Por Rodrigo Bosshard

Fundador do O Primo Rico – plataforma de conteúdo sobre educação financeira e autor do livro “Do Mil ao Milhão”. Nascido em São Paulo capital, Thiago Nigro, conquistou seu primeiro milhão aos 26 anos. Em 2009 atuou como estagiário no departamento de marketing da empresa The Hershey Company. Na sequência, em 2010 passou a trabalhar na Page Personal. No início de 2011 Thiago Nigro iniciou seu primeiro negócio, a Investpartner Investimentos com serviços de consultoria. Onde permaneceu como sócio da empresa até 2015. Hoje, aos 30, dentre suas diversas atividades, costuma atuar como palestrante e instrutor de treinamento sobre gestão do dinheiro. Formado em Relações Internacionais, desde jovem Nigro tem seu foco voltado ao mercado financeiro. Seu canal “O Primo Rico” possui quase 5 milhões de inscritos e vários vídeos possuem mais de 1 milhão de visualizações. Para se ter ideia, seu vídeo sobre “Os 9 hábitos de pessoas ricas e bem sucedidas – Como ficar rico e ter dinheiro?”, publicado em fevereiro de 2017, possui mais de 1 milhão e 200 mil visualizações. Já no Instagram Thiago possui 4,8 milhões de seguidores, um verdadeiro fenômeno. Ou seja, o cara é um fenômeno nas redes sociais e no mercado financeiro. A MENSCH foi conversar com Thiago para entender um pouco mais dessa trajetória de sucesso e quem sabe chegar a um milhão também!?

Thiago, conta um pouco da sua história. Você foi garçom, barman, vendedor de chocolate… montou um negócio que quebrou, até vender uma operação e iniciar o canal Primo Rico. Como foi o início desse jornada? Bom, o início desta jornada, foi uma jornada que começou com arrogância junto de inocência, então eu achava que sabia tudo, mas percebi que eu era muito inocente, não tive cautela, fui negligente e perdi tudo, né?! Quando eu comecei no mercado eu quebrei uma ignorância completa, não sabia o que eu estava fazendo, e ai eu fiz uma operação errada no mercado, e depois eu descobri que na verdade eu estava especulando, brincando, jogando, não estava investindo de verdade. E daí eu decidi estudar, aprendi para caramba, e me apaixonei pelo mercado de investimento. Decidi que eu queria trabalhar no mercado, tive toda uma jornada longa para ir atrás disso, ninguém me abriu portas, nenhum banco quis me contratar, nenhuma corretora. Fiz a minha carreira em várias outras coisas né?! Trabalhei na Hershey´s, fui garçom, fiz tudo isso, até que de fato eu comecei a empreender no mercado. Montei meu escritório de investimentos e ai 7 anos depois eu vendi o meu escritório. Não foi uma jornada linear. Eu trabalhei em outros escritórios, mudei de corretoras, vendi meu escritório e tive a minha liberdade financeira. Ai eu entrei de fato no mundo da educação financeira. Produzi o meu canal e hoje, existe o Primo Rico. Então, essa minha jornada me trouxe até aqui.

Thiago, quando iniciou sua relação com o dinheiro? Bom, a minha relação com o dinheiro, eu nunca fui ensinado né?! Então a minha relação com o dinheiro começou com os filmes que eu assistia. Eu via as pessoas ficando ricas de terno, e eu queria ser essa pessoa. Mas de fato a minha relação começou quando eu recebi algo que talvez eu não estava preparado para receber, que foram os primeiros R$ 5.000 que eu ganhei dos meus pais. Fui colocar na bolsa de valores e quebrei. Então essa foi a minha relação com o dinheiro, começou assim. Começou com o pé esquerdo eu diria.

Como foi idealizar o canal Primo Rico? Você imaginava essa repercussão nacional? Não tinha a mínima ideia. Porque a nossa cabeça tem dificuldade de imaginar o que não aconteceu, ter uma visão é uma característica já dos melhores líderes que existem né?! E por mais que eu tenha uma boa visão, eu não conseguia visualizar tão longe assim. Porque na época, o parâmetro era 10/15 mil seguidores, os maiores canais do Youtube no Brasil tinham 10/15 mil seguidores, de finanças né?! Então, eu que estava acostumado a falar para duas pessoas ou dez pessoas em uma sala, em uma palestra, não queria imaginar um número maior do que este. Não imaginaria que nem talvez eu chegaria neste número, mas aconteceu que a gente chegou, passou, e quanto mais a gente crescia, mais eu acreditava. Então hoje a gente tem, só no Youtube por exemplo quase 5 milhões de pessoas e eu acredito que vamos chegar em 10 milhões de pessoas. Vai ficando mais fácil, você vai aumentando a sua auto confiança.

