Luciano Szafir parece ter uma espécie de tranquilidade oriental, talvez adquirida na prática do judô desde os 5 anos. Lida bem com o assédio e os infortúnios da fama, mas também sabe aproveitar as positividades que ela carrega. Dono do próprio nariz desde muito cedo, já morou no exterior contra a vontade dos pais e depois voltou com a humildade de quem sabe pedir e aceitar desculpas. De todas as suas conquistas, alegrias e vitórias, Sasha é sem sombra de dúvidas e melhor e maior de toda. Pai dedicado e amoroso, ensina e aprende com a filha adolescente mostrando que uma relação de respeito entre pais e filhos é a base para uma educação sólida. De família tradicional, Szafir guarda preceitos e rituais judeus como forma de agradecimento a Deus. Conheça um pouco mais do ator que é também um homem de sucesso no mundo dos negócios.

Modelo, empresário e ator. As coisas foram acontecendo naturalmente na sua vida ou foi algo planejado ao longo do tempo?  Acho que como filho mais velho foi natural começar a trabalhar com os negócios da família. Isso foi aos 13 anos de idade. A partir daí nada foi planejado, as oportunidades foram aparecendo, algumas deixei passar e outras agarrei.

Dentre essas três realizações profissionais, onde você se sente mais confortável e realizado? Como ator sem dúvida alguma.

Em algum momento desse processo de se tornar uma pessoa pública você já se sentiu invadido ou acuado por parte da mídia ou mesmo do público? Em algum momento isso tudo te incomodou? Acredito que no inicio é um pouco complicado. A medida que você passa a entender como funciona esse “processo”, fica administrável. Como tudo na vida, tem o lado bom e o ruim. Hoje lido muito bem com isso. Nada me incomoda muito ou me emociona muito também.

Sua exposição na mídia, por ter se tornado um artista, ajudou ou atrapalhou sua vida de empresário? Em alguns poucos casos foi negativo, mas na maioria deles positivo.

 

Conta como foi o convite pra participar da série Barrados no Baile, sucesso estrondoso, nos anos 90? Eu havia saído de casa contra vontade dos meus pais e já estava quase um ano longe em NY e sem falar com meu pai. Resolvi dar um basta na carreira de modelo (que já havia me dado tudo que eu queria na época) e retornar ao Brasil. Liguei para minha família, fizemos as pazes e disse que retornaria para casa e aos negócios em uma semana. No dia seguinte recebi esse convite, conheci a produtora que queria que eu me mudasse para Los Angeles e estudasse durante os 7 meses, me arrumaram coach mas eu não fui. Não conhecia a profissão, e nem imaginava que seria esse sucesso, então voltei.Dublar o filme “Valente” da Disney é a realização de um sonho antigo, né? De onde vem essa vontade de dublar? Nossa, amo tudo da Disney!! Especialmente depois que a Sasha nasceu. Creio que vi todos os desenhos e filmes por várias vezes e em cada um me emocionei. Então quando veio o convite fiquei em êxtase. “Valente” é fantástico, tenho certeza que todos vão amar.

 

Você já interpretou Pilatos em 2002 na Paixão de Cristo em Nova Jerusalém, e recentemente participou do curta metragem religioso “A Palavra de Elias”, ambos em Pernambuco. Como foram essas experiências? Você é um cara religioso? Não só Pilatos como também Jesus por 3 vezes e isso só em Pernambuco. Mas respondendo sua pergunta não sou religioso, acredito muito em Deus. E quanto às experiências foram fantásticas, porém bem diferentes. Paixão de Cristo é um espetáculo teatral muito emocionante e quanto ao curta “A Palavra de Elias” faço um corrupto sem cunho religioso.Você mantém algum ritual judeu no seu dia-a-dia? Ponho talit e tefilin quase todos os dias. É uma espécie de meditação e agradecimento para mim.

É difícil ser pai de uma adolescente, famosa e muito visada? Como é seu relacionamento com Sasha? Ela e uma menina maravilhosa, extremamente doce e com uma cabeça fantástica. Conversamos muito e sobre tudo. Temos uma relação excelente e nos vemos quase que diariamente. Me considero um homem de muita sorte nesse aspecto.

Você vem de uma família muito tradicional. Que valores você conserva e tenta passar para sua filha? A conversa e o respeito sem dúvida. Isso é fundamental para ambos os lados. Porque além de eu ensinar muito a ela fiquei surpreso o quanto ela me ensinou também.

Até pouco tempo você namorava uma modelo bem mais nova que você, Xuxa, com quem você se relacionou já é mais velha. Quando a diferença de idade pode atrapalhar uma relação? Ate então jamais havia tido uma relação com tamanha diferença de idade. Quase sempre me relacionei com mulheres mais velhas, mas a Julia era muito madura. Bem eu acho que quanto mais o tempo passa mais a diferença será sentida.

 

Hoje as mulheres estão mais atiradas, às vezes até cometendo atitudes que criticavam nos homens. Isso te assusta de alguma forma? Está difícil ter um relacionamento mais sério hoje em dia? No seu caso a fama ajuda ou atrapalha? Realmente as mulheres estão mais atiradas mesmo. Acredito que isso veio junto com a independência. Mas não tenho medo ou incômodo disso não. Quanto a ter relacionamento sério isso acontece quando você encontra alguém que bate com você, que realmente balança. Com ao tempo e a experiência confesso que acho mais difícil acontecer.

Que importância o jiu-jítsu tem na sua vida? Considera que o esporte pode mudar a pessoa? Tudo. Comecei a lutar judô com 5 anos e jiu com 10. Tive a sorte de ter um primeiro mestre que praticamente virou um segundo pai, Mestre Otavio de Almeida e depois seu filho também que chamo carinhosamente de Otavinho. Somos família até hoje e com certeza junto com meu pai moldaram meu caráter. É claro que o esporte muda a vida de uma pessoa. Os que não fazem não sabem como teriam a vida modificada para melhor. Deveria ser lei (risos)!Além de praticar esporte, o que você faz para manter uma boa aparência? É vaidoso?  Acho que apenas esporte mesmo. Procuro estar sempre barbeado e gosto de perfume, mas nada em excesso.

Quais suas programações preferidas para os dias de folga?  Ficar com minha filha.

Você representa a imagem de um cara que chegou lá, um cara bem sucedido. O que ainda falta? O que você almeja? O que considero mais importante na vida e continuar a ter sonhos, gols. Quando você perde isso morre. Eu quero estar no teatro até o fim da minha vida. Enquanto puder andar, falar e a mente estiver lúcida estarei trabalhando!!!

 

Coordenação de Produção: Márcia Dornelles – MD Produções

www.mdproducoes.com

Edição de moda: Marco Antonio Ferraz
Fotos: Alex Santana
Styling: Paulo Zelenka
Beauty: Alice Brown
LOOKS:
Look1: Camisa Toulon e calça Luidgi Specciale
Look2: Blazer Essencial, camisa Aviator, calça AD, sapato e cinto Swans
Look3: Tricot e Calça Toulon

 

Acompanhe a MENSCH no Twitter: @RevMensch, curta nossa página no Face: RevMensch e baixe no iPad, é grátis: http://goo.gl/Ta1Qb