Cada vez mais a preocupação por espaços urbanos que aproximem a população da cidade onde mora tem se tornado uma preocupação maior nas grandes cidades pelo mundo. Um conjunto de ações que tragam transformação nas cidades com preocupação com o meio-ambiente e o desenvolvimento sustentável devem ser levados em consideração em grandes inovações urbanas. E por que não fazer isso de uma forma moderna e colorida? Um belo exemplo disso é essa ponte em Xangai. Batizada de High Loop, é uma proposta para a renovação da ponte de pedestres Puji Road, uma icônica ponte sobre o riacho Suzhou que liga os distritos de Zhabei e Jing’an. O riacho Suzhou é conhecido por ser um museu de pontes devido à grande quantidade dessas estruturas que cruzam o riacho. Esta em particular foi construído pela primeira vez sobre o riacho Suzhou em 1997, apenas para pedestres.

Em 2009, para a Expo Mundial de Xangai, a ponte foi renovada para permitir o acesso de pequenos veículos, como bicicletas e scooters, além dos pedestres, melhorando a conectividade entre os distritos de Jing’an e Zhabei. A ponte se estende por um quilômetro de comprimento como uma plataforma elevada que oferece vistas urbanas únicas de uma das áreas mais representativas de Xangai.

No entanto, atualmente é subestimada quando comparada com outras pontes que cruzam o Creek, escondendo sua singularidade e incrível potencial para se tornar um marco urbano em Xangai. A proposta do escritório 100architects, com sede na própria Xangai, visa transformar a ponte em um parque elevado e movimentado que cruza a cidade, oferecendo uma viagem urbana única por uma das áreas mais densas de Xangai. O asfalto cinza dá lugar a cores fortes e brilhantes, transformando a ponte em um marco urbano elevado e atraente.

MAIS COR POR FAVOR

A estratégia de design do High Loop organiza as diferentes circulações por cores, criando uma hierarquia de diferentes ritmos e ritmos em que a ponte pode ser transitada. Enquanto uma faixa reta na cor verde limão define a pista rápida para bicicletas e motocicletas, em outra área um caminho sinuoso em magenta vivo foi propositalmente introduzido para desacelerar a circulação de pedestres. Um circuito contrastante que incentiva os pedestres a irem devagar, desfrutando da viagem e das vistas privilegiadas da paisagem urbana de Xangai e do riacho Suzhou.

Como cor de fundo, um suave azul ciano define os espaços para parar e ficar, espaços para socializar, encontrar e se reunir. De decks de visualização a praças de piquenique, áreas de estar ou mini anfiteatros, é nesses bolsos azul ciano que todo o mobiliário urbano amarelo contrastante e funções sociais estão localizados, permitindo que o laço se enrole em torno deles, incentivando o aparecimento desses “bolsos”. Além disso, são introduzidos novas áreas de vegetação, quer como elementos decorativos, quer como separadores funcionais da via motorizada e do caminho para pedestres.

Além dessas funções, alguns dos patches azuis ciano foram propositalmente deixados vazios para deixar espaços flexíveis para continuar permitindo a ocorrência de mercados noturnos informais pop-up e vendedores comumente vistos na versão atual da ponte. O projeto não altera a estrutura atual, mas a transforma, apenas adicionando uma paisagem pintada de cores e objetos urbanos funcionais no topo, melhorando o sistema de circulação e adicionando um bolso funcional.

Uma boa ideia para se colocar em prática aqui no Brasil em cidades com muitos rios e pontes, como Recife, Rio de Janeiro e Florianópolis, por exemplo. Fica aí nossa dica para os governantes preocupados em criar espaços que atraiam a população para áreas urbanas, integrando as grandes cidades numa proposta mais atual e moderna de arquitetura.

Veja vídeo do projeto:

Fonte: https://100architects.com/