Com apenas 22 anos, o ator João Victor já possui uma longa trajetória na TV com 15 trabalhos e no teatro com 7 peças no currículo. Certamente você não lembrará, mas sua primeira aparição na TV foi no programa “Gente Inocente”, em 2000, de lá pra cá ele não parou mais. Sempre fazendo uma participação aqui ou ali, como aconteceu ano passado na super série “Os Dias Eram Assim” e no seriado “A Fórmula”. Atualmente no ar com o personagem Saulo em “Deus Salve o Rei”, João segue o desafio de interpretar um personagem que passou por uma rasteira da vida e seguiu uma trilha de amadurecimento bem desafiadora. Aproveitamos uma pausa nas gravações para conhecer um pouco mais dele e aguardar os próximos capítulos dessa carreira próspera.

O que praticamente ninguém sabe é que você fez sua estreia na TV bem criança em 2000 no “Gente Inocente”. O que lembra de algo dessa? Confesso que não lembro de muita coisa. Era muito novo.

De lá para cá você não parou mais com trabalhos todos esses anos. Como descobriu que ser ator era o que você queria? Descobri que queria seguir na carreira aos 14 anos, durante uma novela. Além da minha mãe, que sempre me nutriu de informações pra que eu tomasse minhas próprias escolhas, acredito que tive sorte ao cruzar com pessoas que me serviram de exemplos na carreira e me incentivaram a estudar e a seguir adiante.

Como foi o processo todo? Que cursos fez? Que influências teve? Como foi sua formação? Foi um processo incrível desde o começo. Comecei trabalhando antes de qualquer tipo de formação ou estudo. A partir daí, com conhecimento prático da coisa, pude perceber que realmente era o que eu gostava e, então, busquei cursos. Também bebi muito da minha mãe, que é diretora de Teatro, e depois fui fazer faculdade de Teatro na UCAM.

Agora com o Saulo de “Deus Salve o Rei” você tem tido maior destaque com um personagem cheio de altos e baixos. Como tem sido participar dele? Tem sido realmente incrível estar ao lado de pessoas tão talentosas num projeto tão diferente e especial de tudo o que já se viu na TV brasileira. Aprendo muito o tempo todo. É engrandecedor como pessoa e como profissional. Acredito muito na troca com os colegas de cena e de equipe, que acabam sempre por se transformar em amigos.

Em determinado momento da história Saulo ficou cego e mudou sua forma de ver o mundo depois disso. Como foi essa fase para você? Foi, sem dúvida, uma parte importante de vida do Saulo. Acho que foi bem difícil, na verdade. Mas que pude retratar essa etapa de amadurecimento do personagem com muito orgulho. E esse amadurecimento também se refletiu em mim. Foi durante esse processo que entendi que ao perder um sentido se faz necessário que aflore outros. Assim foi com Saulo que saiu fortalecido desse acontecimento.

Antes desse trabalho você tinha participado da série “Os Dias Eram Assim”, que era bem mais dramática e densa. Como foi a experiência? Foi uma breve experiência, mas em que pude dividir espaço com pessoas que admiro e pude aprender muito. Cada vez mais não acredito que existam personagens pequenos porque estamos tratando de vida, de seres humanos.

Agora se sente preparado para papeis mais fortes? Como se desafia como ator? Acredito que sim. Mas preparado não quer dizer pronto. O que eu acho que nós não estaremos nunca, porque creio que isso talvez esteja relacionado com a própria maturidade na vida. Mas sempre me desafio a buscar o presente e dar o devido valor ao outro.

O que te distrai nas horas vagas? Eu gosto muito de estar conectado à natureza. Necessito na verdade, então, busco ocupar meu tempo na praia, cachoeira, andando de bicicleta. Também confesso ser levemente viciado em séries, o que às vezes toma bastante tempo. Vou muito ao teatro e a shows também, o que é importantíssimo pra mim.

Paralelo a TV você já é bem familiarizado com os palcos de teatro. O que te instiga mais no teatro? Além do poder político do teatro, a possibilidade da transformação in loco. A partir da presença e o que aquilo pode te causar e te transformar.

Se voltasse no tempo faria algo de diferente na sua vida? Nada. Sou extremamente orgulhoso das minhas escolhas até aqui. Talvez ser menos chato com a minha mãe com relação a estudar na época de escola. (risos)

Depois da sua participação em “Deus Salve o Rei” o que tem em mente? Quais os planos? Não tenho planos por agora, deixo as coisas acontecerem naturalmente, no tempo delas. Agora, meu foco é total na novela, no Saulo.

Como ator consegue se vê daqui a 10 anos? Confesso que não consigo fazer esse prognóstico ainda. A vida é tão surpreendente que prefiro me conectar ao presente e pensar que assim estarei construindo meu futuro. No aqui e no agora.

Foto Rodrigo Lopes

Beauty Caty Pires

Styling Marlon Portugal