Como dizem, “filho de peixe, peixinho é”. E nesse caso da nossa musa de capa a frase faz todo sentido. Tília, filha de um dos mais badalados DJ´s da atualidade, Dennis, vive e respira música desde muito nova. E agora, aos 18 anos recém completados, mostra que vai longe. A bela mal chegou na maior idade e já demonstra ter além de talento e manha para fazer sucesso, tem tino comercial e uma noção geral de como gerir sua carreira. Para se ter ideia, ela usa o próprio faturamento fruto das redes sociais para investir na sua carreira e manter o crescimento da sua marca. Isso sem falar do consumo consciente, reaproveitamento de roupa de segunda mão e empoderamento feminino. E para celebrar tudo isso, em breve uma live show para celebrar a idade nova e suas conquistas.

Tília, finalmente 18! Como isso te toca e o que representa? Ah representa tanta muita coisa boa. Eu amo fazer aniversário, 18 anos é uma data especial, maior idade. Eu já me sinto um pouco mais livre, sempre fui, né? Mas nesse momento me sinto um pouco mais. Musicalmente falando, eu acho que me encontrei, depois me de visitar muitos estúdios e estudar muito sobre a música. Acho que estou na minha melhor fase. Vou realizar meu show. Enfim, está sendo uma virada de chave na minha carreira e no meu lado pessoal também porque é o que eu vou fazer e isso me move muito.

Mesmo tão jovem você já é bem promissora. Esperava por esse sucesso em tão pouco tempo? A que se deve isso? Obrigada. Não esperava. Inclusive eu nunca coloco muita expectativa assim, sabe? Eu coloco, mas não muita para eu não me decepcionar caso alguma coisa dê errado. Mas eu só sei ser muito grata por esse momento que eu tô vivendo. Espero continuar trabalhando muito, espero que a galera continue gostando do meu trabalho. Vem muita coisa por aí. Isso aqui é só o começo. 

A internet e as redes sociais são um campo fértil para se mostrar um trabalho e se ter sucesso muito rápido. Ao mesmo tempo requer um trabalho bem feito pois tudo é muito rápido. Como você e sua equipe cuidam disso? É exatamente isso. Hoje em dia as pessoas esquecem as coisas muito rápido. Por isso que eu coloco muita verdade e história no meu trabalho. Cada música minha tem uma história, um conceito. A música, o clipe e a dança, o roteiro do videoclipe, tudo tem um por que. Eu que escrevi todos os roteiros dos meus clipes até hoje. Participei e vim com a ideia de todas as estratégias de marketing das minhas músicas. Acho que é isso, quando a gente coloca a verdade em história, a gente marca as pessoas. E é isso que eu pretendo fazer daqui pra frente, já faço e vou continuar fazendo, porque eu acho que assim a gente vai marcando as pessoas. 

Como seleciona o que vai para as redes e o que não vai? Como separa o público do privado? Hoje em dia eu sou uma pessoa pública e tento compartilhar o máximo da minha vida, mas não tem nada que eu deixe de postar. Às vezes eu vou estar triste com alguma coisa, mas não tem nada que eu deixe de postar. As pessoas estão ali pra me acompanhar e quanto mais eu mostrar da minha vida as pessoas vão gostar. Então não tem nada em específico que eu não posto, não me posiciono, não falo sobre… Eu gosto de estudar tudo e entender sobre todos os assuntos. Mas, realmente quando tem um assunto que eu não me sinto segura pra falar, eu não falo. Às vezes sobre política… porque eu sinto que eu preciso estar estudada para falar sobre. Acho que é somente isso, não tem nada em específico que eu me prive de falar. 

Ser filha de um DJ badalado como Dennis ajuda muito mas ao mesmo tempo existe uma cobrança por ser tão boa quanto. Como lida com isso? Já sentiu essa pressão? Senti muita pressão, mas já percebi que isso só me fazia mal. Então, hoje em dia eu prefiro simplesmente ignorar essa pressão seguir o meu trabalho. Meu pai realmente é um grande artista, muito talentoso, mas cada um tem sua trajetória. Eu já entendi isso. No início eu não entendia e me cobrava muito. Eu ficava pensando se estava tão bom quanto, só que meu pai tem mais de 20 anos de carreira, eu não tenho nem 1 ainda. As coisas vão melhorando de acordo com o tempo, então não posso me cobrar ao me comparar com alguém que tem 20 anos de carreira. Então, hoje eu ignoro essa pressão e sigo meu trabalho. Foco no meu pra fazer a minha trajetória. 

Como influenciadora e empreendedora, que diretrizes usa e como planeja suas ações? Como influenciadora eu compartilho meu dia, as minhas publicidades eu só divulgo o que eu realmente acredito. Eu sou muito verdadeira, muito sincera, então jamais faria algo que eu não concordo. E como empreendedora, hoje em dia sou eu quem invisto na minha carreira. Já tive uma loja de desapego também e estou muito ansiosa para lançar minha marca de produto que não vou falar ainda o que é. Mas eu amo empreender e estar nesse mundo pra fazer dinheiro. 