Que atitudes você teve e aprendeu que fizeram a diferença? Na verdade a atitude é bem diferente do conhecimento do que você aprende, né?! Então assim, os fracassos, bom, o primeiro fracasso foi esse grande erro, o que eu aprendi foi que a ganância te causa prejuízos. O conhecimento é importante, é base para tudo. De fracassos, fui negado em todas as entrevistas de emprego que eu fiz, o que eu aprendi com todos os fracassos foi que eu não podia parar. E o que eu aprendi depois de tanto fracasso, eu aprendi que se ninguém quisesse me dar uma oportunidade eu poderia criar uma oportunidade. E eu de fato criei, comecei a empreender no mercado. É uma jornada mais difícil, mas ela acabou sendo também mais recompensadora. Depois eu comecei a crescer, e quando eu cresci, eu aprendi que eu poderia sonhar mais longe, poderia sonhar maior, ai eu comecei a crescer bastante. E comecei a perceber com o tratamento do público, que eu precisava ter mais humildade, e comecei a ter mais humildade com os erros, com os pronunciamentos, e as vezes até com injustiças. Eu percebi que tinha que ter mais humildade, depois, eu percebi também que eu não conseguiria crescer sozinho, então eu dei muita cabeçada. Aprendi que eu precisava ter um time. Depois eu sempre fui muito contra burocracia e comecei a ter problemas de gestão, descobri que eu precisava colocar processos no negócio, e depois, acabei descobrindo que no final das contas tudo se resume às pessoas certas. Foram grandes aprendizados. Então hoje eu acredito que em uma empresa você tem que buscar o líder, o líder te ajuda a montar o time. Então ao invés de ir atrás da base, você vai atrás dos líderes que vão montar a base para você. Isto foi uma das coisas que eu aprendi.

Qual sonho tinha que achava distante ou impossível e conseguiu realizar/conquistar? Ao longo da minha vida o meu sonho era ser rico ne?! Eu queria ser rico, queria ter dinheiro e eu conquistei isso tudo em algum momento. Era uma coisa distante e ela aconteceu. Eu não imaginava que iria acontecer rápido do jeito que aconteceu em menos de 10 anos, mas isto aconteceu. Mas eu não sei ao certo a precisão de quando aconteceu porque a ficha vai caindo. Fora isso, um dos sonhos que eu tinha era poder fazer coisas simplórias, coisas simples da vida, como poder jogar vídeo game, assistir uma televisão no meu tempo, e eu de fato consegui esta liberdade. Então isso tudo foi uma grande conquista. Agora eu poderia dizer que a conquista que parecia impossível era de atingir a liberdade, o dinheiro de alguma certa forma compra a liberdade, liberdade e tempo.

Quando o dinheiro deixou de se tornar problema para você? Olha, o dinheiro foi um problema forte para mim até uns 26 anos. Talvez por isto eu tenha entrado de fato no mercado financeiro. Até que aos 26 anos depois de empreender por 7 anos no mercado, consegui vender o meu escritório e aí eu atingi a minha liberdade financeira. Então o dinheiro deixou de ser um problema para mim. E aí na verdade a minha missão passou a ser cuidar deste problema na vida das pessoas.

Você acredita que qualquer pessoa possa gerir melhor seu dinheiro, crescer financeiramente e ficar rico? Existe o miserável e o pobre, aí você tem a classe média, os ricos. É claro que com uma classe média e rica, todos eles podem ficar ricos ou mais ricos, e tem muito questionamento sobre se o pobre pode, se o pobre consegue, financeiramente falando o pobre consegue. Isso é óbvio, ele consegue. Aa luta é muito maior, mas ele consegue. Agora o miserável precisaria de uma ajuda de fora. É como se você tivesse em um buraco e não dá para você sair sozinho. Então assim, quando a pessoa é pobre sim ela pode aprender tudo isso, quando a pessoa é miserável não dá, ela precisaria de uma ajuda estrutural.

