A partir do momento em que Yves Saint Laurent descobriu Marrakech em 1966, a cidade tornou-se o refúgio íntimo do designer, onde ele desfrutava de um ritmo de vida mais calmo e fácil em contraste com sua agenda de trabalho parisiense ocupada. O eminente significado pessoal de Marrakech para o fundador da casa é o pano de fundo evocativo da coleção masculina primavera verão 2023 de Anthony Vaccarello para Saint Laurent. Se alguma vez houve uma linha entre o que constitui um guarda-roupa “masculino” e o que torna as roupas “femininas”, ela se dissolve elegantemente aqui.

O smoking, talvez o elemento mais seminal do vocabulário Saint Laurent, mais uma vez é reinterpretado, refinado e imbuído de possibilidades, uma continuação das variações que Vaccarello explorada na coleção Outono Inverno 2022 da marca para mulheres. Escolhas emocionantes abrangem novas soluções de gola e ombro, opções simples e duplas, bem como uma iteração creme elegante e moderna do smoking em faille de seda leve.

Uma cintura alta predominante e uma perna larga criam uma forma alongada ocasionalmente interrompida com acentos estreitos ou quadrados. As silhuetas são globalmente mais descontraídas, refletindo a facilidade de vida típica de Marrakech. As peças externas são mais soltas, fluidas, menos construídas: os casacos de cetim franzidos envolvem o corpo quase até o chão, enquanto os casacos de alfaiataria têm uma nitidez gráfica. Grain de poudre, um tecido de lã finamente tátil com longa associação na casa – Yves Saint Laurent adorava usá-lo – marca presença forte, recorrente em vários looks.

O cenário do show homenageia a majestosa beleza do Marrocos: inspirado no romance de 1949 de Paul Bowles, “The Sheltering Sky”, Vaccarello, em colaboração com o artista e cenógrafo londrino Es Devlin, concebeu um cenário inspirador no meio do deserto de Agafay – um oásis luminoso em forma de anel em meio ao vasto e árido desconhecido. Esperança e mistério justapostos como uma metáfora para a fascinante complexidade da vida.

Nas palavras atemporais de Bowles:

“Pensamos na vida como um poço inesgotável. No entanto, tudo acontece um certo número de vezes, e um número muito pequeno, na verdade. Quantas vezes mais você vai se lembrar de uma certa tarde de sua infância, alguma tarde que é tão profundamente parte de seu ser que você não pode sequer conceber sua vida sem ela? Talvez nem mesmo. Quantas vezes mais você verá a lua cheia nascer? Talvez vinte. E, no entanto, tudo parece ilimitado.”

Veja vídeo do desfile completo: