Mesmo as lendas mais consagradas têm uma história de origem. O moderno relógio Panerai como é reconhecido hoje começou, na verdade, em 1936 com o Radiomir: um instrumento concebido para apoiar missões marítimas e nomeado com o material patenteado por Guido Panerai. Suas características marcantes são a grande caixa de aço em forma de almofada, números e índices luminescentes no mostrador, as alças soldadas, que passaram praticamente inalterados de uma geração à outra desde a última coleção Radiomir, como um testemunho da grandeza do modelo original.

Em um golpe do destino, um iate que se tornaria uma parte da história da Panerai foi também criado em 1936. Eilean, projetado pelo proeminente construtor de barcos William Fife III, do estaleiro Fife da Escócia, navegou pelos mares da Europa e do Caribe por décadas antes de cair em degradação no início do século 21. Panerai adquiriu o iate em 2006 para restaurá-lo e, assim, retornar totalmente ao seu esplendor.

O presente lançamento – Radiomir Eilean – combina as características marcantes da histórica coleção Radiomir e a linha estética do próprio veleiro clássico. Sua caixa de 45mm, com proporções e características que perduram desde o tempo do primeiro Radiomir, é composta de aço com um acabamento fosco patinado para refletir a luz com um brilho mais suave e quente do que o metal quando polido.

Dentro da caixa, ponteiros dourados de estilo vintage marcam o tempo através do patenteado mostrador sanduíche, onde numerais e índices em SuperLumiNovaTM no tom bege abrigam a luminescência verde, características que permanecem fiéis à aparência dos primeiros modelos.

Detalhes que revelam a herança náutica especial do Radiomir Eilean são idências de todos os diferenciais. A superfície do mostrador apresenta estrias e um tipo único de acabamento marrom que evoca o convés de teca do veleiro, enquanto no verso da caixa e na pulseira uma inscrição diz “Eilean 1936”, o mesmo que está localizado na lança do barco. Da mesma forma, o emblema do dragão que decora o casco foi reproduzido e gravado do lado esquerdo da caixa do relógio.

Feita de couro produzido na Toscana, a região italiana onde Panerai nasceu, a pulseira do modelo apresenta costura meticulosamente inspirada nos laços encontrados nas velas do Eilean Somente possível se feita à mão, a técnica produz uma pulseira que vai resistir ao rigores de condições difíceis, mantendo sua integridade e beleza.

A totalidade de elementos celebra a nobreza de materiais e técnicas que só melhoram com a passagem do tempo e do acúmulo da história. Fiel à herança do Radiomir por dentro e por fora, o Radiomir Eilean apresenta um movimento de corda manual, como seus antepassados, e sua caixa resistente à água até 10 bar (cerca de 100 metros), enquanto seu calibre tem uma reserva de marcha de três dias e foi projetado e desenvolvido na manufatura Panerai em Neuchatel, Suíça.

Disponível em apenas 449 peças por ano, o que lembra o número da vela do Eilean, o Radiomir Eilean estreia em julho de 2021 para coincidir com a chegada de seu iate homônimo em Portofino como parte de uma celebração da Italianità, um conceito que descreve a mais alta expressão da cultura, estilo e identidade italianas. O Radiomir Eilean é uma representação brilhante, portanto, da Italianità no universo da alta relojoaria.