Do encontro de dois amigos que amam música surgiu o projeto JetLag Music formado pelos DJs Paulo Velloso e Thiago Mansur que completa oito anos agora em 2020. O primeiro grande sucesso veio com o lançamento em parceria com Léo Fressato da canção “Oração”, que por sinal, foi a primeira música da dupla de DJs com vocal em português, o resultado foi imediato sendo uma das canções mais tocadas do eletrônico no ano. Na sequência, isso em 2017, JetLag lançou o mix original da música “Trem-Bala”, de Ana Vilela a canção foi uma das mais executadas em rádios e no iTunes na categoria eletrônica. A partir de então alcançaram ótimos resultados nas suas produções, como “Let It Drop” em parceria com o cantor Jay, “Brisa” que tem letras e é cantada pela Zoo e o remix de “My Life is Going On”, tema do seriado La Casa de Papel com Alok. Em 2019 a grande surpresa foi “Zé do Caroço” com vocais da Anitta e gravação de um live clip no Planeta Atlântida e a linda canção “Fly”, que teve clipe gravado no deserto do Arizona/EUA. No que fala de grandes festivais já se apresentaram no Tomorrowland, Lollapalooza edição Brasil, Argentina e Chile, Rock In Rio e Ultra Music Festival. Em 2020 a dupla estreou no carnaval de São Paulo e na sequência passaram por diversas capitais. Para o próximo ano o destino será a Europa. “Com todos os cuidados possíveis, mas teremos novos formatos de apresentações, novas estratégias e um consumo grande para a diversão e lazer”, conclui a dupla que no início de outubro lança a nova música “Abraço”. Afinal, o som não pode parar!

Como surgiu o JetLag? E de onde veio o nome? Em 2012 tocamos juntos em Florianópolis – durante o carnaval da ilha – e quando voltamos pra São Paulo tivemos a ideia de montar um projeto de música eletrônica. O nome veio durante um jantar de amigos (risos), e por remeter essa coisa do horário, a loucura da vida do músico e de um DJ sempre na estrada surgiu “JetLag”.

Que referências vocês tinham e queriam trazer para o JetLag? Nossas inspirações são de projetos fora do Brasil como o Swedish House Mafia.  

Como foi que a música entrou na vida de vocês? E quando se descobriram DJ? Na verdade a gente (Paulo Velloso e Thiago Mansur) sempre teve esse lado musical. Eu (conta Paulo Velloso) resolvi estudar e aprimorar mais sobre a música em 2010 e foi a partir daí que comecei esse sonho. 

Este ano vocês estrearam no Carnaval de São Paulo. Como foi a experiência? Foi uma experiência incrível. Maravilhosa!!! Tocar no meio de uma das principais avenidas de São Paulo – Avenida Brigadeiro Faria Lima – para 500 mil pessoas não acontece todo dia (risos). Abrimos o circuito eletrônico do carnaval de São Paulo e terminou sendo muito especial para a gente, dando um gás para nosso tour de carnaval, se apresentamos ainda em Recife, Salvador, Florianópolis e Rio de Janeiro. 

Os planos para 2020 era de apresentações por várias capitais e inclusive exterior. Com a pandemia tiveram que suspender tudo. Mas a programação continua de pé para assim que possível? Sim. Assim que tudo isso passar iremos voltar com a nossa programação nacional e turnê internacional. Na verdade, o ano de 2020 terminou sendo para amadurecer e criar nossos projetos para o futuro. Em breve teremos ainda mais novidades nas plataformas e em nossas apresentações.

Com a pandemia e grandes eventos suspensos como estão contornando isso? Foi difícil no início? Confesso que está sendo bem delicado até agora. Não conseguimos nos acostumar com uma rotina 100% home office, mas temos esperança de que estamos chegando ao fim desse pesadelo. Desde que começou a pandemia fizemos algumas lives em nossos canais e eventos parceiros, agora iremos fazer nossa segunda apresentação no drive-in em São Paulo.

E como vocês vislumbram os shows e festas daqui por diante? Acreditamos que vai voltar mais forte. Claro! Com todos os cuidados possíveis, mas teremos novos formatos de apresentações, novas estratégias e um consumo grande para a diversão e lazer.

As redes sociais têm um papel muito grande na divulgação de qualquer projeto ou pessoa hoje em dia. Como vocês lidam com isso? Que stories no Instagram vocês não perdem por nada? Lidamos da melhor forma possível até porque é nossa ferramenta de divulgação do nosso trabalho. Acreditamos ainda que as redes sociais revolucionaram a forma de contato do artista com os fãs, das marcas com seus clientes e toda a relação de mercado comercial e social foram revolucionados pelas redes sociais. Enxergamos que é uma ferramenta essencial para divulgação do nosso trabalho e para nos manter perto dos nossos fãs, aumentando cada vez mais nosso alcance, em qualquer tipo de lançamento que a gente faça, seja lançamento de uma música, ou de álbum. Os stories que não perdemos são de artistas parceiros, da música – principalmente eletrônica, de marcas que a gente tem uma relação comercial ou como cliente e stories de algumas plataformas. 

