Quem já assistiu a “Verdade Secretas 2” já entendeu que o personagem Lúcio não está pra brincadeira na história. Interpretando um médico que usa material genético de modelos para inseminar seus pacientes, o que é uma pratica ilegal hoje em dia, e de quebra possui algumas taras, Daniel Andrade tem chamado atenção do público e crítica. Mas para quem pensa que Daniel é estreante na TV está muito enganado. Ele já fez de tudo um pouco, de “Chiquititas” à “Rei Davi”, de “Você Decide” à “Dona do Pedaço”. Daniel, que nas horas vagas é arquiteto, está muito feliz com seu personagem. Em “Verdades Secretas 2”, enquanto o elenco todo se “pega”, Lucio é voyeur, tem prazer em observar os casais em momentos de prazer. Batemos um papo com Daniel para conhecer um pouco mais dessa trajetória diversificada e conhecer um pouco mais da construção do personagem Lúcio.

Daniel, graças a esse papel mais polêmico em “Verdades Secretas 2” você tem chamado mais atenção e atraído um público que talvez ache que você é estreante. O que eles não sabem é que seu currículo é bem longo. Passando por Rede Manchete, SBT, Record e Globo. Como avalia sua trajetória até aqui? Pois é, acho até engraçado quando acham que sou estreante. Mas é normal. Cada emissora e também cada produto tem seu público específico, e às vezes é bem diverso um do outro mesmo. Já estive em quase todas emissoras do país e tenho muita história pra contar… Considero que tantos anos na profissão me trouxeram uma maturidade que com certeza não tinha mais novo. Hoje sou mais sagaz, tanto no meu lado pessoal quanto no profissional. Lido melhor com os egos alheios e o meu próprio.

E como começou isso tudo? Você que é formado em Comunicação e Design de Interiores, como migrou para a atuação? Na verdade foi cursando a faculdade de Comunicação Social que eu comecei a investir na carreira de ator. Era modelo na época e pegava muitos comerciais de TV. Fui então convidado para fazer o teste para a Oficina de Atores da Globo, passei no teste e fiz a oficina, mas ainda era muito cru como ator… Foi com o exercício da profissão que fui aprendendo o ofício do ator. O Design de Interiores veio bem depois, quando perdi meu contrato fixo na Record. Percebi ali que precisava de um plano B. Foi a melhor coisa que podia fazer.

De “Você Decide” à “Malhação”, “Os Mutantes”, “Rei Davi”, “Chiquititas” até “A Dona do Pedaço”. De tudo um pouco. O que mais marcou você em seus trabalhos? Qual você repetiria e não poderia deixar de fazer? Tive a sorte de fazer alguns personagens bem diferentes durante todos esses anos. A TV por vezes acaba cristalizando um pouco o ator, dando pra gente sempre o mesmo personagem, só muda o nome (risos). Essa repetição pode ser bem desestimulante para o ator, porque a gente não consegue mostrar outras facetas, outras possibilidades de trabalho. E se pudesse fazer novamente um personagem, faria o Adrian, de Esmeralda (SBT). É um personagem que as pessoas lembram muito até hoje e que teve um grande sucesso, mesmo sendo fora da Globo. Mas hoje o faria bem diferente. Algumas cenas era um exagero só, (risos). Era uma adaptação de uma novela mexicana e tinha uns dramalhões difíceis pra caramba de encarar. Faria tudo com mais sutileza e menos drama hoje em dia.

O que vem aprendendo com a atuação e esse mercado de teledramaturgia ao longo desse tempo? Que lições ficam? Sempre foi um mercado bastante competitivo e aqui no Brasil, principalmente, com poucas oportunidades e muita demanda de profissionais dispostos a trabalhar. Hoje temos o advento das plataformas de streaming e o mercado está se aquecendo. É um grande momento para o mercado. Mas só fica mesmo e se estabelece de fato, quem tem coragem para encarar os altos e baixos dessa profissão. Tem que ter a cabeça no lugar e lembrar que ninguém é insubstituível. Hoje você é a cereja do bolo, amanhã pode não ser.

Sendo um cara tão eclético na dramaturgia, onde se sente mais desafiado? Hoje cada vez mais tento buscar personagens mais ecléticos e complexos. Quando vejo que posso fugir um pouco desse clichê do galã, é onde considero uma boa oportunidade de trabalho. Gosto da câmera, gosto dos estúdios, gosto de viver esse dia a dia corrido das gravações, por mais exaustivo que eventualmente possa ser. Quero cada vez mais poder dar vida a personagens densos e dilemas pouco usuais. Fugir da mesmice.

