Muita gente sonha em largar o seu emprego tradicional para empreender, porém esse movimento de transição é bem mais complexo do que parece. Ter o seu próprio negócio e conseguir prosperar demanda de muito esforço, resiliência e proatividade. O empreendedor Gabriel Khawali (@gabriel_khawali), que entrou no mercado de trabalho aos 17 anos e hoje, junto com seus sócios, está à frente de uma empresa de tecnologia que já é avaliada em mais de 20 milhões de reais, tem um mantra: “Primeiro progresso e depois ordem”. Segundo o empresário, para empreender é necessária a compreensão de que estabilidade e calmaria vão passar muito longe da rotina do empreendedor. Em entrevista para a MENSCH, Gabriel Khawali, hoje com 34 anos, falou sobre sua trajetória recheada de adversidades e como se tornou um profissional tão renomado e respeitado no mundo do marketing e do empreendedorismo em geral. 

Gabriel Khawali vem provando através de sua história e de seus esforços que apesar das inúmeras dificuldades que existem na jornada de empreender em um país complicado como é o Brasil, é fundamental acreditar nos seus sonhos e seguir adiante mesmo que às vezes a vontade seja de largar tudo e ter uma vida mais calma. O empreendedor afirma: “Estar feliz é muito bom, mas ter alguém feliz por sua causa é 10 vezes melhor e empreender possibilita impactar positivamente a vida de outras pessoas”.

Como avalia sua jornada até aqui? Eu era o típico aluno problema na época do colégio: Era mandado para fora da sala de aula com frequência e aprontava demais. Não concluí os estudos em nenhuma universidade, mas ingressei cedo, aos 17 anos no mercado de trabalho. A minha primeira experiência foi um trabalho temporário de final de ano em uma loja de roupas e em seguida ingressei numa concessionária de veículos para trabalhar como vendedor de consórcio. Aos 21 anos, fui promovido a gerente de vendas devido ao meu ótimo desempenho como vendedor e cheguei a gerenciar uma equipe de 35 pessoas. Esse começo foi muito difícil, pois eu via meus amigos concluindo a faculdade e eu estava em um caminho totalmente diferente e cheio de incertezas pela frente. Hoje, analisando em retrospectiva, eu agradeço a Deus e aos meus pais por ter me colocado no mercado de trabalho tão cedo. Essa fase difícil foi fundamental para minha formação como pessoa e como empreendedor.

E como você se tornou um profissional tão renomado no mundo do marketing? Teve que enfrentar desafios? Quebrei várias empresas, perdi muito dinheiro e por muito tempo fiquei desacreditado de mim mesmo. Mas hoje eu enxergo claramente que foram as adversidades que me deixaram cascudo tanto profissional como pessoalmente. Em 2019, iniciei uma história que foi a grande virada de jogo na minha vida: “A Tentei Voar” empresa que me possibilitou vendê-la, em tempo recorde, (15 meses após o dia zero) para um fundo de investimentos por cifras milionárias. Esse capítulo em minha vida me trouxe uma notoriedade e um respeito no mundo dos negócios que tem grande importância em minha história, afinal vender uma empresa para um fundo de investimentos é um troféu que poucas pessoas conseguem alcançar.

Após esse case de sucesso, Gabriel continua prosperando nos negócios? Claro. Hoje, aos 34 anos, me considero um experiente empreendedor e tenho como principal negócio o Entrega Digital (@entregadigital_ ), que já é avaliado em mais de 20 MILHÕES de reais apenas oito meses após a sua fundação. A empresa de tecnologia chegou ao mercado para fazer com que os grandes infoprodutores – profissionais que, junto com seus times, produzem e disponibilizam na internet cursos dos mais variados assuntos – levem os seus negócios a outro patamar: Hoje os grandes players do mercado já descobriram como ganhar muito dinheiro, mas eles ainda não sabem como gerar equity (valorização de participação societária em suas empresas), afinal eles “constroem suas casas no terreno dos outros” ao venderem seus cursos nas plataformas tradicionais do mercado como HOTMART ou EDUZZ, por exemplo, e utilizarem ferramentas como o TELEGRAM ou o WHATSAPP para complementar seus processos de vendas. 

Que mensagem você gostaria de deixar aos leitores da MENSCH? Eu gostaria de dizer aos queridos leitores dessa revista tão bacana que em minha humilde opinião, uma das nossas missões nessa vida é buscarmos ser felizes. Se você, como a esmagadora maioria da população, passa a maior parte do seu tempo trabalhando… É justo consigo mesmo que você tenha um trabalho do qual você não se sinta feliz? Para mim, é fundamental nessa incessante busca pela felicidade, trabalharmos com algo que tenhamos alegria e prazer em executar. Se você ama as sextas feiras e odeia as segundas feiras, talvez seja hora de repensar a sua vida. Um grande abraço e meus sinceros desejos de prosperidade para todos vocês.

Direção Fotográfica: Trintadezessete / Matheus Lins

Locação: Rooftop Berrini / Hotel Transamérica Berrini Assessoria Alana Villela