Já foi a época em que Miss precisava só ser bonita, ter as medidas certas e querer a paz mundial. O concurso e as misses tiveram que evoluir e encarar a faixa de a mais bela com outra postura. É o caso de Júlia Horta, Miss Brasil 2019/2020, que muito além da coroa que certifica o título de uma das mulheres mais belas do país, é formada em jornalismo com MBA em influência digital, palestrante e altamente engajada no mundo digital. “É uma grande responsabilidade levar o nome do nosso país no peito, a estética pode até abrir portas, mas se não tiver algo a mais, todas elas se fecham”, comenta Júlia durante nossa entrevista que traz um ensaio exclusivo clicado via face time. Porém Júlia merecia outro título, o de Miss Simpatia (Sandra Bullock que nos desculpe). Simpatia essa que você vão conferir ao longo desse papo. Em breve a bela passará sua faixa para a sucessora e seguirá com novos desafios. Quer saber quais? Leia a entrevista que está ótima.

Júlia, cada vez mais comunicar é vida? Especialmente nessa época de isolamento social? SIM! Eu sou suspeita, afinal de contas sou comunicadora por paixão e profissão, mas pra mim não tem nada mais engrandecedor do que a comunicação. A gente pode aprender com o outro, a gente pode ensinar, a gente pode defender pontos de vista, podemos ampliar a visibilidade de causas e acontecimentos, podemos inspirar, entreter, motivar… são tantas coisas! Nesse período de isolamento social acredito que é ainda mais importante, porque é tempo de comunicar para repensar tantas coisas, comunicar para colocar sentimentos para fora, para nos conectar.

Formada em jornalismo com MBA em influência digital e palestrante na TEDx Speaker. Resumindo, hoje em dia não basta ser bonita, querer a paz mundial e ler “O Pequeno Príncipe” para ser Miss Brasil não é? É preciso ter conteúdo. O que te levou a isso? Sem dúvida. Os concursos de beleza precisaram evoluir junto com a sociedade senão deixariam de existir. A mulher hoje assume inúmeros papéis na nossa sociedade. E uma representante feminina em uma plataforma de tanta visibilidade não poderia ser diferente né? Resolvi participar do Mundo Miss justamente por isso, por enxergar como uma oportunidade de ampliar o alcance do meu trabalho e de impactar a vida de cada vez mais pessoas de forma positiva. É uma grande responsabilidade levar o nome do nosso país no peito, a estética pode até abrir portas, mas se não tiver algo a mais, todas elas se fecham.

Em breve, agora em agosto, você estará passando a faixa de Miss Brasil para a nova Miss. Que análise faz dessa sua experiência? O que te surpreendeu e o que não curtiu tanto nisso tudo? Não teve nada que eu não curti. É claro que as críticas incomodam, mas acredito que faz parte da exposição. Foi uma experiência de muito aprendizado, com muito crescimento pessoal e profissional e que marcou a minha vida.

Já foi muito julgada pela aparência? E já surpreendeu muita gente com seu currículo? Muito! Quando criança por ser muito magra e alta. Não me achavam bonita. Agora que cresci e me tornei Miss, muita gente cria um estereótipo de que sou só um rosto bonito e nada mais. Muita gente se surpreende, o que reforça esse julgamento de que uma mulher bonita não pode ser inteligente e gostar de estudar. Infelizmente.

Falando no TEDx Speaker, como foi a experiência? O que aprendeu e o que procurou passar para o público? Foi uma experiência maravilhosa. Assisto TED talks há muito tempo, penso que as palestras são sempre transformadoras e me trazem excelentes reflexões. Me senti honrada de poder subir naquele palco. Busquei passar um pouco da minha experiência com o autoconhecimento, porque transformou a minha vida e também ressaltar a importância de causas que defendo, o feminismo e a sororidade. Minha intenção era poder gerar algum impacto positivo nas pessoas que assistiram, plantar uma sementinha, sabe?

