Esse ano o páreo está duro, pois todos os indicados ao prêmio de Melhor Ator têm uma larga experiência nos mais variados estilos de filmes. E claro, não falta talento à esse time de astros de Hollywood. Por isso mesmo esse ano está bem complicado apontar um vencedor. Até porque muitos dos filmes ainda nem estrearam aqui no Brasil. Os cinco indicados ao Oscar de Melhor Ator tem perfís bem variados e experiências muito distintas, além de nacionalidades variadas. Alguns apostam entre o francês Jean Dujardin e o queridinho de Hollywood George Clooney, pendendo para o francês, que ganhou os prêmios do Sindicato dos Atores e o Globo de Ouro. O problema é que Clooney também ganhou o Globo de Ouro, que separa a premiação entre comédia e drama. Sem falar no grande Gary Oldman, dos melhores atores de sua geração, que nunca havia sido sequer indicado e está magnífico em “O Espião que Sabia Demais”. Por outro lado, se for para acertar as contas com o passado, Clooney já foi indicado quatro vezes, três como melhor ator (venceu o de coadjuvante por “Syriana”) e Brad Pitt, também na terceira indicação, tem chances. Talvez o que tenha as menores chances seja o mexicano Demián Bichir, que segundo a crítica, estaria tomando o lugar que por justiça seria de Leonardo DiCaprio. Enquando a decisão não vem, vamos conhecer um pouco mais sobre cada participante.

Começando por George Clooney, 50 anos, que já teve cinco indicações ao Oscar, venceu uma de Ator Coadjuvante em 2006 por Syriana, e concorreu como Diretor, Roteiro Original, Roteiro Adaptado e Ator, Clooney é um dos astros mais queridos da atualidade. Com carisma e simpatia, Clooney é elogiado por atores, diretores e por sua enorme legião de fãs ao redor do mundo. Um ícone do cinema e de masculinidade dos dias de hoje. Filho de um apresentador de TV, quando criança acompanhava o pai nos estúdios com apenas 5 anos. Abandonou sua carreira de jornalista de TV e foi trabalhar como ator no programa “Academia de Combate” em 1986. E foi justamente na TV que o sucesso descobriu Clooney, no seriado ER interpretando o Dr. Doug Ross, onde ficou de 1996 até 2000. Com o sucesso do personagem, Clooney largou a TV e foi se dedicar a sua carreira no cinema, onde fez seu primeiro filme de destaque, “Um Drink no Inferno” em 1996. Hoje em dia além de atuar em frente às câmeras, dedica-se, esporadicamente ao trabalho de diretor, como nos filmes Confissões de Uma Mente Perigosa e em Boa Noite e Boa Sorte, pelo qual foi indicado ao Globo de Ouro e ao Oscar de melhor diretor em 2006.

Em sua segunda indicação ao Oscar de Melhor Ator (a 1ª foi pelo filme “O Curioso Caso de Benjamin Button”), Brad Pitt, 48 anos, vem acumulando prêmios ao longo desses 25 anos de carreira completados esse ano. Seu nome já foi garantia de bilheteria gorda em inúmeros filmes de sucesso mundial como Lendas da Paixão, Seven, Clube da Luta e Doze Homens e Um Segredo. Brad tem lutado ao longo desses últimos anos de carreira por produções mais caprichadas e papéis que possam explorar seu potencial como ator. Nascido em Oklaroma (EUA), chegou a cursar Jornalismo, Propaganda e Publicidade onde largou o curso à duas semanas da formatura para ir para Califórnia com a idéia de se tornar um astro do cinema. De fato Brad conseguiu alcançar esse sonho, mas até lá percorreu um longo caminho onde chegou a trabalhar de motorista e servente em uma cadeia de fast-food para se manter. Depois de algumas pontas em programas de TV e pequenas produções para o cinema, sua primeira grande chance veio com o filme “Thelma e Louise”, onde atuou junto a Geena Davis, substituindo o ator William Baldwin, que recusou o papel para fazer “BackDraft – Cortina de Fogo.” Essa participação rendeu o convite do ator Robert Redford para participar do filme “Nada é Para Sempre”, que terminou impulsionando sua carreira ao esperado estrelato. Outro marco no seu início de carreira foi o gordo cachê de 8 milhões de dólares pelo filme Lendas da Paixão. De lá pra cá inúmeras produções de sucesso e outras de gosto duvidoso. Em 1995 foi eleito pela revista People o Homem Mais Sexy do Mundo, título que iria se repetir em 2000. Em 2005 casou-se com a atriz Angelina Jolie e protagonizam o casal mais belo de Hollywood (como são apontados pela mídia mundial). 