O single “No Meu Talento” virou hit em poucos dias. Isso te surpreendeu e te motivou de que forma? Me surpreendeu muito. A gente entrou nos vídeos em alta no mesmo dia que lançamos. A galera escutava, postava vídeos cantando. Eu sentia aquele friozinho na barriga gostoso e pensava se estava indo pelo caminho certo. Me surpreendi, fiquei muito feliz e dou muito valor a cada pessoa que escutou alguma música minha. Eu falo que hoje em dia tem milhares de músicas nos aplicativos e ver alguém parar, pesquisar meu nome e dar play na minha é motivo pra ser muito grata. Gratidão a cada um que deu play, que viu o clipe, que está me acompanhando e que está fazendo meu trabalho crescer junto comigo. 

Dedicada, você se dedica a se aperfeiçoar com aulas de canto, dança, instrumentos musicais… O quanto você sente que já evoluiu e o que deseja mais? Quais os próximos passos? Nossa, eu sinto que evoluí muito. E eu acho que é isso. Devemos estudar pra nos aperfeiçoarmos. Eu queria me aperfeiçoar na dança, no canto, nos instrumentos, na música, na performance de um show… Foi isso que eu fiz. Passei mais de três meses estudando intensivo de todas essas aulas. Fiz canto lírico para melhorar minha respiração no canto e hoje em dia me sinto muito mais segura de poder fazer um show. Como sou uma artista da quarentena, eu nunca tinha feito um show na minha vida e antes eu nunca tinha cantado em público porque eu tinha medo. Foi uma coisa que foi muito rápido. A minha dica é: estudem, isso vai te dar mais segurança no que você está fazendo. 

Seu trabalho e rendimentos como influenciadora terminaram proporcionando verba para investir no seu próprio negócio. Como funciona isso para você? Que dica daria a outras pessoas com esse mesmo objetivo? Sim, todos os meus trabalhos e todo dinheiro que eu ganho hoje em dia eu invisto na minha carreira, porque hoje eu ainda não tenho nenhum investidor. Então, se eu faço uma publicidade, boto o dinheiro na minha carreira, se faço algum trabalho por fora, boto o dinheiro na minha carreira. E assim eu fiz meus clipes, gravo minhas músicas. Eu daria essa dica para outras pessoas também. Invistam no seu. Eu sei que às vezes a gente fica esperando alguém que acredite na gente e coloque dinheiro no nosso projeto, porque é difícil, gente. Não é barato gravar clipe, não é barato gravar música com produtores, entrar em estúdio. Mas se você pode se reinventar, comece. O dinheiro da minha lojinha de desapego que eu criei como empreendedora, eu peguei todo e coloquei na minha carreira. De pouquinho em pouquinho a gente vai construindo. Essa é a minha dica: se reinventem pra ir atrás do sonho de vocês. 

Como é a seleção de produtos que você faz para seu e-commerce? A seleção dos produtos foi literalmente o que a galera olhava no meu Instagram e perguntava: ‘meu Deus, de onde é essa roupa?’ Eu pensava: ‘se causa curiosidade, é porque essa galera quer’. Dito e feito. Muitas roupas que eu tinha eram feitas à mão, então eram produtos exclusivos. Esses, de fato, eu colocava na loja. E quando eu colocava, vendia, porque eram produtos únicos e a loja era de desapego. A galera comprava sempre. Era muito legal, porque quando chegava na casa das pessoas elas diziam: ‘meu Deus, só eu tenho essa roupa’. Eu fiquei muito feliz na época. Foi essa a seleção dos produtos. 

Você é muito consumista? Como trabalha o desapego? Me considero zero consumista. É muito raro eu gastar meu dinheiro com alguma coisa. Eu sou aquela pessoa que gosta de guardar, gastar com o que realmente devo, enfim… Mas quando é sobre a minha carreira eu boto todo o dinheiro, gasto e faço acontecer. Quando é sobre a Tília pessoal, de comprar coisas pessoas, é muito raro. 

O que e quem te inspira? Sou muito comovida por histórias que me marcam, que me tocam, que me inspiram muito. Amo assistir documentários de Taylor Swift, Ariana Grande, Beyonce, que são mulheres que me inspiram muito. Além de eu também ter uma mulher dentro de casa que eu olho pra ela penso em força, no quanto ela é guerreira em não desistir, que é a minha mãe.  

E na hora de relaxar, o que faz sua cabeça? Na hora de relaxar o que eu mais gosto de fazer é encontrar com os meus amigos, conversar, rir, distrair a mente, passar um pouco de tempo com a minha família, sem dúvidas.

Fotos Nathalia Augusto @na.fotografia

Produção Clarissa Martino @clarissamartino

Styling Carol Pereira e Carola Chede @anacas.styling

Assist styling Rachel Meliande @rachmeliande

Beleza Carol Castelloes @carolcasteloesmakeup

Arte Bibi Regazzi @bibiregazzi

Divulgação Ari Prensa @ari.prensa