Final de semana chegou e com ele música nova de Projota, a “Salmo 23” que ele lançou nessa sexta, para agitar as redes sociais em período de quarentena. A vida de Projota basicamente foi isso, um agito só. Também pudera, se ele não fosse de correr atrás e criar oportunidades para superar suas adversidades muita coisa não seria o sucesso que é. “Conquistei muito mais do que eu sonhava, então não me esqueço do passado e do que realmente importa, minha família e minha música”, comentou ele durante a entrevista. Vencer o preconceito e conquista o mundo com sua música, esse terminou sendo a meta do cantor. Que para você ter ideia já teve música sua em filme da Disney, novelas da Globo e cantou para o mundo nas Olimpíadas Rio 2016. Resultado, milhões de seguidores em suas redes sociais e não para por aí. Mesmo em casa cuidando da pequena Marieva, de apenas dois meses, o cara segue produzindo. Aumenta o som e vamos lá conhecer um pouco mais da trajetória desse cara vencedor.

Projota, vamos logo para a novidade do momento… Como surgiu e o que espera com a nova música “Salmo 23”? Surgiu inspirado em uma série de momentos difíceis pelos quais passei, inspirado nas dificuldades e injustiças que nossa sociedade enfrenta. Espero que assim como reflexões como essa me ajudam a vencer meus medos e aflições, que possa servir da mesma maneira para outras pessoas que também precisam vencer os desafios que a vida nos propõe.

 

Você mudou a ordem para lançamento das músicas dando preferência a “Salmo 23” por conta desse período de quarentena. O que espera que a música traga nesse momento de isolamento social? Qual o papel da música nisso tudo? Acredito que o papel da música segue sendo o mesmo, entreter, emocionar, informar, dar voz a quem não possui voz. Nesse momento ela pode ser uma válvula de escape para tantas pessoas que se encontram perdidas perante uma situação tão difícil.

Onde busca inspiração na hora de compor e criar algo novo? Me inspiro em tudo que me faça sentir algo forte. Seja no amor ou no ódio, ou na simples vontade de dançar. Tudo me inspira e tudo pode se tornar uma canção.

Ao longo de sua carreira você já contou com grandes parcerias como Anavitória, Anita e Thiaguinho. Estilos bem diferentes que somados ao seu resultam de trabalhos diversificados para diferentes públicos que curte seu trabalho. Essa é a intenção? O que busca numa parceria musical? A intenção sempre é fazer boa música, e também eternizar canções ao lado de amigos ou artistas que me inspiram. O que vem após isso é apenas resultado de um trabalho bem executado e feito com muito amor.

Aliás, junto com Thiaguinho virou música-tema dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Como isso te tocou? Esperava esse sucesso em escala mundial? Fomos convidados para dar voz a essa linda canção, e foi uma grande honra representar a música brasileira num projeto tão especial. E tão especial quanto isso, foi a chance de cantar ao lado de um cara que eu admiro demais, o Thiaguinho é um dos melhores cantores da nossa geração.

Falando em parceiros, para uma futura música a ser lançada você convidou o casal Lázaro Ramos e Taís Araújo. Como surgiu a ideia e como ficou o resultado? O que pode nos adiantar? O videoclipe tá sensacional, tenho certeza que geral vai curtir muito. Fiz o convite para a Tais que aceitou de imediato e ainda deu a ideia de Lázaro ser o diretor, eu consegui muito mais do que eu sonhava. Esse casal é um grande orgulho da nossa arte, e sempre quis trabalhar com eles, mais uma grande realização que aconteceu na minha carreira. O vídeo de “Ombrim” é muito alegre, ambientado nos anos 50, podem esperar por mais uma grande produção.

 

Nas redes sociais você acumula milhões de seguidores, seja no Spotify, YouTube ou Instagram. A que se deve isso? Como lida com suas redes? Consegue acompanhar tudo? Tento acompanhar o máximo que posso, estar presente, responder o que me enviam. Tenho uma relação muito bonita com meus fãs, conheço pessoalmente muitos deles a quem sou muito grato e faço o possível para que eles saibam disso.

Falando em “Salmo 23”, você é um cara religioso? Como isso te toca? No que acredita? Eu não posso falar sobre religião, mas posso falar sobre fé. Respeito todas as religiões e crenças, isso é determinante na nossa sociedade. Mas minha relação com Deus é muito própria, eu sinto Sua presença e faço questão de declarar por quantas vezes Ele me salvou, me perdoou, e sempre projeta o melhor caminho para que eu possa seguir. Foi importante para mim, finalmente poder fazer uma música para falar diretamente sobre isso.

 

Ano passado no Rock in Rio você tocou no Palco Sunset como uma das principais atrações. Como foi a sensação? Foi como imaginava? O que mais me emocionou foi a reação do público presente, fizemos juntos um grande show, que inclusive me credenciou para tocar no RIR Lisboa que agora foi adiado para 2021. Foi intenso, verdadeiro e com certeza foi histórico. Lá na frente, eu e meus fãs ainda iremos lembrar desse dia especial.