O azarão da noite pode ser o ator mexicano Demián Bichir, de 48 anos, um veterano em sua terra natal e quase um estreante em Hollywood. Filho de atores, iniciou sua carreira aos 14 anos fazendo novelas. Seu primeiro longa-metragem foi “Escolhas do Coração” em 1983. Seguiu por alguns anos em produções para a TV mexicana e filmes no México, Espanha e Estados Unidos. Seu primeiro filme americano foi “No Tempo das Borboletas”, ao lado da atriz Salma Hayek em 2001. Seu filme “Sexo, pudor y Lágrimas” (1999) quebrou recordes de bilheteria no México e se tornou o filme número 1 filme mais visto na história do cinema mexicano. Mas o grande público só ficou conhecendo mesmo o talento de Demián no seriado Weeds do canal Showtime, onde participou da quinta e sexta temporada. Foi ao lado de atores consagrados internacionalmente como Penélope Cruz, Victoria Abril e Gael Garcia Bernal que ganhou um prêmio no MTV Awards em 2003 por Bendito Inferno. Seguindo sua carreira de sucessos, Demián participou em 2008 da superprodução Che e agora em 2012 recebe a indicação de Melhor Ator com o filme “Uma Vida Melhor”. 

Com mais de três décadas de cinema, o consagrado ator Gary Oldman, 53 anos, por incrível que pareça nunca foi indicado ao Oscar até ser esse ano. Oldman começou sua carreira estudando arte dramática de maneira aprofundada na Britain’s Brufford Rose Drama College, não se formando apenas como ator mas também saindo bacharel nessa área no ano de 1979. Sua estréia no cinema foi em 1981, mas só 10 anos depois foi que Hollywood descobriu seu talento ao participar do filme em JFK – A pergunta que Não Quer Calar, filme dirigido por Oliver Stone, no qual interpretava Lee Harvey Oswald, o homem que atirou e matou o presidente John Kennedy. A partir daí, sua filmografia foi crescendo e sua atuação sendo vista como impecável pela crítica especializada. Sucessos de bilheteria como Harry Potter, Batman (Begins e Cavaleiro das Trevas) e Drácula de Bram Stoker só tornaram seu talento ainda mais popular diante do grande público. Porém não o suficiente para a academia do Oscar lhe indicar anteriormente. Alguns críticos dão como certo que será dele o Oscar desse ano como uma forma de recompensar os anos em falta com o ator. 

Por fim o ator francês, Jean Dujardin, de 39 anos, que tem dado o que falar por sua explêndida atuação em O Artista. Jean, nascido nas redondesas de Paris, onde começou a contemplar a carreira de ator alguns anos depois enquanto servia o serviço militar obrigatório. Ele chamou a atenção quando apareceu no show de talentos francês Graines de Star em 1996 como parte do grupo de comédia Nous Nous C, que foi formado por membros do teatro Carré blanc. Logo após estreou na TV em seriados que revelaram seu potencial como o que o levou a participar de seu primeiro filme no cinema, Uma L’Abri des Indiscrets Respeita, em 2002. Em 15 de janeiro de 2012, Dujardin ganhou um Globo de Ouro de Melhor Ator – Musical ou Comédia Picture Motion. E ainda faturou o prêmio do Screen Actors Guild de Melhor Ator e o BAFTA também como Melhor Ator. Ainda esse ano Dujardin irá aparecer em Les Infidèles, que se prepara para lançar ainda esse mês na França e seu próximo projeto é o remake de Claude Berri ‘s Moment Wild One (Un momento d’égarement) em que ele vai estrelar ao lado de Vincent Cassel.

ATORES COADJUVANTES 2012


Esse ano a estatueta do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante será disputada entre quatro veteranos e um novato. São eles Kenneth Branagh por “Sete Dias com Marilyn” (My Week with Marilyn – 2011), Max von Sydow por “Tão Forte e Tão Perto” (Extremely Loud & Incredibly Close – 2011), Christopher Plummer por “Toda Forma de Amor” (Beginners – 2010), Jonah Hill por “O Homem que Mudou o Jogo” (Moneyball – 2011) e Nick Nolte por “Guerreiro” (Warrior – 2011). Todas as apostas e críticas apontam Christopher Plummer como o vencedor dessa categoria. Por sua atuação como o homem que resolve assumir sua homossexualidade no fim da vida, Plummer vem derrotando seus concorrentes na maioria das premiações desse ano. Se alguém parece ter força para derrotá-lo é Max von Sydow, que teve um desempenho maravilhoso em “Tão Forte e Tão Perto”. Outro indício de que as apostas podem se concretizar é o fato de Plummer já ter ganhado o Globo de Ouro e o SAG Awards na mesma categoria. 

Kenneth Branagh – O ator irlandês mais conhecido por suas adaptações das obras de William Shakespeare, Branagh começou a carreira em uma participação não creditada em “Carruagens de Fogo” (Chariots of Fire – 1981) e seguiu trabalhando na televisão até se destacar no cinema em “Henrique V” (Henry V – 1989), filme pelo qual recebeu suas primeiras indicações ao Oscar, nas categorias de melhor direção e melhor ator. Essa é a sua quinta indicação ao Oscar, a primeira como ator coadjuvante.

