A maioria das pessoas que procura uma academia ou um profissional da área deseja emagrecer e definir o corpo. Mas junto com esses desejos muitas informações erradas atrapalham o processo e faz com que muitos alunos abandonem os treinos e desistam antes de atingirem os resultados desejados.

O consultor fitness e personal Rodrigo Lourenço explica que perder peso na balança e emagrecer não são a mesma coisa e é importante saber a diferença. Perder peso na balança não necessariamente significa que você está emagrecendo. Você pode ter perdido líquido, massa muscular e não a gordura corporal que é o que realmente importa. O emagrecimento está ligado a nossa composição corporal que vai muito mais além do que o peso que vemos na balança. Nossa composição corporal se resume, basicamente em, massa magra (massa muscular), massa de gordura, massa visceral (órgãos e vísceras), massa óssea e peso líquido. Ou seja, o emagrecimento não tem uma relação direta com perder peso na balança, e sim, na mudança da composição corporal (perder kgs de gordura e ganhar kgs de massa muscular).

Exemplo: Um homem tem 80 kg na balança, se ele perder 1kg de gordura e ganhar 1kg de massa muscular, o peso na balança vai continuar os mesmos 80 kg, porém a composição corporal dele já mudou e ele já emagreceu.

Então o emagrecimento se resume em perder kgs de gordura e ganhar kgs de massa muscular e não em perder peso na balança. E a prática de exercícios físicos aliada à reeducação alimentar é a melhor maneira de emagrecer de forma efetiva.

Rodrigo lista alguns dos erros mais comuns que ouve dos seus novos alunos:

Erro número 1

Achar que o emagrecimento é somente uma conta matemática, onde se gastando mais do que se consome a equação estará resolvida. Mas não é tão simples assim, senão cada vez que alguém quisesse emagrecer bastaria comer menos e treinar mais;

Erro número 2

Fazer dietas muito restritivas. No início, parece ser uma boa escolha e pode-se perder bastante peso, porém, esse tipo de dieta não é sustentável, levando muitas vezes a perda de massa muscular e água, o que reduz o peso drasticamente na balança, mas a gordura ainda estará lá e o emagrecimento não aconteceu;

Erro número 3

Ser o LOUCO da balança e se pesar todos os dias. Isso só leva a frustração e a chutar o balde, uma vez que o peso não diminuiu. Lembre-se: balança não é parâmetro para emagrecimento, os músculos são mais densos e compactos do que a gordura. O ideal é focar no ganho de massa muscular, redução de medidas e formas de acelerar o metabolismo;

Erro número 4

Passar horas na academia fazendo exercícios aeróbios de longa duração e outros milhões de atividades. O exercício aeróbico sozinho não ajuda a aumentar o metabolismo, que é o motor para a queima a gordura do corpo;

Erro número 5

Fugir da musculação. A musculação é uma das melhores estratégias e será a maior aliada para alcançar o emagrecimento sustentável, pois gera queima calórica alta e aumenta o tecido muscular que trabalha na queima de energia, acelerando o metabolismo; 

Erro número 6

Querer resultados rápidos. Ninguém engordou de um dia para o outro. Foram meses, anos, de maus hábitos e sedentarismo. Logo, é impossível emagrecer da noite para o dia. Paciência e dedicação são as palavras mágicas para quem quer alcançar resultado!

Erro número 7

Usar produtos “milagrosos”: shakes, suplementos X Y Z, gel redutor, cinta modeladora, farinha seca barriga, além de outros inúmeros produtos oferecidos no mercado do fitness/emagrecimento. Isso só serve para jogar dinheiro fora e para gerar frustração;

Erro número 8

Copiar treino e dieta do amigo, do influencer ou do fortão das redes sociais. Cada pessoa tem sua particularidade e precisa de um treino que respeite suas diferenças, só assim o objetivo será alcançado.