O desejo de usar o que realmente identifica você e traz a sua personalidade nem sempre é uma missão fácil de ser cumprida. O estar bem vestido despertou no estilista e empresário Marko Izak desde criança, aos 11 anos. Das viagens internacionais até o trabalho no mercado financeiro, tudo serviu para formar o Marko Izak que conhecemos hoje em dia. Dono de uma marca com seu próprio nome, Marko tem trazido acima de tudo personalidade, elegância e um tom vanguarda com seus cortes e caimentos perfeitos para o homem contemporâneo. A MENSCH foi até o atelier de Marko no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, para bater um papo e conhecer um pouco mais das criações Marko Izak.

Marko como a moda surgiu na sua vida? Alguma influência? Melhor que moda, eu diria o interesse por estilo. Entendo que muitas pessoas possam estar na moda mas não estarem bem vestidas. Eu comecei a me interessar por estar sempre bem vestido logo cedo, quando tinha 11 anos. Meu pai sempre buscava estar bem vestido em todas as ocasiões e isso começou a despertar um interesse em mim pelo assunto.

Lembro que aos 13 anos fiz uma viagem a Paris e fiquei maravilhado como as pessoas se vestiam. O corte, o caimento, os tecidos. Era a época que as calças estavam ficando mais slim-skinny e eu gostava de como esse corte fazia tudo parecer mais harmônico. Nesse momento surgiu minha obsessão por caimento. Acho que 99% de estar bem vestido é o caimento. Uma roupa simples com bom caimento é melhor do que qualquer roupa que tenta ser muito disruptiva.

Depois desse episódio sempre estive em contato com a moda, estudava e pesquisava muito sobre o assunto. Levava todas as minhas roupas em costureiras para ajustá-las. Por isso que sempre que me perguntavam onde comprei tal roupa respondia “na loja X, mas modifiquei tanto ela que já é uma peça nova”.

E como foi essa transição do mercado financeiro para o de moda masculina? A transição foi melhor do que eu imaginava. Minha opinião é de que a minha carreira me ajudou a chegar a esse momento. Sou formado em Administração de Empresas com especialização em Finanças pela Faculdade IDC de Herzlyiah, em Israel. Iniciei a carreira no mercado financeiro e logo migrei para o mercado imobiliário. Com o tempo me tornei head de expansão de grandes empresas e por esse motivo aprendi com ótimos mestres a ter uma visão macro dos negócios. Quando você trabalha com expansão é importante que você tenha um envolvimento com as demais áreas da empresa – qual produto você acha melhor para certa localização? Qual preço de venda? Qual o retorno esperado dos investidores? Qual estratégia de marketing atingiria esse investidor? Como o comprador faz a conta (considerando o financiamento necessário) na hora de comprar um imóvel? Se eu fosse dar uma dica em relação a isso é trabalhar em empresas menores, você estará mais envolvido com as pessoas chave de cada área e aprenderá muito em um curto espaço de tempo.


Essa bagagem foi muito importante para mim na hora de empreender. O estilo é algo que eu estudava paralelamente a tudo isso. No mercado de moda é importante encontrar um equilíbrio entre gestão e estilo. As redes sociais me possibilitaram uma maior visibilidade na hora de falar sobre moda e estilo. Principalmente no cenário da pandemia onde estávamos muito mais conectados. Até vivenciei um case legal onde um vídeo que postei no Tik Tok falando sobre um perfume viralizou e o estoque nacional do mesmo acabou. Pensei “por que não fazer isso para um produto que fosse meu?”. 

Como surgiu o conceito da marca Marko Izak? Essa é uma pergunta que tem várias respostas. O propósito da Marko Izak é fazer as pessoas se sentirem bem. Acreditamos que quando a pessoa está bem-vestida ela se sente tão bem e feliz que isso emana uma energia que pode ser percebida por todos em volta. Existem diversos estudos e livros sobre o assunto. Cientistas afirmam que a roupa escolhida pode alterar o comportamento de um indivíduo – o humor, saúde, confiança, a autoestima. Realizamos continuamente estudos e pesquisas sobre modelagens e tecidos e utilizamos inteligência artificial para conseguirmos alcançar o caimento que almejamos para nossas roupas. Um dos principais diferenciais das nossas roupas é o caimento. Para nós, a roupa tem que “abraçar” quem a veste. Nós não vendemos roupas, vendemos estilo.

E que procura trazer no DNA dela? Sobre conceito, buscamos trazer uma moda que combina mais com o cenário urbano de SPCity. Quase sempre exportamos apenas o Rio de Janeiro como o que é o Brasil, mas o nosso país é cheio de cidades e estilos incríveis. O que me chamava a atenção era ver alguém andando na Avenida Brigadeiro Faria Lima com uma camiseta escrito “Arpoador”. Essa pessoa estava completamente deslocada. Vejo SPCity com uma identidade muito mais parecida a Nova Iorque, Londres, Paris, Tóquio. Queremos incentivar cada vez mais marcas a usarem São Paulo como referência em suas criações de moda. Uma das maiores cidades do mundo tem muito a oferecer em todas as áreas. Nossa marca está mais focada em estilo do que moda. Não vamos atrás de tendências, e se formos, vamos adaptá-las à nossa identidade.

Que referências a Marko Izak traz? A Marko Izak quer sugerir uma visão diferente de estilo dentro de uma grande cidade. Para nós SPCity é uma cidade que nunca dorme. Prédios altos, temperaturas mais baixas, cenários mais acinzentados, movimento. A roupa segue esse “flow”. Como gosto de falar, nós não vendemos roupas, vendemos estilo. Estamos sempre pensando nos diferentes estilos que enxergamos em SPCity.

