Por Erica Rodrigues

Quando o assunto é estratégia e inteligência política, Paulo Moura é nome de referência no mercado nacional e internacional. Ao longo das últimas décadas, ele elaborou, contribuiu e participou de mais de uma centena de campanhas (quase todas vencedoras) e arrebatou premiações como o Reed Awards, considerada o Oscar do setor, por quatro vezes consecutivas.

O caminho trilhado por Moura é repleto de experiências instigantes, que guardam entre si algo que é a sua marca profissional – a velocidade e facilidade de pensar estrategicamente; de olhar, ao mesmo tempo, o todo e cada detalhe. A habilidade de ser crítico e cuidadoso com a estética sem perder a agilidade na entrega e, sobretudo, o foco em resultados. Desde muito pequeno, compreendeu que a construção de seu futuro estava nos estudos. Assim, honrou a educação proporcionada por seus pais, agregou a arte como sentimento de expressão e produziu sua fórmula para ganhar o mundo. Escolheu a estratégia política como profissão. O que para muitos é um hobby ou uma mera curiosidade, para Paulo, tornou-se sua paixão e o seu negócio.

Estrategista exímio, Paulo Moura, embora cultive bastante a descrição, aceitou participar dessa entrevista para a revista MENSCH com o objetivo de partilhar sua experiência com aqueles que desejam conhecer, de forma mais aprofundada, a dinâmica de trabalho de um estrategista político, em seu processo de elaboração e coordenação de uma campanha eleitoral.

A base — “Tive a felicidade de nascer em uma família que fazia do estudo a base de tudo. Aprender línguas era uma obrigação e eu, como curioso que sou, dediquei-me bastante, o que me abriu muitas portas. A arte também sempre fez parte da minha vida, ainda muito cedo. Aconteceu pelas mãos do mestre Italo Bianchi, que era nosso vizinho. Nutríamos uma amizade muito genuína e frutífera, apesar da enorme diferença de idade. Com ele, aprendi que a arte, sua evolução, conceitos e definições se sobrepõem a nossa vida porque evoca o nosso emocional mais primário. Através dele, tive a oportunidade de conviver com nomes importantes como Zé Cláudio e Montez Magno, por exemplo. Eu desfrutava daquilo e me sentia impulsionado a aprender cada vez mais. Essa convivência foi fundamental para desenvolver o senso estético, hoje um diferencial das campanhas assinadas pela Exata Inteligência, minha empresa. Além disso, foi possível aprofundar a visão de mundo sobre o ser humano e as relações em sociedade”.

O mundo — Um dos fatos mais marcantes na minha trajetória profissional, foi a experiência de estudar e trabalhar no exterior. A decisão de ganhar o mundo se deu após o falecimento do meu pai. Como já era fluente em Inglês, fui para a Inglaterra, onde conheci mentores que me incentivaram a entrar na universidade. Foi assim que segui pra Edimburgo e me dediquei ao estudo da História da Arte Moderna. Depois fui convidado para estudar na Universidade de Londres. Com o alto custo de vida, passei por dificuldades, mas tinha claro na minha mente o ensinamento da minha mãe “para vencer na vida, é preciso coragem e resiliência”. Após dois anos em Londres, me aventurei em terras italianas, como aluno visitante na universidade de Bolzano. Amadureci bastante até perceber que aquele ciclo havia terminado. Voltei para o Brasil e cursei Marketing. O que ficou de importante dessa época, além do aprendizado de vida, do senso de superação? A percepção sobre o mundo acadêmico, o apreço pelo debate e a noção de escassez: nem sempre as condições serão as ideais para se desenvolver um bom trabalho.

Marketing — “Assumi um trabalho em uma multinacional no Brasil, mas em mim, havia o incômodo de que alguma coisa faltava para me realizar. A experiência de mercado foi um componente importante para a minha formação como estrategista. Além da capacidade gerencial, de negociação, visão de mercado, ajudou a desenvolver o senso de urgência e a visão sobre as necessidades do cliente. Nessa época, na década de 1990, tive a chance de conhecer e conviver com o cientista político Antônio Lavareda, um profissional que é referência e cuja trajetória une sólida formação acadêmica com a prática de mercado. Compreendi, então, que esse era um modelo de atuação profissional com o qual me identificava. Por isso, foquei em me preparar para atuar nesse campo. Comecei a estudar e pesquisar muito sobre o tema, cursei uma pós-graduação em Marketing Político, na UFMG, e uma especialização em Harvard, na área de estratégia eleitoral. Já com a formação acadêmica consolidada, desenvolvi meu próprio estilo como estrategista político. No processo de criação de uma campanha, passei a explorar a minha capacidade criativa como uma aliada da estratégia. Fui modelando um formato de trabalho em que a inteligência estratégica perpassa todas as etapas do processo. Lavareda permaneceu como uma referência e, a partir de então, estabelecemos uma parceria de trabalho, com nossas empresas atuando em conjunto, que perdurou por um tempo. Em um novo ciclo, surgiu a Exata Inteligência, uma empresa ousada na sua forma de pensar, que tem a criatividade e a inteligência como pilares da estratégia política. Fui agregando parceiros, que passaram a ser o meu time de trabalho. Temos um formato leve de empresa, em que as pessoas sentem vontade de fazer o seu melhor, assim entregamos o nosso melhor para os clientes. A referência que o mercado tem hoje sobre mim me orgulha muito ao mesmo tempo em que me enche de responsabilidade”.

