Advogada, empresária, influenciadora digital e mãe de Rafael (16) e Manuela (14), Cláudia Aroucha aprendeu a conduzir com mais propósito sua rotina multifacetada ao recalcular as rotas de sua carreira. Após 14 anos atuando no comércio de uniformes na capital pernambucana, mergulhou em um processo de autoconhecimento e voltou à superfície com novos projetos – hoje, opera no ramo imobiliário, no mercado de ações e nas redes sociais. A atenção aos negócios da família, a aptidão para a comunicação e o propósito de incentivar a autoestima, entre seu público, se combinam e abastecem a motivação com que ela gerencia seu dia a dia.

“No mundo atual, podemos e devemos atuar em várias frentes, de acordo com nossas aptidões e propósitos, sempre nos respeitando primeiramente, claro. Costumamos rotular e colocar as pessoas em caixinhas, atribuindo a elas uma função ou atividade específica, porque assim fica mais fácil compartimentá-las e identificá-las”, pondera a empresária que foge de rótulos. Acumula experiências em áreas diversas e lança mão de todas elas enquanto equilibra os projetos a que se dedica atualmente. O repertório começou a ser montado desde cedo – aos 15 anos, em paralelo aos estudos, iniciou trajetória no ramo de incorporação imobiliária, numa das empresas do grupo familiar presidida até hoje por seus pais e com a qual continua a colaborar. Mais tarde, durante a formação jurídica, estagiou no Ministério Público e na Justiça Federal de Pernambuco, antes de exercer a advocacia privada e corporativa. A DAM Roupas Profissionais, do grupo familiar de seu marido, foi um marco – Cláudia foi franqueada da rede entre 2004 e 2018, lapidando suas habilidades em gestão de projetos e pessoas. “Por mais otimistas e motivadores que sejamos, às vezes se faz necessário sermos realistas também, aceitando que nossa vida é formada por ciclos e que estes têm começo, meio e fim. Isso vale para carreiras, relacionamentos e para quase tudo na vida!” Pontua.

A empresária precisou de tempo para aceitar a multipotencialidade – termo usado quando um indivíduo demonstra interesses e competências diversificados, como parte de sua personalidade. Apostou na formação como master coach integral sistêmico para garantir as soft skills de que precisava e oferecer a si mesma a chance de equilibrar diferentes atividades simultaneamente. “Ninguém deveria ser obrigado a escolher um único caminho. É importante ter várias frentes no mundo globalizado em que vivemos. Não podemos ser apenas o que querem que sejamos, o que esperam de nós. É difícil para a sociedade aceitar a multipotencialidade, mas cada vez mais pessoas têm essa capacidade. E devem aproveitá-la”, aconselha.

A lista de planos para este ano reproduz a característica de que Cláudia aprendeu a se orgulhar: é extensa e multifacetada. Atualmente, vem se dedicandoa um projeto imobiliário habitacional e de lazer numa área promissora da Região Metropolitana do Grande Recife, a Lagoa Azul, em Jaboatão dos Guararapes. “Estou trabalhando com outros diretoresneste projeto do nosso grupo familiar. Estamos preservando e desenvolvendo aquela área há três décadas, e agora ela promete ser a melhor área habitacional, de lazer, entretenimento e hospedaria de Pernambuco”, conta. “Além da expansão e consolidação das atividades empresariais que desenvolvo atualmente nesse nosso grupo familiar, também pretendo intensificar minha atuação no mercado de rendimentos passivos e investimentos na área, com foco no day trading, que é um mercado muito ousado e dinâmico, com o qual me identifico e em que venho me especializando cada vez mais”, ela revela.