No seu ponto de vista, porque pirâmides financeiras atraem tantas pessoas, fazendo-as perderem muito dinheiro? Por que as pessoas não tomam decisões com a razão e sim com a emoção. E uma das emoções mais fortes que existem é a ganância ou o amor ao dinheiro. As pessoas foram gananciosas na história, são e continuarão sendo, quem não entender que você precisa controlar isso, vai se ferrar, e quem não conseguiu entender também, porque entende mas não consegue.

Nigro, quando você tomou ciência de que de fato era o Primo “Rico”, como foi a virada de chave? Eu não tive aquele super momento de virada de chave, mas teve um momento em que cai a minha ficha, não o momento em que cai a ficha de que eu era o Primo Rico, mas foi quando caiu e virou a chave da responsabilidade para mim. Eu lembro que eu estava em Salvador fazendo uma turnê do meu livro, indo em livrarias e assinando meus livros, fazendo umas palestras, e em Salvador eu vi uma galera muito pobre. Eu lembro que eu estava de madrugada na varanda do hotel, olhando para uma avenida muito movimentada, e eu falei “Nossa, olha essa galera, essa galera está indo extravasar porque a vida deles é muito ruim, claro que, a maioria dessas pessoas né?! Por que elas odeiam o que fazem, trabalho chato e com pessoas chatas e para pagar as contas, e ai na sexta e sábado elas precisam extravasar”. E eu falei, por isso que eu faço o que eu faço, eu preciso ajudar pelo menos quem quer ser ajudado, então a minha virada de chave veio aí. Vai fazer uns 3 anos que isto aconteceu, mas a minha virada de chave foi uma virada de responsabilidade. Não de dinheiro na verdade, a de dinheiro é gradual, por que quando você bate um milhão, você pensa “poxa, agora tudo mudou”. Não é, porque antes você tinha 999 mil, não tem diferença, você vai crescendo e você vai se acostumando.

O mercado financeiro é bem dinâmico, tudo pode mudar a qualquer instante, como manter o equilíbrio emocional sobre situações que você não tem controle? O segredo não é você controlar exatamente a sua emoção, é você saber reagir ao que acontece no mercado e entender que os princípios estão acima das emoções. Então você precisa ser um investidor de princípios, você precisa gerenciar o seu dinheiro com princípios. Você não pode gerenciar o seu dinheiro através de emoção, porque claro que não dá. É igual um ladrão vem te assaltar, vem alguma coisa muito forte na sua vida, você não consegue falar “corpo não sinta nada”, é impossível. Ainda mais quando envolve dinheiro que é mais difícil ainda para alguns. Então o segredo é, tenha princípios e tome as decisões baseadas em princípios e não na sua emoção, pois se o princípio é ganancia, medo, impaciência, geram prejuízos? Ou se o princípio é “compre ao som dos trovões e venda ao som dos violinos”, execute os princípios, eles estão acima do que você está sentindo agora.

Qual a melhor maneira de ensinar alguém a gerir melhor seu dinheiro e tomar decisões mais assertivas? É a mesma resposta da anterior, a melhor maneira é não ensinar com princípios técnicos e sim princípios naturais. São os princípios que se aplicam a tudo na nossa vida. Então, existem os ciclos da natureza, tem a noite e o dia, você tem a ganancia humana que acaba com a raça humana e que as pessoas morrem por isso. Você tem a paz, a prosperidade, então quando você começa dos princípios naturais e depois você vai para a razão. Essa é a melhor forma para mim de controlar o seu dinheiro. E junto disso, a gente precisa entender que na verdade o dinheiro não é um papel, o dinheiro é tempo. Então, se você ganhar R$ 3.000 por mês e gastar R$ 2.500, e sobrar os R$ 500 se você trabalhar 250 horas por mês, na verdade você ganha 2 reais por hora. Então, se você ganhar 2 reais por hora, e você vai almoçar em um final de semana e paga 40 reais no almoço, você tem que entender que não é 40 reais, são 20 horas de trabalho. Se você trabalhar 10 horas por dia, são 2 dias de trabalho para este almoço. Então é você começar a entender que tudo é tempo, então não adianta você querer se endividar em coisas banais porque você vai consumir algo que vale 100 horas. Mas você vai pagar por 200 horas. Então você começa a vender horas no seu futuro, não dá para vender a de hoje, tem que ser a do futuro. Logo, o que começa a acontecer que você vai chegar no final da vida sem tempo, vai ter que trabalhar para pagar tudo. Então o negócio é inverter ordens. Então princípios naturais e entender o que de fato é o dinheiro, tempo né?! Vai te ajudar a tomar mais decisões, e depois disso, você tem um método que se provou no tempo, que sobreviveu ao Efeito Lindy. O método que eu ensino é o método da arca, é você colocar 25% da sua carteira em ações e negócios, 25% da sua carteira em investimentos mobiliários, 25% em caixa, e 25% em ativos internacionais, quando você faz isso, aí sim você tem um método para você aplicar o seu dinheiro. Então você junta métodos com princípios naturais e entende o valor do dinheiro que na verdade é tempo, você vai tomar decisões melhores.

