Criadora por essência, a designer Roberta Banqueri é o tipo de profissional que não vê limites para a criação. Graduada em Arquitetura e Urbanismo, com especialização em Arquitetura Hoteleira, agora se dedica ao desenvolvimento de produtos, que a possibilitam ir do imaterial ao real para criar formas únicas. Com mais de 23 anos de experiência, sente-se à vontade para experimentar e nunca se repetir. Para ela, um projeto nunca será igual a outro porque cada projeto é pensado para pessoas ou marcas com histórias, desejos e necessidades diferentes. 

Tudo isso resume um pouco do que Roberta está apresentando com sua coleção Tupiniquim. Com lançamentos em diversas cidades pelo Brasil, Recife é uma das cidades a receber sua visita a convite de Doris David de Souza, da Casapronta (na terça-feira, 17/05). A coleção Tupiniquim é o início da parceria entre Roberta Banqueri e a Piu Mobile, uma das mais conceituadas fábricas de estofados do Brasil. 

FAUNA, FLORA E ARQUITETURA

A coleção explora fauna, flora, arquitetura e a sociedade do país, exaltando a matéria prima nacional, com um conceito que destaca a resistência e a adaptabilidade do povo brasileiro, com o olhar para o futuro do design do Brasil. O mobiliário tem o propósito de entregar charme, originalidade e excelência na fabricação aos apreciadores de design. “O trabalho de Roberta Banqueri é encantador. É uma honra para a Casapronta a nossa parceria exclusiva. Essa coleção, em especial, traz peças que já figuram entre os destaques do design nacional”, revela a empresária Doris David de Souza

Nessa coleção, o traçado contemporâneo, que é a marca registrada de Roberta, viaja por diversos elementos brasileiros para ressignificar a palavra Tupiniquim, que carrega em si as raízes do povo brasileiro. “Para criar essa coleção eu fiz um estudo para entender e explorar um pouco das regionalidades do Brasil. Encontrei muita coisa e fui pegando o que fazia sentido pra mim. Quando eu falo da poltrona Cacau, eu trago o fruto, a vegetação do Brasil; o sofá  Oca traz a casa indígena, o abrigo, mas fala também do Oscar Niemeyer”, explica Roberta. 

A designer também aposta na modulação do mobiliário com produtos funcionais. “Trabalhei a modulação porque considero importante essa flexibilidade para atender necessidades e compor projetos. É importante poder aumentar e diminuir, modular da forma que o ambiente pede porque cada espaço tem uma necessidade, cada projeto tem uma necessidade”,  explica.

OCA

DESTAQUES DA COLEÇÃO
ABAPO

Uma referência direta à obra de Tarsila do Amaral onde a artista modernista representa a ligação entre homem e a terra, ou entre a obra e o sofá Abapo. Os braços laterais têm uma única linha que se dobra abaixo da estrutura, dando um desenho singular e provocativo à peça. Além de formas arredondadas desafiadoras, revestir a peça inteira traz personalidade com o efeito desejado e proposital das rugas para evidenciar a mobilidade do couro.

OCA 

Inspirada no abrigo indígena e também na delicada casca em concreto do grande arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, Oca possui linguagem contemporânea e atemporal, com forma arredondada e fluida. A peça tem estrutura delgada e única, moldada em fibra de vidro, estofada e revestida em couro. Despretensiosa, muito confortável como um verdadeiro abrigo, é também funcional, com a bandeja em pedra exótica nacional e bolsa em couro para objetos.

RÉGIA

RÉGIA

A planta aquática Vitória Régia, com suas lendas, histórias e mistérios, típica da Amazônia e muito usada no paisagismo de Burle Marx, foi a inspiração para o sofá Régia, que retrata a flora de forma leve e exótica. Seu formato curvo e modular, possibilita a peça crescer e fazer diversas curvas que, em conjunto com a chaise redonda (foto ao lado) e duas poltronas giratórias, é perfeita para grandes lobbies, halls e salas, além de poder ser usada como peça individual. O encosto do sofá com laterais que abraçam a estrutura de forma delicada e prismática, trazem um contraponto a forma toda curva da linha Régia.

CACAU A poltrona Cacau, grande e provocativa, expressa a motivação em trabalhar com elementos característicos do Brasil. A fruta, cujo nome significa comida dos deuses, está presente em nossa nacionalidade, lembramos da Bahia, das fazendas, do seu cheiro doce e apaixonante. Com tantos atributos, a peça deveria ser grande, ter formas arredondadas e anatômicas para quebrar o ritmo da forma da fruta. A partir daí, foi criada a linguagem arrojada, contemporânea e divertida do design orgânico aliado ao conforto necessário e ao equilíbrio estético entre volumes assimétricos. A assimetria dos braços de apoio permite deitar-se e simplesmente relaxar, a banqueta de apoio complementa o volume enquanto convida à tranquilidade.

CACAU

Créditos Mobiliário_ @Piumobile_ Designer_ @robertabanqueri Produção_ @27zero6.oficial Fotos_ @guigomes.fotografia