Como influenciadora digital e produtora de conteúdo o que sente que é responsabilidade sua? Como separar o que é glamour e informação consistente nesse universo de influencer? Minha maior responsabilidade é lembrar o quanto posso influenciar pessoas e sempre buscar fazer isso de forma positiva, transparente e sincera. Na minha opinião, a gente tem que começar a perceber quem são as pessoas que agregam algo de bom para as nossas vidas quando a gente as assiste. Tem gente que ao invés de motivar, estimular ou acrescentar, só traz sentimentos negativos de comparação, de insegurança ou até uma má influência.

Essa pandemia / quarentena fez muita gente ficar atento a postura de influencers e youtubers. Fez o grande público observar quem faz um trabalho com responsabilidade e quem quer apenas aparecer e gerar negócios? Acredito que sim. Por conta da grande influência dessas pessoas, espera-se que também sejam responsáveis, que sejam um bom exemplo. Aquelas pessoas que não demonstram sensibilidade por um momento que é tão delicado acabam se mostrando, na minha opinião na maioria dos casos, superficiais.

O público das redes sociais está percebendo que só look do dia e belas fotos de viagens não seguram mais a onda. É preciso algo à mais, ter um conteúdo relevante e se mostrar real com sua vida e o mundo. Como você vê isso e como procura dosar tudo? Eu acho isso ótimo, afinal de contas, hoje tem muita gente produzindo conteúdo para as redes sociais. Então, é preciso ser autêntico e transparente e produzir algo de qualidade. Afinal de contas, se é desejo de um influenciador que o seu conteúdo seja o seu trabalho, tem que ter dedicação e profissionalismo na hora de criá-lo. Ser criadora de conteúdo tá muuuito além dos recebidos.

Esse período de isolamento social tem te trazido que desafios? Como tem lidado com isso? Acredito que pra todo mundo, né? Me reconectando com o meu propósito, com o objetivo do meu trabalho e pensando em novas formas de continuar fazendo o melhor pela minha audiência. Fiz vários cursos para evoluir e tenho me dedicado pra novas redes. Tem sido desafiador, estou aprendendo muito e olhando para o meu trabalho por ângulos que antes não olhava.

Falando nisso, como foi posar para essas fotos via facetime? Acha que é algo que vai permanecer além desse período de isolamento social? Foi bem bacana! No começo estava meio insegura, não sabia se ia dar certo, mas me surpreendi demais tanto com o resultado, quanto com o momento dos clicks. Foi bem divertido, leve e achei que as fotos ficaram lindas. Acredito que é uma opção extra, algo que pode ser usado em situações específicas pós isolamento.

Um dos desafios do isolamento social é manter o corpo em dia. Ainda mais para você que tem que manter a linha. Como fazer isso e fugir das tentações e preguiça de treinar em casa? Eu não tenho me preocupado com corpo não, de verdade. Meu foco é cuidar da minha saúde, tanto física quanto mental. Me exercito cinco vezes por semana porque eu amo e me faz muito bem e como de tudooo! Sem nenhum tipo de neura.

Você foi eleita Miss Brasil, muito por sua beleza. E você, gosta do que vê? Como lida com o espelho? Sim, me acho linda! Mas, confesso que o amor que eu tenho por mim, a minha segurança, vem de outras coisas e não da estética.

Em matéria de vaidade do que não abre mão? Qual seu limite? Não sou muito vaidosa, confesso! Não abro mão de sentir que estou cuidando de mim, mas nada além disso.

Atualmente está solteira? O que um cara precisa ter ou ser para ganhar seu coração? Solteira no estado civil (risos), mas namoro há 7 anos. Ele ganhou meu coração por ser parceiro, amigo, divertido, paciente e tranquilo.

Em tempos “normais”, o que faz sua cabeça na hora de relaxar? Não entendi,

Quais os planos para depois dessa pandemia? Quais os planos futuros? Voltar a fazer minhas palestras pelo Brasil, viajar muuuito, rever todas as pessoas que eu amo e estou morrendo de saudade, comemorar meu aniversário bem atrasado (risos), receber os amigos no meu novo apartamento e abraçar muita gente!

Agradecimento especial: Mateus Corrêa