Internacional — A carreira internacional é algo que me difere no mercado. Em 2002, fui convidado a participar como ouvinte da IAPC (International Association of Political Consultants). Na ocasião, também tomei conhecimento da Reed Awards — a mais concorrida premiação do mundo político. À frente da instituição estavam Joseph Napolitan e Michel Bongrand, nomes de suma importância e reverência para o setor e para mim até hoje. Me aproximei de Bongrand e foi ele quem me incentivou a inscrever uma das campanhas que fiz na premiação e acabei vencendo. As passagens anteriores por centros de excelência internacionais foram fundamentais para esse reconhecimento. Nunca deixei de ler, pesquisar, dominar os conceitos e trazê-los para o nosso trabalho. Foi dessa maneira que as portas do mercado internacional se abriram. Fiz trabalhos de reposicionamento de comunicação para o Governo Sarkozy, fui indicado por 4 vezes consecutivas ao Reed Awards e ganhei todas. Também fui professor visitante na The George Washington University, na disciplina de estratégia eleitoral. Atuar no mercado internacional requer uma grande capacidade de adaptação. Não basta dominar a técnica de produzir jingles, slogans e peças publicitárias que fazem uma campanha. Requer a habilidade para se aprofundar no cenário, ler o sentimento que predomina, para que as estratégias sejam uma resposta a esse conjunto de fatores.

Vaidade — Minha vaidade é o conhecimento adquirido e os amigos conquistados. É conseguir inspirar pessoas a transformar vidas. Meu objetivo como estrategista político é compartilhar conhecimentos e inspirar jovens talentos, saber que posso ser referência profissional para muitas pessoas.

Fórmula de sucesso – Conselheiro cobiçado por candidatos e partidos, Moura cria campanhas de forma singular, a partir de um diagnóstico preciso, aliado à racionalidade e conceitos criativos ousados. Revela: “Se houvesse um receituário sintético para campanha eleitoral, certamente incluiria: a) Um diagnóstico multidisciplinar com avaliação de imagem do candidato; b) definição do conceito de campanha; c) foco no discurso base com poucas questões, de forte apelo simbólico com temas cuidadosamente escolhidos; d) uma campanha inteligente com estratégias bem definidas e alvo preciso; e) uma comunicação moderna, inspiradora e com forte apelo emocional”.

Inteligência — Aliar resultados efetivos à criatividade, inovação e estética refinada é o nosso diferencial em campanhas eleitorais. Nosso trabalho envolve diagnóstico e avaliação de imagem, para guiar o planejamento, a criação do conceito criativo, do discurso base e do posicionamento estratégico. A partir de conceitos científicos arrojados, nossas campanhas conectam ações on e off-line, para alcançar os objetivos do cliente. No atual contexto, as campanhas precisam ser menos espetaculares e pirotécnicas, porém extremamente criativas. Nossa experiência em disputas nacionais e internacionais nos faz ter a convicção de que eleições são decididas pelos sentimentos certos, despertados pelas emoções correspondentes, estimulados no momento ideal. Hoje temos o desafio de fazer uso de novos formatos de pesquisas de opinião, que possam captar de forma efetiva o que as pessoas sentem e pensam, sem perder os referenciais acadêmicos”.

A Exata – “Somos apaixonados pelo que fazemos. E essa paixão faz com que sejamos ainda mais criativos, focados e ousados em nosso trabalho. Como reflexo, temos uma empresa referência em campanhas políticas e uma equipe competente, que esbanja felicidade em tudo que executa”.

Pandemia — “Eleições são eventos que mobilizam milhões de pessoas, e, em época de pandemia, foi preciso inovar na forma de fazer campanhas. Conseguimos fazer a maior parte do trabalho de criação e estratégia de forma remota, prezando pela segurança das pessoas. O home office já era usado pela Exata Inteligência, mas pudemos aprimorá-lo em 2020. Tínhamos um núcleo de criação, supervisionado por mim, e também fiz o atendimento e coordenação direto com os clientes. Formamos um time de excelência, comprometido, que se emociona e se empolga com novos desafios. Obtivemos 80% de êxito, o que é uma excelente marca para o setor”.

2021 — “Para 2021, a ideia é lançar meu livro sobre inteligência política. Já está pronto, mas em constante processo de atualização. Para isso, tenho tido a ajuda imbatível da cientista política Priscila Lapa, que faz toda a organização. Não se trata de um livro sobre ciência política nem um manual de eleições. É algo inovador e ousado. Antecipo que será bilíngue e tem lançamento previsto para o final do segundo semestre aqui no Brasil e na George Washington (USA).”

Família — “A campanha mais desafiadora da minha vida foi a de representante de sala do meu filho do meio, Mateus, pois não tinha neutralidade, mas graças a Deus ele venceu. Todas as minhas conquistas profissionais não fariam o menor sentido se eu não tivesse minha família e Deus como base de tudo. É importante que eu assinale o amor e a inestimável compreensão de meus filhos Felipe, Mateus e Maria, que em vários momentos não podem contar com a minha presença. Minha esposa, Luciana, merece também um reconhecimento especial pelo carinho e apoio sem limites. Sem eles, nenhum prêmio valeria a pena e nem eu poderia ser o “subversivo da comunicação”, como definiu um amigo.

Sobre Paulo Moura — Sócio-fundador da Exata Inteligência Política, especialista com título concedido pela Universidade de Harvard (USA), professor visitante da The George Washington University (USA), pós-graduado em Marketing Político pela UFMG. Eleito um dos 100 mais influentes estrategistas políticos do mundo. Atuou em diversas campanhas eleitorais majoritárias no Brasil. Internacionalmente, destacou-se em países como México, França, Rússia, e, recentemente a Itália.