ntre regiões e expectativas diferentes, atender um público exigente que espera no mínimo pelo melhor serviço é o grande desafio de Marcelo Rocha, administrador de empresas por formação, atual Diretor Comercial do Sheraton Reserva do Paiva. Carioca e há 13 anos atuando na Starwood Hotels & Resorts, com MBA em MKT pelo Ibmec no RJ, Marcelo começou sua trajetória na hotelaria depois de passar 7 anos em uma Operadora de turismo Lider no Rio de Janeiro no segmento de excursões para Disney e Europa. Em 2003 começou a trabalhar no recém inaugurado Sheraton Barra Hotel & Suites. Foram 10 anos neste hotel onde entrou como executivo de contas e saiu gerente de vendas. Dentre 2013 e 2016 teve uma passagem pelo Sheraton Grand Rio Hotel & Resort como Gerente Sênior de vendas sendo promovido e transferido para o Sheraton Reserva do Paiva em meados de 2016.

Para ele o grande desafio é manter sempre viva a rede de relacionamentos e a busca de novos clientes e parceiros comerciais, explorando todos os nichos compatíveis com o perfil do hotel que oferece uma excelente estrutura tanto para os clientes corporativos, quanto de lazer. Segundo Marcelo, sua mudança para a região Nordeste foi tranquila. Sendo do Rio de Janeiro, onde a variação da temperatura é muito grande, uma das coisas que mais o encantou até hoje é o clima da região, com baixa variação, muito sol e brisa. “Como elegi viver próximo ao hotel, em Piedade, perder tempo no transito também é algo que não faz mais parte de minha rotina. Sem falar na calorosa recepção que tive por parte dos novos amigos pernambucanos”, comenta ele em entrevista à MENSCH.

Como chegou até o Sheraton Reserva do Paiva? Em 2011 fui o único brasileiro a ser convidado para premiação global da empresa, em uma viagem internacional. Esta premiação além de consolidar o reconhecimento de minha performance, me deu maior visibilidade junto as lideranças corporativas de nossa empresa. Segui me desenvolvendo até que a oportunidade surgiu com a abertura da posição no Sheraton Reserva do Paiva, e após as entrevistas com a equipe corporativa e lideranças do hotel preparei as malas para a mudança.

Que bagagem você trouxe de outras experiências que implantou no Sheraton Paiva? Depois de trabalhar 10 anos em um hotel basicamente corporativo, e na sequencia experimentar a versatilidade do hotel mais completo do Rio de janeiro, o único resort urbano com acesso direto praia na cidade, trouxe na bagagem o conhecimento dos diversos perfis de clientes e suas necessidades além do networking de organizadores de eventos e clientes corporativos.

Quais os elementos regionais que você e sua equipe procuraram implementar nessa unidade do Nordeste? Nosso hotel é um produto internacional com sotaque regional. Além de benefícios e descontos exclusivos para moradores do Nordeste, a simpatia e acolhimento de nossa equipe pernambucana fazem toda a diferença para os hóspedes de todo o mundo que frequentam nosso hotel.

Que mudanças significativas você tem observado no mercado hoteleiro? Além de uma atualização do design dos novos hotéis acompanhando a evolução dos hábitos nas sociedades onde estão inseridos, em comum vejo um crescente investimento na área de tecnologia, com aplicativos e ferramentas que facilitam desde a reserva de quartos até o suporte a necessidades especiais dos hóspedes. Outra mudança que observo é a o engajamento cada vez maior nas mídias sociais para um contato mais próximo e dinâmico com seus hospedes e clientes.

Quando você é um hóspede, quais os maiores pecados que um hotel não pode cometer? E quais as qualidades que tem que ter para uma boa estadia? As qualidades essenciais para uma boa hospedagem vão além do conforto das instalações e variam, pois existem alguns perfis diferentes de hóspedes. Aqueles que viajam a trabalho e vão ao hotel somente para dormir, os que estão em viagem de lazer com a família, os participantes de eventos, etc… O maior pecado que os hotéis podem cometer é justamente não buscar saber, ou entender que cada um destes hóspedes tem necessidades diferentes, e com esta informação fazer com que se sintam acolhidos e atendidos em suas expectativas.

Quando quer relaxar e tirar férias, qual seu destino preferido? Estados Unidos. Só para Disney já fui 37 vezes além de já ter visitado Nova York, Washington, Philadelphia, São Francisco, Las Vegas, Los Angeles, Boston, Newport, Dallas, Nova Orleans, várias cidades menores do interior e algumas ilhas como Key West, Bahamas, e Martha´s Vineyard.

O que não pode faltar na bagagem? Balança de bagagem, para não passar sufoco no aeroporto ao despachar as malas com as compras da viagem.

Quais as expectativas para 2020 na hotelaria? O ano que vem promete ser bem melhor que 2019. Já temos neste momento mais de 30% de negócios fechados, do que possuíamos no ano passado para 2019. O sentimento de aquecimento está sendo compartilhado por vários clientes e organizadores de eventos com quem tenho conversado. Ficamos na expectativa que a tendência siga assim crescente e positiva.