Em paralelo à atuação nos bastidores dessas empreitadas, Cláudia também se prepara para incrementar a produção de conteúdo nas redes sociais, a principal vitrine de seus interesses pessoais. “Quando bem utilizadas, [as redes] são um bom meio de comunicação, crescimento e contribuição para prospectar negócios, parcerias e rentabilizar projetos de diversas formas. Vou continuar utilizando esse recurso tecnológico da forma mais proveitosa possível”, argumenta. Nos últimos anos, sobretudo durante o isolamento social de combate à pandemia, a pernambucana dedicou suas publicações no Instagram (@claudiaaroucha) a incentivar o amor-próprio e o empoderamento entre suas seguidoras. “Produzi lives e tutoriais de moda, maquiagem, skincare, entre outros. Esse conteúdo e autocuidado levantava o astral das seguidoras e fazia com que se sentissem mais esperançosas durante aquele período tão delicado que atravessamos”,lembra.

Debruçada sobre temas relacionados à moda, beleza e ao lifestyle, consolidou uma base de parceiros e seguidores com a qual troca ideias e incentivos. “A marca Poca Brazilian Beachwear lançou uma linha de vestidos 100% linho com meu nome. A cada unidade vendida, eles doam um kit higiene para uma instituição de crianças carentes. Também fiz parceira com a marca Juliana da Fonte Acessórios, que lançou um icônico colar com meu nome, conceito e valores, destinando parte da venda dos itens para o grupo de apoio às crianças carentes Fadas Madrinhas do Bem”, comemora. Em paralelo, contribui mensalmente para instituições de crianças carentes e já promoveu vários eventos beneficentes, entre palestras e cursos de automaquiagem e autocuidado, com renda destinada a instituições filantrópicas. “No final de todas essas iniciativas e collabs, ações solidárias e beneficentes, quem mais sai enriquecida e fortalecida sou eu”, conta.

“Entendo que tão importante quanto a prática, expertise e conhecimento técnico em qualquer área que você atue, deve-se priorizar e investir muito em autoconhecimento, inteligência emocional e nas soft skills, para melhor performar em todas as demandas e desafios do dia a dia da vida pessoal e profissional. Para que possamos realmente crescer de verdade, se faz necessário, sem ideologias ou marketing pessoal, ir muito além de apenas dizer e postar. Precisamos praticar, de fato, nossos valores. Promover ações sociais efetivas, contribuindo para o próximo, por uma sociedade mais justa”, recomenda. “Recorro sempre à empatia, pois acredito, indubitavelmente, que só crescemos quando contribuímos para o próximo, para os mais necessitados, seja de recursos financeiros ou emocionais.”

Em casa, os esforços empregados na carreira e nas realizações pessoais e sociais também dão frutos. Para Cláudia, o segredo por trás do equilíbrio entre os diferentes setores da vida está justamente em não negligenciar qualquer um deles. “Sempre digo que para estar bem com seus filhos e com seu marido, a mulher precisa estar bem pessoalmente. Para mim, além do bem-estar físico e emocional, existe o profissional. Se estivermos frustradas profissionalmente, corremos o risco de transferir a frustração para nossa família, transformá-la em culpados. E a criança, um futuro adulto, vai carregar aquela culpa que, na verdade, não lhe pertence. Precisamos ter uma base sólida na profissão para que outros setores da vida prosperem”, reflete a empresária. Ela conta, ainda, que a rotina de autocuidado é peça-chave no quebra-cabeças de projetos e compromissos que administra – “Para ter equilíbrio espiritual, emocional, procuro me cuidar muito. Medito todos os dias por uma hora, antes de dormir, além de praticar exercício físico diariamente”. A empresária não arrisca fórmulas para uma rotina multifacetada bem-sucedida, mas dá palpites sobre tendências de comportamento –  “Existem cinco grandes chaves para abrir portas de 2022 em diante – flexibilidade, adaptabilidade, autoconhecimento, resiliência e inteligência emocional”, ela lista, apontando que o valor de cada empreitada está no que se pode aprender com ela, especialmente quando há disposição para o risco e o recomeço – é assim, ela reflete, que os ciclos se cumprem e não têm fim.

Foto Newman Homrich / Styling Natalia Castro / Cabelo e make Studio A / Making of Estudio Mobile / Claudia veste loja Matye e Le Lis Blanc / Agradecimento Juliana da Fonte (acessórios – semijoias) e acervo pessoal (H Stern)

Assista making of: