A Ferrari Monza SP1, juntamente com o Monza SP2, são os precursores de um novo conceito, conhecido como ‘Icona’ (Ícone), que se aproveita de um estilo dos carros mais evocativos da história da empresa para criar um novo segmento de carros especiais limitados, carros de série para clientes e colecionadores. A intenção é usar uma estética moderna para reinterpretar um estilo atemporal, com componentes tecnologicamente avançados e o melhor desempenho possível através da inovação contínua. Um carro que parece esculpido pelo vento. É como se a pureza dos elementos de estilo que impressiona – uma estética futurística, mas, ao mesmo tempo, uma homenagem respeitosa e não nostálgica ao passado.

É aqui que a Ferrari une sua riqueza incomparável de conhecimento, adquirida em mais de 70 anos de experiência, com a habilidade mundialmente reconhecida de seus artesãos e seus equipamentos tecnológicos de ponta – resultado do contínuo investimento da marca em pesquisa e desenvolvimento – para criar um carro extremo que está verdadeiramente em uma classe própria. A ausência de teto permitiu que este modelo fosse trabalhado com linhas únicas, inimagináveis. Alguns dos detalhes mais emocionantes do Ferrari Monza incluem as portas largas que se abrem para cima e a direção de abertura do capô, que serve para enfatizar ainda mais o potente motor V12 do carro. A carroceria da Ferrari Monza SP2 é feita inteiramente de fibra de carbono, e esse material também é usado para vários elementos do interior.

AERODINÂMICA ÚNICA

O Virtual Wind Shield é essencialmente uma passagem aerodinâmica por baixo da tela aerodinâmica do lado do motorista, onde a parte superior tem a forma de um aerofólio. Parte do ar que flui sobre o capô entra na entrada de ar sob a tela aerodinâmica, onde é acelerado e desviado verticalmente à frente do painel de instrumentos. Isso gera o que é conhecido como um upwash altamente energizado que desvia o fluxo sobre a cabeça do motorista, criando uma bolha de baixa velocidade ao redor da cabine.

A Ferrari Monza está disponível em duas versões: SP1 e SP2. O que difere uma da outra é a quantidade de pessoas que podem ser transportadas no veículo (SP1 comporta apenas o motorista e SP2 motorista e um passageiro) e o peso. A massa do SP1 é de 1.500kg, enquanto a outra versão é 20kg mais pesada. Sob o capô, o “motorzão” V12 6.5 naturalmente aspirado e com 6.5 litros, que produz 810 cv a 8.500 giros. São 10 cv a mais que a 812 Superfast e 30 cv que a F12tdf. E torque brutal de 79,5 kgfm a 7.100 rpm. Ou seja, 34,4 cv e 6,2 kgfm extras frente ao modelo original. Segundo a Ferrari, tanto o SP1 quanto o SP2 precisam de meros 2,9 segundos para atingir os 100 km/h. O 0 a 200 km/h impressiona com incríveis 7,9 s. No entanto, a Ferrari Monza não é para todos. Apenas os que recebem um convite da Ferrari podem comprar o superesportivo que, até hoje, possui apenas 499 unidades.