Fala um pouco sobre o “Código da Riqueza”. Foi um documentário que eu produzi em que eu viajei o mundo e conversei com pessoas muito bem sucedidas. E eu percebi que existe uma relação entre o sucesso, pensam parecido, tem princípios parecidos. Então é por isso que eu acho que isso tudo é ensinável ou aprendível, digamos assim, a gente tem que se basear em quem tem e não em quem não tem. E se existe alguma similaridade, então isto é um primeiro passo, é eu entender quais são essas similaridades para que isso incorpore aos meus hábitos e tomadas de decisões. E ai a gente produziu este documentário, postamos uma parte dele no meu Youtube. A gente nunca finalizou ele de fato, foi um projeto muito caro, mas o projeto mais grandioso que eu já fiz na época. Então assim, foi incrível, está disponível de graça no Youtube é um grande aprendizado para quem quiser assistir.

Particularmente, pra você, o que é sucesso? Sucesso é uma junção de você ser satisfeito com o que você faz no sentido de você desfrutar e admirar o que você faz, e de você se pudesse escolher qualquer coisa é você estar fazendo exatamente o que está fazendo agora. E juntar isso com a liberdade de você poder tomar decisões, é você fazer qualquer coisa da sua vida por opção e não por obrigação. Tem gente que diz que gosta do seu trabalho mas não é livre, então você só poderia considerar que gosta de verdade se você de fato tiver liberdade para poder parar de trabalhar se quisesse, entende?! Então para mim, sucesso é você juntar liberdade com você fazer o que gosta. Então é a mistura de você ter tempo, de você ter a liberdade geográfica e de você estar com as pessoas que você gosta.

Quais planos e projetos futuros você pode compartilhar conosco? Os projetos futuros, hoje temos muitas plataformas onde estamos criando. O meu objetivo é fornecer o melhor conteúdo de educação financeira do mundo. Com a melhor qualidade do mundo, com a experiência mais simples do mundo, globalmente, então o que eu quero é transformar a educação financeira do mundo. Eu trabalho muito para que os princípios do dinheiro sejam disseminados e a gente consiga resolver um problema gigantesco que existe hoje. Os casamentos terminam, as pessoas quebram, as pessoas não são felizes e muitas vezes por causa do dinheiro, da falta dele ou do mal gerenciamento dele. Então um dos meus grandes projetos é que vamos lançar uma plataforma de finanças, e ela vai ser global. E também vamos lançar outras plataformas ao longo dos próximos meses, e a gente quer intensificar também o nosso braço de aquisições e de outros negócios. Então isso é que podemos contar.

Nigro, diga uma reflexão para a frase: “Dinheiro não traz felicidade”. Acho que quem disse que dinheiro não traz felicidade, é que talvez não seja maduro o suficiente no meu ponto de vista. Porque para você sair na rua agora e você perguntar para as pessoas quais são os sonhos dela, elas vão responder “meu sonho é ter um carro, viajar, é dar segurança ao meu filho, dar educação, é ter uma casa” e etc. O dinheiro compra tudo isso, então o dinheiro compra o sonho de todas as pessoas. O ponto é, quando a pessoa tiver tudo isso, e ela conseguir realizar tudo isso na vida, ela vai perceber que o dinheiro não é tudo, mas o dinheiro compra uma boa parte da felicidade dessa pessoa. Ela só consegue entender que o dinheiro não é tudo, depois de ter. É muito fácil dizer que o dinheiro não é tudo quando você é pobre e quando você não tem liberdade. Então para mim, o dinheiro traz felicidade, mas ele não traz tudo, ele compra quase tudo. E quando o dinheiro deixa de ser um problema aí você percebe que a vida não se trata só disso. E você começa a ir em busca de algo maior, mas nem todas as pessoas chegam nesse ponto, ou chegarão, e a maioria das pessoas que eu conheço precisou ter dinheiro para entender isso.

Fotos Torin Zanette (@torinxanette)