Indo para o começo… Como José Tiago virou Projota? Quando sentiu que sua carreira deu uma virada? Quando em 2011 eu comprei meu primeiro carro, um Celta vermelho, em 60 prestações. Ali eu senti que eu poderia viver disso, mesmo que fosse difícil. Meu sonho sempre foi apenas viver de música. Conquistei muito mais do que eu sonhava, então não me esqueço do passado e do que realmente importa, minha família e minha música.

E como a música entrou na sua vida? Alguma influência ou inspiração? Minha mãe sempre foi muito musical, inclusive na sua juventude ela foi cantora e compositora, então a música sempre esteve muito presente em casa. Aprendi violão sozinho com 11 anos, e desde então eu componho e nunca parei.

Ao longo da sua trajetória até aqui, muito preconceito? Como combateu isso? O preconceito eu aprendi a combater sendo o melhor que posso ser, e meu potencial era grande o suficiente para calar muita gente. O preconceito ainda existe, mas minha vontade de vencer ainda é maior, então eu não me canso de me superar.

Suas músicas derrubaram barreiras, e além de ganhar destaque nos Jogos Olímpicos, foi parar em novela da Globo e até filme da Disney? Nos seus melhores sonhos chegou a imaginar tudo isso? Meu sonho era apenas pagar minha contas com a música, um carrinho, um aluguel. Me sinto abençoado por ter chegado onde cheguei, e por ter me tornado exemplo de superação para outros jovens da periferia como eu. Sou grato pelas oportunidades que eu recebi, e mesmo que tudo tenha acontecido devagar, degrau após degrau, sinto que tudo aconteceu no tempo certo, eu sempre estava preparado para agarrar todas as oportunidades que a vida me ofereceu.

Recentemente nasceu sua filhinha. Como é o Projota pai? Já se sentia preparado? Muitas descobertas? O Projota pai é totalmente apaixonado pela vida, acorda bem cedo para cuidar de Marieva, que dorme muito pouco, chora bastante e precisa de muita atenção. Me sinto pequeno perante a maravilha da vida, de como a natureza é perfeita e não me canso de olhar para os olhos dela, agora ela aprendeu a sorrir e isso ilumina meus dias.

 

Qual o valor da família pra você? Como é a relação com pais, irmãos (se tiver), amigos e em casa com a esposa? Nunca briguei com meu irmão, 5 anos mais velho, somos muito próximos, inclusive ele trabalha comigo, cuida de tudo que é do Tiago. Meu irmão, minha avó e meu pai, são os grandes responsáveis por quem me tornei, minhas referências maiores. Meus melhores amigos são os mesmos desde os 7 anos de idade. Minha esposa chegou para transformar minha vida, me reconectar com o que há de melhor em mim. Não sei o que seria da minha vida, se não fosse tudo exatamente dessa maneira. Tenho orgulho de todos eles e sei que eles também se orgulham. Nossas conexões são de alma.

Soubemos que você é um cara romântico… Como é isso? Como aflora esse lado romântico? O romantismo deve estar presente no dia a dia. Creio que declarações não precisam esperar datas especiais, e atitudes não devem vir embrulhadas numa caixa de presente.

E a vaidade, como lida com ela? Até que ponto se sente um cara vaidoso e do que não abre mão? A gente precisa se cuidar, nosso corpo é a morada da nossa alma, e a forma como nos vestimos é a representação da nossa personalidade e nosso estado de espírito. Acho que tenho minha vaidade de uma forma bem equilibrada, e não abro mão do meu estilo, adoro sneakers e confesso que gosto muito de comprar roupas.

Na hora de relaxar, o que faz sua cabeça? Jogar videogame, assistir uma boa série, ir ao cinema com minha esposa. Eu gosto de tudo que envolve a cultura geek.

 

O que diria sobre foco, fé e força? Como cada uma dessas palavras pesaram (e pesam) na sua vida? Quando visualizei essa filosofia tudo mudou. Nela eu encontrei o foco para traçar um objetivo, a força para correr atrás do mesmo, e a fé para acreditar que era possível. Minha vida por si só acabou provando que essa filosofia é determinante para alcançar suas metas.

Em tempos de quarentena o que tem ouvido, lido e assistido? Quer saber a verdade? (risos) Quase nada. Eu tenho uma bebê de 2 meses em casa, somente eu e minha esposa para cuidar, então estou 100% voltado para isso. Só tenho assistido aos telejornais e feito o possível para estar presente nas redes sociais. Não é fácil, mas na mesma proporção é muito gostoso, estamos aproveitando a quarentena para estarmos totalmente concentrados na criação de Marieva, vivendo um sonho.

Vídeo de “Salmo 23”: