline Dallarosa em “Malhação”? A Carol é um presente, nos damos muito bem em cena e fora de cena. Sempre nos ajudamos na vida pessoal e profissional.

Gravar uma novela tão longa como “Malhação” acaba sendo um grande aprendizado para o ator, não é? Como tem sido pra você? “Malhação” com certeza é um lugar que se aprende muito, por conta do tempo de duração e pela quantidade de cenas que atores jovens têm. É um lugar muito bom para experimentar vários lugares como ator. E isso tem agregado muito a minha carreira!

Você é um ator que vai em busca de mais oportunidades de carreira, como é este lado pra você? Tudo que aconteceu na minha vida, foi meio por acaso, eu não estava buscando ser ator e aconteceu, mas não desperdicei cada oportunidade, agarrei com unhas e dentes! Nunca imaginei ser ator, mas soube aproveitar, quando terminou “Chiquititas” eu busquei me aperfeiçoar, fui fazer teatro e surgiu peças para eu encenar, durante as peças percebi que precisava dançar melhor, busquei escolas para aprender dançar e foi lá que consegui mais trabalhos que envolviam a dança, então isto tudo me deixou mais preparado para os trabalhos que vieram depois: “Carcereiros”, “E Z 4”, outros programas como “Dance Se Puder”, participei de um filme “Fico Louco”. É isto, acho que eu consegui aproveitar todas as chances que tive na vida, fui insistindo, fui treinando e me prepararam para todas estes desafios.



Quais os seus sonhos na carreira? Eu tenho muito o desejo de conseguir ter uma carreira internacional.

Como é a experiência de morar sozinho pela primeira vez? Tenho amadurecido muito morando sozinho, a gente se torna mais independente. Começa a dar valor para as coisas simples do dia a dia que nossos pais faziam em casa e a gente nem se dava conta. E cresce como pessoa, temos mais responsabilidade e liberdade também, gosto muito de morar sozinho

Foto Nilo Lima

Realização e Produção Marcia Dornelles

Beleza Barber Beer