Max von Sydow – Ator sueco que estreou no cinema em 1949 em “Bara en mor” (Idem – 1949). Participou de inúmeras produções tanto no cinema europeu, quanto no americano. Entre os mais populares estão: “O Exorcista” (The Exorcist – 1973), “Conan, o Bárbaro” (Conan the Barbarian – 1982), “007 – Nunca Mais Outra Vez” (Never Say Never Again – 1983), etc. Tornou-se conhecido das gerações mais novas com papéis em filmes, como “Minority Report – A Nova Lei” (Minority Report – 2002), “O Escafandro e a Borboleta” (Le scaphandre et le papillon – 2007), “Ilha do Medo” (Shutter Island – 2010) e na série de TV “The Tudors” (Idem – 2007 – 2010). Essa é a sua segunda indicação ao Oscar. A primeira foi na categoria de melhor ator em 1989 por “Pelle, o Conquistador” (Pelle erobreren – 1987).
 

Christopher Plummer – Mais conhecido como Capitão Von Trapp de “A Noviça Rebelde” (The Sound of Music – 1965), o ator canadense tem 59 anos de carreira e mais de 190 trabalhos no cinema e na TV. Nunca teve o reconhecimento merecido, mas nos últimos anos tem se destacado e chamado a atenção das gerações mais novas com seus papéis em filmes como “O Informante” (The Insider – 1999), “Uma Mente Brilhante” (A Beautiful Mind – 2001), “A Última Estação” (The Last Station – 2009) e mais recentemente “Millennium – Os Homens que não Amavam as Mulheres” (The Girl with the Dragon Tattoo – 2011). Consagrado também no teatro, eventualmente trabalha como dublador de filmes animados.
 
Jonah Hill – O mais novo entre os concorrentes, o ator começou em pequenos papéis no cinema em “Huckabees – A Vida é Uma Comédia” (I Heart Huckabees – 2004) e “O Virgem de 40 Anos” (The 40 Year Old Virgin – 2005). Participou de vários filmes e programas de televisão, inclusive como dublador de animações como “Horton e o Mundo dos Quem!” (Horton Hears a Who! – 2008) e “Como Treinar seu Dragão” (How to Train Your Dragon – 2010). Não teve nenhum desempenho significativo, mas surpreendeu em “O Homem que Mudou o Jogo”.
Nick Nolte – Começou a carreira nos estúdios Disney participando de um episódio da série de televisão “Aventura Disneylândia” (Disneyland – 1954 – 1990). E foi na televisão que ganhou notoriedade com seu papel em “Rich Man, Poor Man” (Idem – 1976). Mas foi na década de 1980 que sua carreira deslanchou comercialmente com “Um Vagabundo na Alta Roda” (Down and Out in Beverly Hills – 1986). Entrou nos anos de 1990 trabalhando em produções renomadas como “Cabo do Medo” (Cape Fear – 1991) e o “Óleo de Lorenzo” (Lorenzo’s Oil – 1992). Recebeu duas indicações ao Oscar de melhor ator por “O Príncipe das Marés” (The Prince of Tides – 1991) e “Temporada de Caça” (Affliction – 1997).
FONTE: www.sidneyrezende.com

OUT OF CHARACTER 

Essas fotos que ilustram com perfeição essa matéria são do grande fotógrado Douglas Kirkland, que à pedidos da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas apresentou recentemente a exposição “Out of Character“, com retratos dos nomeados deste ano. As fotos exclusivas foram expostas ao público dia 11 de fevereiro na Grand Lobby da Academia, em Beverly Hills. Kirkland fotografou todos os atores e atrizes eleitos desse ano como melhor ator/atriz e melhor ator/atriz coadjuvantes. Ao todo são 20 retratos distintos, de formato grande que estarão em exposição até 18 de março. Em uma galeria online apresenta todos esses retratos, juntamente com cenas por trás dos clicks, tudo disponível no site oficial do Oscar: www.oscar.com.
 
Após a exposição, os retratos se tornarão parte da coleção da Academia na Herrick Library. Kirkland tem feito retratos de astros e estrelas do cinema há mais de cinco décadas, imortalizando lendas como Elizabeth Taylor, Marilyn Monroe, Orson Welles, Audrey Hepburn e Paul Newman. Também conhecido como fotógrafo dos sets de filmagens, ele já trabalhou em mais de 100 filmes, incluindo “The Sound of Music”, “Out of Africa”, “Titanic” e “Moulin Rouge“. Recentemente viajou para a Austrália para fotografar o novo filme de Baz Luhrmann, “O Grande Gatsby”, com lançamento previsto para este ano.

“Out of Character” está aberta de terça a sexta das 10 da manhã às 5 da tarde e nos fins de semana a partir de meio-dia às 6 PM, a entrada é livre. A Galeria do está localizada na sede da Academia na rua Wilshire Boulevard, 8949, em Beverly Hills.
O Oscar será apresentado no domingo, 26 de fevereiro no Kodak Theatre em Hollywood & Highland Center, e transmitido ao vivo para mais de 225 países em todo o mundo.
Acompanhe a MENSCH também pelo Twitter:
@RevMensch e baixe gratuitamente pelo iPad na App
Store.