O Dr. Lúcio de “Verdades Secretas 2”, parece ser um grande desafio onde envolve procedimentos clínicos ilegais e taras sexuais. Como recebeu esse personagem? Assim que eu recebi os capítulos e comecei a ler, foi amor à primeira vista, (risos). Digo que é o tipo de personagem que todo ator deita e rola porque pode ser muito explorado. O Lúcio tem muitas nuances, muitos caminhos… Ele é obcecado pela fertilização e não mede esforços para levar seus planos adiante, mesmo que sejam procedimentos ilegais para a legislação aqui do Brasil. Ele é atrevido, despudorado, charmoso e até inconveniente, se preciso for. Foi um grande prazer esse trabalho para mim. Esse lado voyeur dele só me deixou mais atiçado ainda, acho que só enriqueceu o personagem.

Seu personagem tem uma clínica de fertilização que usa material genético dos modelos. Algum laboratório para entender mais do assunto? Já tinha alguma noção desse assunto? Não sabia muito sobre o assunto. Procurei pesquisar sobre o procedimento, sobre a prática do eggs donation. Fui entender o que era permitido e o que era proibido por lei aqui no país. Conheci e conversei com pessoas que tiveram filhos assim, mais especificamente com um conhecido que é gay e optou por ter um filho assim. Ele escolheu a mãe através de um catálogo de um site de uma clínica gringa. Ele viajou e deixou o material genético dele na clínica. Nove meses depois foi buscar o filho, nascido de uma mãe que ele escolheu por fotos. Nos EUA e em alguns países do Leste Europeu esse comércio já existe faz um tempinho e é uma prática legalizada.

O outro lado de Lúcio é sua tara em assistir casais transando. Inclusive ele participa de uma transa a três. Como foi participar de uma cena assim? Foi bem tranquilo na verdade. Acho que eu me preparei psicologicamente para a cena e estava 100% disponível para ela. Procurei tranquilizar os 2 atores que fizeram comigo, pois além deles serem mais jovens e inexperientes do que eu, eles também estavam mais expostos na cena. No final deu tudo super certo e saímos todos aliviados e felizes do set.

Algum tabu para cenas mais ousadas ou nudez? Não, nenhum. Mesmo. Mas me sinto mais à vontade se tiver com o shape ok. Se tiver barrigudinho, fico tenso (risos).

Considera o Lúcio seu personagem mais ousado? Acho sinceramente que sim. Fiquei com aquela sensação de querer mais cenas, de fazer mais. Como disse acima, o Lúcio é um personagem muito cheio de possibilidades e isso me encantou como ator.

A cobrança pela boa forma de atores de TV e cinema é sempre muito grande. Já sentiu isso? E como se cuida para manter o shape em dia? Sim, sinto isso. Mal ou bem você acaba que está vendendo sua imagem ali. Mas eu mesmo me cobro muito e é uma grande guerra. Gosto muito de comer de tudo e beber também. Já para os treinos, por vezes me bate aquela preguiça de ir para academia. Tento equilibrar a vontade de comer com a vontade de treinar, (risos). Difícil matemática!

O universo de VS2 é bem fashion. Você é um cara muito ligado em moda? O que faz seu estilo? Do que não abre mão? Eu gosto de estar bem vestido, mas não sou tão ligado em moda não… Gosto de roupas que caiam bem, mas sem abrir mão do conforto. Gosto bastante de tecidos leves como o linho.

Um pecado e um desejo das suas verdades secretas… Um pecado é sem dúvida a gula, (risos). Sobre o desejo…, um só é difícil…, tenho muitos! (risos).

O que curte ler, ver e ouvir? Curto muito ler sobre filosofia e psicologia. Acho que sobre comportamento humano em geral. Sou viciado em seriados e assisto um pouco de cada coisa, sou capaz de assistir muitos ao mesmo tempo revezando, só não curto muito os de terror porque não gosto de levar susto, (risos). Sobre música, gosto de ouvir jazz, house e MPB.

Na hora de relaxar, o que faz sua cabeça? Ir pro meio do mato. Alugar uma casinha na serra onde possa curtir uma cachoeira de manhã e um friozinho com um bom vinho à noite.

Algum plano futuro que possa compartilhar conosco? O que vem por aí? Por hora espero novas oportunidades. Mas espero sinceramente que esse trabalho me abra novas portas e novos contatos. Deixando acontecer.

Fotos Márcio Farias

Styling Samantha Szczerb

Assist. de fotografia Milena Leão