O que faz um homem? Não há uma resposta única; pelo contrário, existem muitas. O mundo em que vivemos é fluido e está sempre mudando. O mesmo acontece com o conceito de masculinidade. A noção de masculinidade como algo de aço, é inequívoco, um conceito sério e estático, que não funciona mais – se é que alguma vez funcionou.

Masculinidade é um estado de espírito, não um conjunto de regras. Os homens estão aceitando suas fraquezas e forças internas e estão dispostos a correr riscos para abraçar sua própria visão do que é masculinidade, mesmo que isso signifique ir contra as noções tradicionais de masculinidade. Hoje, os homens sabem que a fragilidade e o fracasso podem torná-los melhores, porque são os movimentos da mente e o envolvimento da alma. Os homens aprenderam que abraçar o amor como uma força positiva é uma decisão vencedora, que explorar a imaginação é uma viagem enriquecedora de autodescoberta, que sonhos e brincadeiras podem ser as qualidades dos adultos.

Masculinidade é um estado de espírito. Um que assume significados diferentes e inclui muitas qualidades, tanto esperadas quanto não: cortesia, paciência, vulnerabilidade, sabedoria, excentricidade. O que faz um homem é a dignidade e a abertura para aceitar e abraçar as contradições da vida, evoluir dia a dia, ser sincero consigo mesmo, mudar infinitamente a perspectiva e as atitudes de alguém.

Fornecedora de roupas atemporalmente modernas para gerações de homens nos últimos cento e dez anos, Zegna sempre adotou uma mentalidade em constante evolução. Agora, a marca procura incentivar uma conversa aberta sobre o que faz um homem hoje. Não temos respostas para essa pergunta nem declarações ousadas a fazer; pelo contrário, procuramos fazer perguntas e promover um diálogo.

O desejo de Zegna de facilitar essa conversa é o principal objetivo por trás da nova campanha da marca. A proposta é que a campanha seja uma plataforma para discussão – e talvez alguma provocação. Reconhecendo que é preciso coragem para expressar um novo tipo de masculinidade – uma masculinidade que talvez seja diferente das versões idealizadas de masculinidade que existem há tanto tempo. Com um profundo respeito por essa coragem, a Zegna, uma marca enraizada na alfaiataria e no artesanato, também está adotando uma ideia de masculinidade fluida, sensível e inequívoca.

Acreditando que a coragem é hoje uma parte essencial da masculinidade. A coragem de quebrar convenções, mas também a coragem de abraçar riscos, aceitando que o fracasso pode ser o resultado.

MAHERSHALA ALI E NICHOLAS TSE SÃO OS ROSTOS DESSA CAMPANHA

O bicampeão Mahershala Ali é um ator versátil que retratou e incorporou muitos tons de masculinidade. Ele é um ajuste natural para representar a ideia do que um homem é hoje. Ele traz uma gravidade pessoal e uma leveza de espírito, uma riqueza interior e inteligência.

O talentoso e multifacetado artista Nicholas Tse estava destinado a se tornar uma estrela desde o dia em que nasceu. Sua personalidade única e paixão pelas artes, juntamente com sua determinação em desafiar estereótipos, fazem dele a voz perfeita para explorar o significado da masculinidade moderna.

Retratos significativos e sobressalentes são justapostos com páginas brancas, rabiscadas com notas manuscritas que transmitem uma sensação de questionamento constante. Perguntas, não respostas, são esclarecedoras, afinal. A campanha afirma amor, fracasso, luta, risco, sonho, diversão, movimento e liberdade como qualidades que hoje fazem um homem – mas sempre podem ser adicionadas mais características, pois os homens hoje são complexos e estão em constante evolução. O objetivo final é abrir uma porta, deixando que as ideias se desdobrem e dando boas-vindas à forma que elas terão.

A abertura faz um homem. Uma vontade de aceitar a mudança como a força que molda a vida. A mensagem final, afinal, é de aceitação e, eventualmente, de auto-aceitação. De bondade como uma forma suprema de força.