Atriz e altamente influente nas redes sociais, Duda Reis está de volta à MENSCH em um novo ensaio, ainda mais bela e sexy. Entre a vida digital e a real Duda tem sido mestra em manter o equilíbrio desses dois lados da sua vida. Que muitas vezes vê sua intimidade se misturando com sua carreira, críticas às suas escolhas pessoais ganham mais destaque do que o que realmente interessa. Segura de si, Duda segue trilhando seu caminho e construindo sua história. E nós ficamos aqui só contemplando nossa bela estrela.

Duda, o quanto a sua vida real influencia a vida digital e vice versa? Totalmente. Eu sou uma pessoa extremamente transparente, então sou exatamente o que mostro na vida digital, se não tô bem, meus seguidores reparam na hora e o que acontece no virtual. Por vezes abala meu psicológico, é inevitável.

Qual o limite do que é público e do que é privado para você? Já te incomodou algo? Muita coisa já me incomodou e acredito que incomodam qualquer pessoa pública, ocorrem situações completamente invasivas e que soam como gatilho inclusive para diversas coisas, as vezes, o limite entre o público e o privado se perde, confesso que já tô até me acostumando (risos).

Aos 18 anos e com mais de 3 milhões de seguidores no insta. Isso tudo te pegou de surpresa? Te assusta em algum momento? Não sei se “assustar” é a palavra, mas entendo a responsabilidade que tenho em cima disso, meus conteúdos acabam influenciado muita gente e busco sempre passar o melhor para quem me acompanha. 

Polêmicas à parte, seu namoro com Nego do Borel segue firme e forte. Que lição você tira disso tudo? Meu noivado, né? Estamos noivos e felizes, nos completamos muito.

O que você precisa ter para se sentir completa em um relacionamento? Preciso me sentir amada e cuidada, e é assim que me sinto.

E o que não dá para suportar num relacionamento? Desrespeito.

Os conflitos familiares por conta do seu relacionamento fortaleceram mais seus laços com seus pais e com Nego do Borel? Como conciliar os dois lados? Meus pais são minha referência de vida, meu alicerce. Maycon é meu noivo e meu amor. É fácil conciliar dois grandes amores justamente quando se tem amor.

Em entrevistas você já declarou que sempre quis constituir família. Que valor isso tem para você? Sempre tive o sonho de constituir uma família, porque pra mim e para o que eu acredito na vida, são valores importantes e de berço.

Você parece ser de bem com a vida, alto astral e leve. É isso mesmo? Como cultiva isso? Sou total!! Sou super pra cima e otimista. Devo isso a Deus que me completa todos os dias.

E esse jeito de menina sapeca, vem de onde? (risos) Desde a infância (risos). Sempre fui uma menina sapeca, molecona, brincalhona.

Já te falaram que você lembra muito Dakota Johnson (de “50 Tons de Cinza)? Concorda? Confesso que em algumas fotos vejo bastante semelhança sim.

Acha válido para um casal aquelas brincadeiras eróticas para apimentar o relacionamento? Claro. Entre quatro paredes, tudo é válido.

Além desse olhão azul e esse jeito leve, que “armas” usa na hora de seduzir? Não sei se tenho uma “arma” de sedução, eu aposto total no meu jeito de ser e acredito que se eu tiver que conquistar algo, será através disso.

Quando estava solteira era de correr atrás na hora da paquera ou ficava na sua esperando o carinha demonstrar interesse? Eu na real, solteira sempre fui na minha e nunca corri atrás de ninguém não, eu gostava da paquera.

Uma noite romântica perfeita tem que ter o que? Gosto que estimulem a minha mente.

Na hora de dormir um(a) bom/boa… Conchinha (risos).

Para relaxar prefere… Praia.

Para conquistar Duda… Precisa de muita sinceridade.

Qual seu pecado favorito? Gulaaaaaa (risos).

Quais os planos para esse resto de ano? Tá bem complicado de prever qualquer coisa, mas tô focada em estudar e trabalhar.

Fotos Cadu Andrade

Stylist Paulo Zelenka