E qual o público-alvo? Qual perfil do homem Marko Izak? Nosso público-alvo são homens de 25 a 50 anos. Hoje podemos falar que é possível trabalhar essa faixa “grande”. Estamos envelhecendo mais devagar e tomando decisões de longo prazo mais tarde em nossas vidas. Além disso, todos buscam estarem mais bem vestidos e como trabalhamos principalmente estilo e caimento, conseguimos atender todo o público que definimos como alvo. O homem da Marko Izak está sempre em movimento, semana de trabalho intensa acompanhada de happy hours e jantares com muito estilo. Final de semana só termina segunda feira quando chega ao trabalho para mais uma semana.

Soubemos que no showroom da marca vocês também oferecem uma consultoria de estilo para construir a imagem do homem. Como funciona essa consultoria? O que é levado em conta? A consultoria de estilo leva em consideração muitos fatores. Converso com os clientes sobre formato de corpo e rosto, estilo de vida, profissão e entender também o que ele está buscando. Quando criamos uma coleção pensamos em todos os momentos do homem e como atender ele em cada um deles. Nosso mix de produtos permite reconstruir o guarda-roupas dos nossos clientes. O objetivo é criar uma imagem e não estilo. Imagem é estratégia. Estilo é um dos atributos dessa imagem. O resultado tem sido incrível. Os clientes contam ainda com minha ajuda fora do showroom para criação dos seus looks para as diversas situações do dia a dia. Não só com roupas que tenham adquirido aqui.

Percebemos que você tem um cuidado que vai desde a estampa até o cheirinho próprio criado para a marca. Existe um Marko estilista e um Marko consumidor nisso tudo? Com certeza. Eu só consigo vender o que eu consumiria. O homem ainda é um consumidor por necessidade e não por hábito (diferente das mulheres). Por ser viciado em moda e estilo, sou um consumidor por hábito. Mais importante do que vender roupas, queremos vender experiências (vou tentar fugir do clichê de mercado). O cliente precisa se identificar com a marca, criar fortes laços e conexões. Eu sou apaixonado pelo que faço e tento trazer esse sentimento em todas as criações da marca, desde a estampa até o cheirinho quando o cliente abre nossa embalagem. E o mais importante de tudo: escute o mercado. Não tente ser um mega inventor revolucionário por reconhecimento. Converse com o seu cliente e assim você será mais assertivo na criação das suas peças.

Como você enxerga o mercado de moda masculina hoje onde os homens estão cada vez mais vaidosos e antenados? O que mudou de um tempo pra cá? As mulheres mudaram o mercado de moda masculina. A independência feminina teve um impacto muito forte no homem. As mulheres hoje ocupam cargos altíssimos em empresas, podem ter e criar filhos sozinhas… Isso elevou demais a barra na hora de escolher um homem para estar ao seu lado. Elas investem muito em si mesmas e querem um homem que seja assim. O homem está se reencontrando na sociedade e entendendo os novos papéis. E ao entender esse cenário torna-se muito mais vaidoso e antenado. Parece que o jogo virou. Nesse meio tempo investe em si mesmo e um dos braços desse investimento é o da aparência.

E você como consumidor, qual seu estilo e o que faz sua cabeça? Como sempre digo, busco caimento e estilo. Não sou muito de cores. A vestimenta precisa ser simples e os calçados e acessórios impecáveis. Quando você quer criar identidade, você precisa montar uma base simples no guarda roupa e buscar algumas peças que sejam diferenciadas e falem muito de você. No Brasil temos um pequeno viés na hora de se vestir que é de colocar muitas coisas diferentes e chamativas para parecer estiloso. O que é um grande erro. Se olharmos para o homem europeu, norte americano, vamos notar que a elegância é sutil.

Soubemos que as coleções serão lançadas em cápsulas de acordo com a estação do ano. Como tem sido esse planejamento casado com a criação das peças? Trabalhamos com coleção de inverno, verão e alto verão. E os lançamentos são feitos em cápsulas. Assim, quase todos os meses temos novidades para os nossos clientes. Porém não no modelo de fast fashion pois não desenvolvemos um número muito grande de peças.

O e-commerce da marca traz as mesmas peças do showroom ou existe uma diferença? São as mesmas peças. O que fazemos de diferente é uma pré-venda dos novos produtos para as pessoas que vem ao showroom. Aqui elas podem provar a roupa e já garanti-las para receberem assim que ficarem prontas. O principal diferencial do showroom é a consultoria de estilo.

Onde busca inspiração para criar as peças? Por sinal, toda a coleção é criada por você? A inspiração está arquivada por anos de paixão por moda. Durante os últimos 15 anos fui colecionando peças, fotos e detalhes de roupas que me agradavam e o que eu mudaria nelas, além de desenhos autorais. Não estamos buscando criar a roda, mas sim trazer estilos que sempre caiam bem, atemporais e que faça as pessoas se sentirem mais felizes.

O que é estilo para você? Estilo não é o que vestimos, mas quem somos. Estamos sempre nos comunicando. Quem tem estilo próprio está sempre na moda.

O que podemos esperar para a próxima coleção? A nossa próxima coleção é a de verão. O desafio é trazer uma visão mais urbana do verão. O que podemos esperar é uma visão da nossa identidade para essa época do ano.