Que Eva habita o imaginário de todo mundo isso é fato desde quando nos conhecemos por gente. Várias mulheres já representaram essa personagem bíblica na ficção e várias mulheres chegaram a receber esse nome diante de sua beleza natural, uma verdadeira criação divina. E um belo exemplo disso é a nossa estrela de capa Juliana Boller que recentemente interpretou a famosa personagem na novela bíblica “Gênesis”, na Record. Desde quando soubemos que Ju ia fazer a personagem já ficamos de olho até que agora conseguimos trazê-la para nossa capa, e cá pra nós, valeu a espera! Juliana está linda! Aproveitamos para saber como foram os bastidores, a experiência e falar de outros trabalhos. Como o início em “Malhação” e sua personagem que está no ar, a Bianca de “Império”, na Globo. Calma, segura a emoção porque Juliana faz qualquer um morder a maçã.

Começando por seu trabalho, como foi interpretar a clássica Eva? Como surgiu o convite e como foi a preparação? Foi um privilégio, porque é uma personagem conhecida mundialmente, e ao mesmo tempo uma grande responsabilidade. A oportunidade veio através de teste, mas na época, muitas colegas que estavam sendo testadas me disseram que a personagem era a minha cara! Confesso que fiquei bastante esperançosa, e deu certo! Nossa preparação foi muito intensa, com duração de 2 meses. Eu e o Carlo Porto, ator que interpretou Adão, encontrávamos nossa preparadora Fernanda Guimarães todos os dias, incluindo muitos sábados. Estudávamos as cenas num período que ia das 10h até as às 19h, parando apenas para almoçar. Foi fundamental esse período porque pudemos experimentar todas as cenas antes da gravação, o que nos deu uma segurança enorme do que precisaríamos fazer na hora. 

Chegou a ter alguma cena de nudez de fato? O nu era um tabu pra você? Não foi necessário ficarmos nus em nenhum momento, até porque não seria mostrado nenhuma parte íntima do corpo, então não faria diferença se estivéssemos nus ou não… (risos). Acredito que não seria um tabu para mim se tivesse que ficar nua. Talvez fosse desconfortável no início, mas acho que depois me acostumaria.

Fez algum laboratório específico? Que novos desafio te trouxe essa personagem? Fizemos vários laboratórios de vivências similares ao período pré-histórico. Aprendemos desde o debulhar do trigo até a feitura do pão. Aprendemos a fazer forno apenas com barro, lanças com galhos, pedra e cipó, cozinhar o alimento direto no fogo sem queimá-lo, e toda a infinidade de coisas que poderia conter no dia-a-dia. Afinal de contas, seria como se nossa família tivesse inventado tudo, inclusive descoberto o fogo. Foi bastante divertido porque gosto muito dessas curiosidades… brinco que se o mundo acabar agora eu saberei me virar com uma pedra e um galho! (risos). 

Soubemos que a água no “Jardim do Éden” era bem gelada. Como foi lidar com isso? Nossa! Pra mim, essa, foi a pior parte! Sinto muito frio!! Chegamos a pegar 8 graus Celsius, bem frio para uma tarde de novembro! Me lembro bem porque nesse dia teríamos que gravar uma cena de chuva!!! Graças a Deus o nosso diretor teve compaixão e adiou a cena! (risos). Além disso, a produção sempre foi muito cuidadosa conosco! Forneciam tudo o que era possível para nosso conforto – chocolate quente e roupão seco! 

Falando sobre tramas religiosas, você já participou de algumas. Qual o grau de dificuldade entre uma trama religiosa de época e uma trama contemporânea? As tramas religiosas normalmente são mais fantásticas. Existem cenas de acontecimentos grandiosos como a abertura do mar Vermelho, etc. Particularmente, dou muito valor à trama porque posso vivenciar cenas com um grau de dramaticidade que na novela contemporânea seriam muito raras. 

E dentro do universo contemporâneo, atualmente você está na reprise de Império (Globo), interpretando Bianca Bolgari. Tem acompanhado? Que lembranças guarda desse trabalho? Sim! Adoro relembrar Império! Foi uma novela onde fui muito feliz. O elenco era divertidíssimo e a direção maravilhosa. Aliás toda a equipe era incrível! Gosto muito de trabalhar com a equipe do Papinha. 

Assim como muitos atores, sua estreia na TV veio com um trabalho em Malhação. Como foi esse início? O que era uma dificuldade na época que agora você tira de letra? Era uma mistura da juventude à flor da pele e compromisso com a responsabilidade profissional. Foi muito importante participar desse projeto porque, realmente, se aprende muito na prática. Acho que a maior dificuldade era a compreensão dramática das cenas, o que a gente adquire muito com a maturidade. A carga horária também era muito intensa, mas acho que naquela época eu aguentava mais do que hoje em dia… (risos) 

Como foi não filmar durante a pandemia? Como lidou com o isolamento social? Foi um momento difícil pra todo o mundo. Sinceramente me senti uma pessoa privilegiada por estar confortável sem passar por nenhuma privação. Só agradeci por não me faltado nada. Quando vinha qualquer sentimento angustiante, eu pensava que nada me faltava e seguia. Vivi uma grande autodescoberta e amadurecimento. 

Como você enxerga a Eva hoje em dia? Qual papel teria hoje? Acredito que até hoje repetimos esse padrão de feminino e familiar também. Mulheres que se privam para construir um núcleo familiar, e carregam a culpa por qualquer situação que fuja do padrão. Mas acredito que estamos evoluindo para um equilíbrio. 

Qual seu maior pecado? Não resiste a que? Normalmente a comidas gostosas… (risos) meu maior pecado é exagerar. Saber ter equilíbrio, é a minha busca. 

Se fosse expulsa do paraíso iria direto pra onde? Qual seu destino quando pensa em paraíso? Quando penso em paraíso, já imagino uma praia a que costumo ir sempre com meu namorado em Ubatuba! Eu amo a natureza, e pra mim, estar no meio dela, é o paraíso. 

Você é uma bela mulher capaz de fazer qualquer Adão morder a maçã. Como cuida do corpo? O quanto é vaidosa? Sempre tive dificuldade com exercícios físicos. Nunca consegui ter disciplina para manter assiduidade nas minha práticas. Gosto de fazer yoga, correr na praia e minha mais nova paixão é o Cross Fit, estou vi-ci-a-da!!! Acho que agora vai!!! (risos) Não sou muito vaidosa. Quase nada, na verdade. Gosto da beleza natural. 

E na hora de relaxar o que faz sua cabeça? Amo ler!! E ultimamente também assisto muita série. Mas quando tenho uma oportunidade de uma praia vazia, é o meu melhor SPA! 

Algum plano para essa reta final de ano que pode nos contar? Estou muito dedicada a minha saúde! Tentando manter uma regularidade no exercício físico e uma reeducação alimentar, porque na pandemia eu só comi besteira… (risos). E também dedicando um tempo para a minha família que mora longe de mim, enquanto a próxima personagem não chega.

Fotos Priscila Nicheli

Styling Caian Rangel

Beleza Titto Vidal