Quais os novos projetos? O quem tem de novo vindo por aí? O nosso mais novo projeto é a música “abraço” em parceria com a cantora e compositora Agnes Nunes. A música estará em todas as plataformas digitais e conta ainda com o lançamento do nosso clipe feito durante a quarentena com participação de Anitta, Marina Ruy Barbosa, Carolina Dieckmann, Danton Mello, Carol Marra, Malvino Salvador, Mari Antunes, Marcelo Serrado e outros amigos da televisão, música e do esporte. O roteiro do clipe foi feito pela Gabriela Prioli que é nossa grande parceira e já fez outras parcerias com a gente, a quarentena nos deu tempo para produzir e criar muita coisa nova que em breve estará disponível para todos. Ah! Outra novidade é nossa logo que está de cara nova!!! 

Como foi a parceria com Agnes Nunes para nova música “Abraço”? A gente já era fã dessa cantora (risos). E essa parceria foi algo muito bacana e inusitado. Agnes tem uma potência vocal muito legal e como artista ela tem uma “vibe” que a gente gosta, autêntica, com uma brasilidade única e é algo que a gente acredita. E essas parcerias cada vez mais tem ganhado força, foi prazeroso fazer esse feat e estamos muito felizes com o resultado.  

Hoje em dia vocês são uma referência no estilo Eletric Dance Music. Onde buscam inspiração e inovação? Escutamos todo tipo de música (nacional e internacional) e isso nos dá muitas inspirações. 

Vocês meio que revolucionaram o cenário da música eletrônica quando lançaram os mixes de Trem Bala e Oração. De onde surgiu a ideia? Esperavam por essa repercussão? Um dia paramos para pensar: “Porque que não existe música eletrônica com vocal em português?” A partir daí começamos a ter ideias e o público adorou e outros artistas criaram músicas incríveis com o vocal em português. 

O que é fundamental para ter uma boa vibe com o público? Subir no palco e tocar se divertindo igual ao público que está te assistindo. Acreditamos muito nisso!!

Qual o som do próximo verão? Existem vários estilos que estavam mais em nichos e que estão crescendo. O som do verão vai ser bem diversificado se falando em música eletrônica. 

O que costumam ouvir quando não estão colocando música para os outros ouvirem? De tudo!!! (risos). Confesso que a música eletrônica não sai da nossa playlist, mas a música popular brasileira e Hip-hop são fortes também.   

Vocês já fizeram parcerias com artistas como Anitta, Alok, Vintage e Frejat. Qual o sucesso pra uma parceria dessa dar certo? Isso é uma coisa muito legal do nosso estilo e na música eletrônica, conseguir agregar vários artistas diferentes dentro de uma mesma ideia. 

Que lugar do mundo que vocês já foram (se apresentaram) que marcaram a apresentações de vocês? Uma apresentação pra história do JetLag? Nossa!!! Alguns lugares (risos), como Bélgica (no festival Tomorrowland), França, Chile, Argentina, Paraguai, México e os Estados Unidos foram apresentações marcantes. Já fizemos tantos shows incríveis que é como falamos no início, difícil escolher um só, inclusive, aqui no Brasil mesmo. 

PARA THIAGO MANSUR 

O trabalho de modelo te influenciou de alguma forma no trabalho de DJ hoje? Meu trabalho como modelo influenciou demais na minha carreia como DJ até porque a moda influencia em tudo, desde da forma que você se apresenta ao mundo, a forma de como você se veste e o que você quer passar, é o seu cartão de visita. Inclusive, até a energia que você está passando naquele momento da sua vida, ou naquele dia específico, se você se veste de uma maneira mais introspectiva, ou mais extravagante, as cores que você usa e as proporções. Acho que a moda é um espelho da alma que termina sendo moldada por vários outros fatores que a gente tem vivenciado naquele período da nossa existência. Então, tanto na parte de atitude, de vestimentas, mas também na parte de como você enxergar o mundo a moda tem total relação com o meu trabalho de hoje que é a música. Confesso também que tem muita referência de moda que abre minha cabeça musicalmente e muda os meus conceitos, às vezes, muda minha direção no olhar e isso reflete puramente na música.

Você terminou representando algumas grifes e de certa forma ainda vive nesse mundo da moda. Se tornou um cara mais ligado em moda e tendências como empresário do ramo ou consumidor? Eu ainda vivo esse mundo da moda, é muito latente na minha carreira até porque tenho contratos com algumas grifes muito legais e que eu já era consumidor. Hoje poder ser imagem delas é gratificante pra mim, acho que cada vez mais essa legitimidade de você se associar as marcas que você realmente usa, acredita e elas perceberem isso e escolher pra representa-las quem realmente as usam e acreditam nelas é algo que cada dia mais vamos ver presente no mercado, não só da moda, mas dos produtos e serviços. Então, o meu trabalho como modelo me fez mergulhar ainda mais nesse universo, hoje na música com certeza é um reflexo do trabalho que fiz lá traz com algumas marcas e que influenciou e influência quem eu sou de fato, minha essência está ligado em elementos da moda. Todas as marcas que eu tenho relação gosto de participar, inclusive, da criação das ações publicitarias porque como sou consumidor delas gosto de mostrar a verdade para quem vai consumir aquele produto. 

PARA PAULO VELLOSO 

Como empresário, que olhar de negócio você traz para o JetLag? Criar e inovar sempre!!! Hoje as coisas acontecem muito rápidas no mundo e se não inovarmos ficamos pra trás. Por isso estamos sempre buscando o novo e inovando.

Você e seu irmão, quem influencia mais quem? Acontece isso? Por incrível que pareça, falamos muito pouco de música (risos). Mas ele tem um talento incrível e às vezes acho que devíamos tocar mais juntos.

Fotos Vinícius Mochizuki

Stylist Milton Castanheira

Produção Mauricio Piller