Por Mayara Gomes

Personalidade, determinação e talento, são três palavras que compõem uma das maiores promessas da moda atual no Brasil. Camiseta preta, calça preta, tênis preto, meias e cuecas brancas, assim é o guarda-roupa do jovem estilista Kaique Oliveira, de 26 anos. À frente da marca Kaoli, deixa as cores para suas criações, são nelas que as estampas, tonalidades e texturas ganham vida e vestem mulheres com personalidade. “Eu não sou aquele tipo de estilista que pega a tendência e absorve para si. Tudo que eu faço é para as minhas clientes e para as pessoas que eu atendo.”, afirma.

Kaique demonstra saber exatamente o que quer e quais decisões tomar na carreira e na vida pessoal, se dedica a cuidar das outras tarefas da empresa e de si mesmo. “Amo academia, gosto de cuidar do meu corpo, da minha saúde, e sou a favor de procedimentos estéticos.” Demonstra ser extremamente vaidoso, e dedicado aos cuidados com o corpo, e também com a sua saúde.

Tudo diz bastante sobre a essência de Kaique, natural de uma cidade no interior do estado de Sergipe, a cerca de 100 km da capital do estado, Kaique desde cedo já se viu entre agulhas e máquinas de costura. Nascido em uma família de costureiras, leva na genética a vocação para dar vida a tecidos que mais tarde, mal sabia ele, vestiriam celebridades conhecidas por todo o País. Foi essa conexão, acrescida a doses de determinação e inovação, que o tem levado longe, e assim nasce um sonho promissor, que a cada dia ganha mais destaque no mundo da moda.

K DE KAOLI

O sonho do negócio pequeno, para criar suas roupas, foi mais que possível, e simplesmente disparou rumo ao sucesso. Hoje Kaique é reconhecido como estilista, e pode falar com prioridade sobre marketing e desenvolvimento, pois tornou real e concreta a imagem da sua marca, a versátil, inovadora e contemporânea Kaoli. Que vende muito mais que peças exclusivas de sua autoria, leva as mulheres a sua representação, personalidade em forma de roupa, Kaique se inspira na mulher brasileira para dar asas à sua imaginação. “Porque acredito que as pessoas têm que gostar das roupas pelo que elas são, e não por causa de um nome por detrás delas”.

Mas seu sucesso não foi ao acaso. Ao longo dos três anos de empresa, Kaique Oliveira subiu degrau por degrau essa escada, construindo sua carreira de maneira sólida e se destacando ao cair no gosto de personalidades como Xuxa, Luisa Sonza, Iza, e Anitta, que foi a primeira estrela a vestir uma de suas roupas. A cantora levou o desafio para a marca, propondo um look para um evento especial da Renault, como imprevistos acontecem e nada é coincidência, ela infelizmente não vestiu naquele evento, mas simplesmente apareceu em uma premiação com a peça exclusiva, surpreendendo a todos, e superando todas as suas expectativas, de repente Anitta. Por essa ele jamais esperou. “Eu amo vestir celebridades, tenho fascínio. Não pela celebridade em si, mas pelo momento em que ela está vestindo. Por todas as pessoas que estão vendo uma roupa minha em cima do palco, sabe? Isso me impulsiona. Me dá muita energia, e me dá injeção de ânimo para criar mais e mais e mais e mais.” Se orgulha ele.

Essas parcerias de sucesso levaram o estilista a ficar conhecido entre as celebridades.

Kaique mostrou muito além da expertise de um negócio como agir de forma consciente, estratégica, e desta forma também ser colaboração em momentos de extrema fragilidade que estamos vivendo. “Em meio à pandemia do COVID-19, eu criei ações para ajudar o próximo, sem deixar cair o faturamento da empresa.”

Em uma época delicada, com tanta gente precisando de ajuda, em situações de extrema vulnerabilidade, tanto Kaique quanto sua equipe abriram o coração e em demonstração da grande preocupação com a sociedade carente, criam o projeto #vistaamor, que reverte 30% do valor de uma peça desenvolvida por Kaique, em contribuições para instituições e projetos. Um grande gesto, diz muito sobre uma empresa e seu gestor.

“Concretizei uma coisa que já é certeza no mundo: o online. E eu já estava adaptado à isso”. Se orgulha. Segundo ele, seu modelo de negócio é o e-commerce de varejo e atacado, além de possuir também o atendimento por call-center.

SOBRE SER, E VIVER

Por trás de toda criatividade, e talento, existe um rapaz que vive a liberdade, a diversidade, e que pensa e sente sempre à frente. Viver um mundo particular é uma escolha, pois vive o que acredita, e se considera objetivo. Por toda personalidade se paga um preço, e qual o preço que Kaique paga por ser quem é? É um divisor de opiniões, e apesar de ás vezes este título parecer interessante, nem sempre é tão fácil. Em uma conversa, Kaique revela que sua originalidade causa ansiedade, e ás vezes até mesmo certa instabilidade, o que hoje é muito comum dentre as pessoas que pensam demais. Para uma pessoa que vive a criação, que como ele mesmo afirma funciona melhor sob a luz da noite, a ansiedade tem sido cada vez mais frequente, principalmente em São Paulo, cidade que nunca dorme. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o País tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) convivem com o transtorno, e muitas vezes Kaique já sentiu na pele esse caos interno.

Mas toda essa atmosfera solta, que traduz seu perfil, carrega um entusiasmo pela vida e interesses singulares, Kaique vive os dois universos, conhece o íntimo do espaço masculino, e os segredos do feminino, ele sabe do que elas gostam, o que desperta inúmeras curiosidades. Ele gosta do novo, de explorar mundos, uma prova disso foi a declaração bastante pessoal que deu: “Tenho muita curiosidade de me relacionar com um homem trans”.

Com uma vida e uma rotina extremamente agitada, diz que não tem uma dieta regrada, tão pouco faz da academia um mantra, come o que quer, e aceita seus limite, carrega uma bagagem enorme de amor a quem é, em um mundo onde existem dois lados, os padrões impostos e seus seguidores e as desconstruções poéticas, levantando a bandeira do seja quem você é. Ele foge as regras, aceita todas as suas formas de coração, sendo elas bastante interessante aos olhos de quem as veem. Todas as atividades que pratica, como malhação com uma personal pessoal, lutas e etc, utiliza como uma forma de extravasar, para relaxar, energias renovadas e corpo em dia, sem pressão. Diversão é por sua conta, quando está solteiro, as pistas viram ponto de encontro, sob as luzes baixas ou coloridas, e as batidas musicais das baladas, ele transforma as pistas em seu momento favorito, boys just wanna have fun” (*).

Além da paixão por diversão, revela também um lado bastante genioso, tipicamente encontrado no seu signo, capricórnio. Mas isso nunca o atrapalha pois toda a relevância do que faz está na dedicação, o exemplo disso está no que sempre diz, que não nenhuma de suas criações foi pensando em dinheiro, foi por amor, amor a criatividade, a moda e a vida!

Todas as informações nesta matéria foram obtidas através de uma conversa intimista com Kaique Oliveira, exclusivamente para revista MENSCH.

*Referência a canção “Girls Just Wanna Have Fun” de 1983.

Fotos Cris Vidal

Style Erick Maia

Make Paulo Renso